WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


:: ‘Bahia’

Prefeitura de Feira autoriza funcionamento de autoescolas, cursos profissionalizantes e idiomas

Diário Oficial de Feira de Santana

Foto: Divulgação / PMFS

Está autorizada, a partir de segunda-feira, 27, a volta de aulas práticas em autoescolas, cursos profissionalizantes e de idiomas em Feira de Santana. O decreto foi publicado nesta sexta-feira, 24, no Diário Oficial Eletrônico, e estabelece regras sanitárias para evitar a contaminação por Covid-19 nestes ambientes.

Os estabelecimentos terão que intensificar a higiene de todos os espaços a cada atividade executada. No caso das autoescolas, os veículos também deverão passar por desinfecção. Devem também disponibilizar o álcool em gel (70%) aos seus clientes e Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para os funcionários.

Eles precisam garantir o espaço mínimo de 1,5 metros na disposição de atendimento, controlando acessos dos clientes. E nas salas de aula, distanciamento de dois metros entre as cadeiras, atendendo a 50% da capacidade instalada, além da obrigatoriedade do uso de máscaras. :: LEIA MAIS »

Com restrições, comércio da RMS reabre a partir desta segunda-feira (27)

Com restrições, comércio da RMS reabre a partir desta segunda-feira (27)

Foto: Danilo Magalhães

Gestores dos municípios da Região Metropolitana de Salvador (RMS) decidiram reabrir o comércio e templos religiosos de forma unificada e com restrições a partir desta segunda-feira (27). A decisão foi tomada durante o quarto encontro de prefeitas e prefeitos, realizado na cidade de São Francisco do Conde, nesta quinta-feira (23). A reabertura dessa primeira fase está condicionada à disponibilidade de pelo menos 25% de leitos de UTI no Estado da Bahia.

“Essa será a primeira fase e contará com protocolos bem definidos e com uma série de exigências que serão apresentadas a todos os estabelecimentos comerciais. Serão reabertos os shoppings, centros comerciais, lojas que estavam fechadas e os templos religiosos. Só iremos reabrir o comércio porque a taxa de ocupação de leitos de UTI está em 75%, quando essa quantidade estiver em 70%, vamos para a segunda fase de reabertura, e assim gradualmente”, explicou a prefeita de Lauro de Freitas Moema Gramacho.

Ainda de acordo com Moema, os municípios vão continuar reforçando as medidas de prevenção e de controle da proliferação do coronavírus. “Nós, gestores públicos, somos a favor da economia, queremos restabelecer o processo de desenvolvimento econômico em nossas cidades, mas sem que isso custe a vida da nossa gente”, completou a prefeita. Para trabalhadores que atuam em municípios diferentes dos locais de suas residências, os gestores vão definir diretrizes específicas até este próximo domingo (26).

A proposta de reabertura gradual do comércio busca atender, parcialmente, as expectativas dos varejistas com critérios de preservação da saúde pública. Nesta primeira fase, uma carga horária de atendimento ao público fará parte das restrições a serem seguidas por shoppings e demais estabelecimentos comerciais. Conforme os protocolos definidos pelos gestores, fica restrito, no período das 8h às 10h, o acesso exclusivo para idosos, deficientes e pessoas que tenham comorbidades. A partir das 10h até as 17h, o funcionamento fica aberto para todos os públicos. :: LEIA MAIS »

MP pede que município distribua merenda escolar para estudantes durante pandemia

O Ministério Público estadual, por meio do promotor de Justiça Jailson Trindade Neves, acionou o Município de Igaporã para que os gêneros alimentícios já adquiridos ou que vierem a ser adquiridos em processos licitatórios sejam distribuídos pela administração municipal aos estudantes durante a pandemia do coronavírus. “O Município deve observar todas as medidas de segurança quanto à prevenção do contágio do Covid-19, adotando, por exemplo, um sistema de rodízio e descentralização no processo de entrega, bem como acompanhamento e fiscalização por parte do Conselho de Alimentação Escolar (CAE)”, destacou o promotor de Justiça Jailson Trindade.

Na ação, o MP requer também que a administração municipal faça a distribuição dos alimentos de forma a evitar aglomerações de pessoas e proibindo, por parte dos beneficiários, a venda dos alimentos ou a sua destinação a finalidade diversa que não seja a alimentação dos alunos. Além disso, o Município deve apresentar ao MP os extratos relativos aos recursos provenientes do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) que se encontram disponíveis em conta específica. (MP)

Policlínica Regional de Feira de Santana ficará fechada por 14 dias

Policlínica Regional do Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Feira de Santana

Foto: Paulo Silva

A Policlínica Regional de Feira de Santana ficará fechada por 14 dias, a partir desta quinta-feira (23), para que 26 funcionários que testaram positivo para o novo coronavírus fiquem em isolamento domiciliar. As policlínicas suspenderam as atividades em toda a Bahia no início da pandemia de Covid-19 como forma de conter o avanço da doença. Por entender que as unidades oferecem serviços essenciais para a população, os Consórcios de Saúde avaliam periodicamente o cenário epidemiológico visando a reabertura. As decisões de reabertura ou não ocorrem nas Assembleias com os prefeitos ou seus representantes. E após reaberto, como critério de monitoramento, as equipes que atuam nos equipamentos, incluindo agentes de segurança e motoristas, são submetidos a exames para detecção do vírus a cada 15 dias.

“Toda a região de Feira de Santana apresentou um aumento no número de casos nas últimas semanas e isso reflete também entre os funcionários, que se deslocam todos os dias para suas residências e convivem com outras pessoas. Como desses 26 a maior parte compõe as equipes de enfermagem e radiologia, o funcionamento da policlínica ficou limitado e o consórcio de saúde da região optou pelo fechamento total da unidade por 14 dias, retornando após o fim da quarentena dos funcionários”, explica Joana Molesini, coordenadora de gestão regionalizada da Secretaria da Saúde (Sesab).

Cerca de 20 mil pacientes já foram atendidos nas 14 policlínicas que retomaram os serviços depois de terem sido fechadas como forma de conter o avanço da pandemia de Covid-19 no Estado. As unidades estão disponíveis para mais cinco milhões de baianos nas regiões de Alagoinhas, Barreiras, Guanambi, Irecê, Itabuna, Santo Antônio de Jesus, Teixeira de Freitas, Paulo Afonso, Juazeiro, Vitória da Conquista, Jacobina, Simões Filho, Senhor do Bonfim e Feira de Santana, onde estão instaladas. :: LEIA MAIS »

Governo estabelece toque de recolher em seis municípios e prorroga medida em Juazeiro

Decretos publicados no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (23) estabelecem toque de recolher nas cidades de Cachoeira, Coribe, Correntina, Poções, Santa Maria da Vitória e São Félix, e prorroga medida no município de Juazeiro, que terminaria na quarta (22). Os dois novos decretos têm validade até o dia 29 de julho. A ação adotada pelo Governo do Estado visa conter o avanço da contaminação pelo novo coronavírus no interior da Bahia.

Segundo o Governo, nos municípios fica estabelecida a restrição de locomoção noturna, vedados a qualquer indivíduo a permanência e o trânsito em vias, equipamentos, locais e praças públicas, das 18h às 5h. :: LEIA MAIS »

José Ronaldo fala sobre eleições, indicação do vice-prefeito e seu futuro político

José Ronaldo de Carvalho

Ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho (DEM).

Em uma live com o jornalista Girlanio Guirra, nesta segunda-feira (20), o ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho (DEM), foi questionado se já tinha planejado tudo para as eleições deste ano. Ronaldo foi enfático. “Não. Como não sou candidato e, por isso, as coisas ficam mais distantes. Quando a gente é candidato, nós mesmos tomamos a frente do diálogo, das reuniões, de partidos político e de pré-candidatos à Câmara Municipal. Você se dedica com mais intensidade e muito mais força quando você é o candidato. Já quando você não é o candidato, você participa, mas não é o protagonista e sim um participante. É diferente. Tenho conversado com pessoas nesses últimos tempos só por celular, mas não tem aquela força que tinha quando a gente está na frente de tudo. Mas o número de pessoas que me procura é muito grande e temos trocado ideias com elas”, disse.

Ronaldo ainda ressaltou que faltando oito dias para as convenções partidárias ficará mais atento. “É nessa época que começamos a respirar o processo político-eleitoral pra valer. Ele ainda abordou o fato de que estamos vivendo uma pandemia e por isso tudo está diferente. “Vamos para uma eleição totalmente diferente. Tudo indica que não teremos caminhadas. Se a gente conseguir ir para a rua, eu quero andar com meus amigos. Se não conseguir, vai ser via televisão, rádio e internet”, informou.

Partidos da base

Falando sobre o planejamento de sustentação dos partidos da base aliada, José Ronaldo afirmou que todas essas questões serão conversadas nas convenções. “Estamos tendo dificuldade de ter encontros, o que tem retardado muitas conversas. Mas isso, com certeza, em mais ou menos 25 dias, tudo deve se resolver. Haverá reuniões com os partidos políticos, com os pré-candidatos à Câmara Municipal de cada partido. Isso vai se esclarecendo nos próximos dias”, informou.

Escolha do vice

Ele falou sobre a escolha de um pré-candidato a vice-prefeito. Para ele isso não é um segredo como muitos dizem, mas uma estratégia política. :: LEIA MAIS »

Zé Neto responde afirmações de Lulinha sobre novo HGCA ser “anexo” do antigo hospital

Deputado Federal Zé Neto

Deputado Federal Zé Neto – Foto: Divulgação/Ascom

Em uma tréplica ao vereador Lulinha (DEM), o deputado federal e pré-candidato a prefeito em Feira de Santana, Zé Neto (PT), respondeu as críticas feita pelo vereador ao novo Hospital Geral Clériston Andrade chamando-o não mais de puxadinho, mas anexo do antigo HGCA. Neto disse que é uma polêmica pequena demais para o tamanho de Feira de Santana e as suas necessidades. “Em Feira de Santana estamos vendo um tipo de disputa em que a tentativa de degradar a imagem do adversário passa a ser o foco principal da forma de fazer política na cidade. Quando vejo alguns falando que é anexo ou puxadinho, eu fico pensando: se tivéssemos aqui a construção de uma sala para atendimento de saúde era pra todos nós aplaudirmos. Eu penso assim”, disse ao site Política In Rosa.

De acordo com Zé Neto, quem primeiro deu ideia de abrir um Hospital de Campanha em Feira de Santana no prédio do antigo Hospital Mater Dei foi ele e quando o município decidiu abrir o hospital ele passou R$ 3 milhões de emenda para abrir. “Aplaudi a abertura do hospital, reclamei quando estava muito atrasado, pois não tinha sentido passar mais de 60 dias para funcionar por conta de erros da própria engenharia do município que estava tocando a obra. Eram críticas produtivas que faziam com que as coisas funcionassem”, relatou.

Ainda de acordo com Zé Neto, ao invés de ficar reclamando, fazendo chacota ou tentando diminuir essa “grande construção” que é o HGCA 2 para Feira de Santana, eles deveriam estar se esforçando para abrir o seu Hospital Geral Municipal. “Já que estão há 20 anos no poder, deveriam fazer isso. Feira de Santana é a única cidade que tem mais de 500 mil habitantes no Brasil que não tem Hospital Geral Municipal. Agora fez muita falta. Tenho certeza que não foi por falta de dinheiro. Aliás, dinheiro sobrou aí em algumas situações que espero que eles possam logo logo fazer toda essa prestação de contas do que foi feito com esse recurso durante esses 20 anos. No mais, é trabalhar para que a gente possa conjuntamente enfrentar essa pandemia que precisa mais de forças conjuntas do que disse-me-disse”, finalizou.

PSOL protocola representação no MP solicitando plano de gestão da crise da Covid-19

PSOL protocola representação no MP solicitando plano de gestão da crise da Covid-19

Foto: Divulgação / Ascom

Marcela Prest, presidenta municipal do PSOL em Feira de Santana, e Wallace Silva, membro da direção partidária, estiveram na sede do Ministério Público do Estado da Bahia nesta terça-feira (21 de julho), para protocolar uma representação que trata da atuação do governo municipal diante da crise atual.

De acordo com o documento protocolado pelo PSOL, “a crise gerada pela pandemia da Covid-19 tem sido conduzida pela gestão municipal de maneira arbitrária. Os sucessivos decretos de reabertura do comércio local não foram acompanhados de justificativas e evidências científicas sobre a pertinência dessas decisões, acerca da escolha das atividades a serem retomadas e nem sobre a opção pelo momento específico para tal. Pelo contrário, existem indícios significativos de que tais decretos obedeceram menos a evidências dessa natureza e critérios técnicos e mais ao lobby de setores econômicos – Especialmente do grande empresariado comercial”.

Segundo o partido, a primeira reivindicação se relaciona com a necessidade de elaboração por parte do governo municipal de um plano de gestão da crise da Covid-19 em Feira de Santana. O documento destaca a necessidade, no âmbito desse planejamento, de “(i) definição de critérios transparentes para manutenção ou suspensão de atividades; (ii) definição de um método público para avaliação regular do cumprimento de tais critérios; (iii) classificação de atividades e áreas em função do diagnóstico do estágio da pandemia; e (iv) um cronograma com a projeção das etapas para gradativa superação da crise instaurada pela pandemia em vista”. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia