WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


.
.
PMSE---BANNER---SAO-JOAO-728x90

:: ‘Saúde’

Ministério da Saúde eleva em 51% o valor do auxílio a pessoas com transtorno mental

Ministério da Saúde eleva em 51% o valor do auxílio a pessoas com transtorno mental

Foto: Reprodução/Internet/MS

O Ministério da Saúde aumentou de R$500 para R$755 o valor mensal do auxílio-reabilitação psicossocial do Programa “De Volta para Casa” (PVC). O PVC, criado pelo Governo Federal em 2003, é um programa de reinserção psicossocial de pessoas egressas de longas internações em hospitais psiquiátricos e hospitais de custódia. O aumento, de 51%, vai contemplar todos os beneficiários desse programa. Atualmente, mais de 4.100 pessoas recebem mensalmente o benefício.

Essa estratégia busca favorecer a reinserção psicossocial por meio de um auxílio que garante mais conforto e estabilidade financeira. Com isso, amplia-se a rede de relações destas pessoas e o seu bem-estar, além de estimular o pleno exercício dos seus direitos civis, políticos e de cidadania.

Saúde mental como prioridade

Tema caro à ministra da Saúde, Nísia Trindade, em 2023, ela determinou a criação de um departamento especial para tratar sobre saúde mental. Em caráter imediato, a pasta retomou a habilitação de novos serviços de saúde mental, bem como iniciou a recomposição do custeio dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e dos Serviços Residenciais Terapêuticos (SRTs).

Para reduzir vazios assistenciais e ampliar o acesso dos brasileiros ao cuidado e bem-estar, o novo Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC) vai construir 150 novos Caps em todas as regiões do país. Essa ampliação dos centros na Rede de Atenção Psicossocial do Sistema Único de Saúde (SUS) alcança municípios que juntos somam 13,4 milhões de pessoas. :: LEIA MAIS »

Contratos defasados levam Martagão Gesteira a readequar rol de serviços ofertados

Hospital Martagão Gesteira

Hospital Martagão Gesteira – Foto: Divulgação/Ascom

Instituição filantrópica, o Martagão Gesteira enfrenta, há anos, o desafio de angariar recursos para suprir um déficit mensal e poder ofertar saúde de qualidade a quem mais precisa. Em 2024, a estimativa era de um déficit de cerca de R$ 15 milhões. O recurso que é repassado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) não cobre os custos totais da operação do hospital, que atende milhares de pacientes de todo o estado, em 27 especialidades médicas.

Cada serviço ofertado no hospital é feito por meio de contratos com o poder público. Apesar de reajustes pontuais, há contratos que não são atualizados há mais de 10 anos. Toda essa situação vem sendo resolvida graças a receitas extraordinárias, especialmente com o apoio da bancada parlamentar baiana e doações de inúmeros apoiadores. Entretanto, a solução definitiva requer a revisão e atualização dos valores pactuados.

Especificamente para a UTI, o subfinanciamento do SUS e uma escassez de profissionais habilitados em pediatria criaram uma situação extremamente difícil. Diante deste cenário, essa defasagem contratual levou ao fechamento de uma UTI específica do hospital, com redução no quantitativo de cirurgias cardíacas a serem realizadas. Entretanto, o Martagão manterá outras duas UTI’s em pleno funcionamento.

Apesar de auxílios pontuais, como emendas parlamentares e contribuições da sociedade civil, a operação destes serviços torna-se impossível sem o efetivo equilíbrio dos contratos.

A interrupção de um determinado serviço é o último desfecho desejado pelo hospital, que já está em tratativas com seus contratantes para encontrar estratégias para que o serviço seja retomado em sua plenitude. Diante desta situação, o hospital irá readequar seu rol de serviços e intensificará cirurgias eletivas. Haverá um incremento de procedimentos como amigdalectomia, amigdalectomia com adenoidectomia, e as henioplastias epigastrica, incisional, inguinal, inguinal crural e umbilical. :: LEIA MAIS »

Primeiro transplante de pele do interior da Bahia é realizado no Hospital Clériston Andrade

Primeiro transplante de pele do interior da Bahia é realizado no Hospital Clériston Andrade

Foto: Divulgação/Ascom-HGCA

O Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), em Feira de Santana, realizou o primeiro transplante de pele do interior da Bahia, marcando um avanço significativo na medicina da região. A cirurgia foi conduzida pelo cirurgião plástico Francisco Anibal, com apoio da equipe do Núcleo de Atenção a Pessoas com Feridas (NAPF) e da Organização de Procura de Órgãos (OPO), além de uma equipe multiprofissional que segue cuidando da paciente que permanece internada e deve passar por pelo menos dois outros procedimentos semelhantes.

Segundo Anibal, “esse primeiro transplante de pele foi uma operação complexa, essencial para a recuperação da paciente. A pele, nossa primeira linha de defesa contra infecções e lesões, é vital para a sobrevivência, especialmente em casos de grandes perdas cutâneas”. Ele explicou que a pele transplantada, proveniente de um banco de pele em Porto Alegre, funcionou como um curativo biológico temporário, permitindo que o corpo da paciente se recuperasse clinicamente do trauma severo.

Rosa Maria Cordeiro, coordenadora do NAPF, destacou a gravidade da lesão inicial: “A paciente apresentava uma lesão extensa e necrosada que necessitou de cuidados intensivos e diversos procedimentos cirúrgicos, incluindo debridamento e terapia de pressão negativa. A equipe trabalhou incansavelmente para estabilizar a condição da paciente antes de proceder com o transplante”.

A operação foi um esforço conjunto que contou com a participação de diversos setores e profissionais da instituição. “Gostaria de expressar nossa gratidão aos colegas de Porto Alegre que, mesmo enfrentando dificuldades de transporte aéreo na região devido às enchentes, enviaram a pele necessária para essa cirurgia, mostrando o comprometimento em ajudar um paciente que nem conhecem. Foi um gesto de extrema solidariedade,” ressaltou Anibal. :: LEIA MAIS »

Governo Federal anuncia investimento na Atenção Primária da Bahia

Governo Federal anuncia investimento na Atenção Primária da Bahia

Foto: Leonardo Rattes/Saúde GovBA

O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, anunciou um investimento de mais de R$ 61 milhões na Atenção Primária à Saúde (APS) na Bahia, através da Portaria GM\MS nº 4.165, de 7 de junho de 2024, para o ano em curso. O recurso objetiva a ampliação de equipes e serviços em vários municípios baianos, com o objetivo de melhorar a qualidade do atendimento e ampliar a cobertura de saúde para a população.

O investimento na Atenção Primária da Bahia representa um avanço substancial na área da saúde. Com a criação de novas equipes, a reforma das UBS e a ampliação dos serviços, a população baiana poderá contar com um sistema de saúde mais robusto e eficiente em 2024. A iniciativa reforça o compromisso do governo em melhorar a qualidade de vida e o acesso à saúde para todos os cidadãos.

Expansão das Equipes de Saúde

O investimento do Governo Federal será distribuído entre três principais estratégias: equipes multiprofissionais, equipes de saúde da família e equipes de saúde bucal. No total, serão criadas 462 novas equipes de saúde, distribuídas da seguinte forma: Equipes Multiprofissionais: serão formadas 110 novas equipes em 104 municípios, com um impacto financeiro de R$ 19.140.000,00; Equipes de Saúde da Família: serão formadas 130 novas equipes em 40 municípios, com um impacto financeiro de R$ 24.252.000,00; Equipes de Saúde Bucal: serão formadas 222 novas equipes em 80 municípios, com um impacto financeiro de R$ 17.743.190,16.

A iniciativa beneficiará um amplo número de municípios, abrangendo tanto áreas urbanas quanto rurais. Entre os municípios contemplados estão grandes cidades como Salvador e Feira de Santana, bem como pequenos municípios como Aporá e Nova Canaã. Esta distribuição visa garantir uma cobertura de saúde equitativa em todo o estado. :: LEIA MAIS »

Empresa que vai implantar Hospital Municipal de Feira de Santana é anunciada pela Prefeitura

Hospital Cidade - Feira de Santana

Hospital Cidade – Feira de Santana – Foto: Ilustração/PMFS

Está definida a empresa vencedora da licitação para implantar o Hospital Cidade. A Metro Engenharia e Consultoria LTDA foi a selecionada e ficará responsável por obras de reforma, adequação e ampliação, incluindo a elaboração de projetos básicos e executivos de arquitetura, além de projetos complementares de engenharia. A informação foi publicada em edição do Diário Oficial desta quinta-feira (13).

O investimento total para o projeto é de R$ 24.444.780,26. Desta forma, este será o segundo hospital municipal em Feira de Santana. Além do Hospital da Mulher, a cidade contará com mais uma unidade hospitalar ampliando a capacidade de atendimento à população.

O prefeito Colbert Martins destacou a importância do novo hospital para a cidade. “Estamos empenhados em oferecer o melhor em saúde pública para a nossa população. Este novo hospital será equipado com tecnologia de ponta, visando atender com alta qualidade e eficiência. Serão criados novos leitos e serviços especializados, o que vai aumentar significativamente nossa capacidade de atendimento e a resolutividade dos casos”, anunciou.

De acordo com o projeto, o pavimento térreo do novo hospital será dedicado ao setor administrativo e ao ambulatório, que contará com 10 consultórios, salas de eletrocardiograma, ultrassonografia, telemedicina, entre outros serviços. Enquanto o andar superior será equipado com seis salas de cirurgia, posto de enfermagem, farmácias e 12 leitos de internação.

O Hospital Cidade será instalado onde atualmente funciona a Secretaria Municipal de Saúde – avenida João Durval Carneiro. O terreno possui aproximadamente 6.439,61 m², enquanto a área construída é de 3.052,40 m². :: LEIA MAIS »

Hospital da Mulher reforça importância do Teste do Pezinho

Teste do Pezinho

Teste do Pezinho – Foto: Fatima Brandão

No Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, maior maternidade pública do interior da Bahia, são coletadas mais de mil amostras por mês para o Teste do Pezinho. O exame é crucial para a saúde dos recém-nascidos. A coleta é realizada através do laboratório de análises clínicas. É um procedimento simples e indolor que identifica doenças graves em seus estágios iniciais, permitindo o tratamento oportuno e evitando sequelas e até mesmo o óbito.

A importância do exame está sendo reforçada durante todo este mês em alusão ao Dia Nacional do Teste do Pezinho, celebrado no último dia 6 de junho. A bioquímica Edneide Fonseca de Aquino explica que o Teste do Pezinho faz parte do Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN) e visa detectar precocemente distúrbios metabólicos, genéticos e infecciosos que podem ser assintomáticos nos primeiros dias de vida.

“Realizamos a coleta de sangue para o Teste do Pezinho diariamente nos bebês internados no HIPS e nos recém-nascidos da unidade pós-alta. Em média, coletamos 35 amostras por dia. No Dia Nacional do Teste do Pezinho, foram coletadas 30 amostras que foram enviadas à APAE e os resultados estarão disponíveis em até 10 dias”, informa Edneide.

Através de algumas gotas de sangue coletadas do calcanhar do bebê, o Teste do Pezinho permite identificar diversos perfis de doenças, incluindo anemia falciforme e fibrose cística. O diagnóstico precoce, conforme ressalta o pediatra neonatologista Bruno Sena, é fundamental para garantir a qualidade de vida das crianças.

“Os testes devem ser realizados preferencialmente entre o terceiro e o quinto dia de vida, mas, em casos excepcionais, podem ser feitos até um mês após o nascimento. O diagnóstico e o tratamento tardios podem levar a sequelas e comprometer a saúde da criança”, detalha Bruno.

A presidente da Fundação Hospitalar, Gilberte Lucas, enfatiza o compromisso da instituição com a saúde materno-infantil e a importância do Teste do Pezinho. :: LEIA MAIS »

Mantenedora do Martagão assumirá gestão do Hospital Materno-Infantil de Alagoinhas

Hospital Materno-Infantil de Alagoinhas

Foto: simulação da fachada do hospital

A Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, mantenedora do Martagão Gesteira, expandirá seu raio de atuação e assumirá a gestão do Hospital Materno-Infantil de Alagoinhas. A homologação do processo de licitação foi publicada no início do mês, no Diário Oficial do Município.

A previsão é que o hospital, que contará com uma maternidade de alto risco, centro de parto normal intra-hospitalar (CPN), ambulatório e 49 leitos, entre em funcionamento a partir de 28 de junho. A partir desta data, a população passará a ter acesso aos seguintes serviços: emergência, centro obstétrico, CPN, internação e ambulatório.

Com atendimento 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o hospital atenderá e acompanhará gestantes, parturientes, e puérperas, além de crianças com até 30 dias de nascidas. O atendimento será feito por demanda espontânea e regulação, abrangendo Alagoinhas e outros 22 municípios.

“Desde a sua origem, a Liga Álvaro Bahia sempre esteve voltada para o cuidado materno-infantil. Com essa nova operação, uma cessão de uso por dez anos, a entidade expandirá e aprimorará ainda mais sua expertise, oferecendo saúde de qualidade a quem mais precisa”, ressalta o superintendente geral da Liga, Carlos Emanuel Melo.

“O Hospital Materno-infantil de Alagoinhas nasce com uma grande força, um dos melhores atendimentos na saúde materno-infantil do interior da Bahia e, principalmente, porque vem com a gestão da mantenedora do Martagão Gesteira, que é aprovada por toda a Bahia e reconhecida como um dos melhores atendimentos pediátricos do nosso estado. Para Alagoinhas, é motivo de muito orgulho ter uma gestão do quilate e do calibre da Liga Álvaro Bahia”, afirma o prefeito do município, Joaquim Neto. :: LEIA MAIS »

Prefeitura lança campanha de incentivo à doação de sangue

Prefeitura lança campanha de incentivo à doação de sangue

Foto: Divulgação/PMFS

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana (PMFS), através da Secretaria Municipal de Saúde, promove a campanha Junho Vermelho, que incentiva a doação de sangue em parceria com o Hemoba. Durante todo o mês, serão realizadas atividades nas salas de espera das unidades de saúde, com o objetivo de estimular a doação e divulgar os locais de coleta.

A secretária de Saúde, Cristiane Campos, destacou a importância da iniciativa. “A campanha tem o objetivo de conscientizar a população a adotar o hábito de doar sangue. Este gesto de amor ao próximo é uma oportunidade de salvar vidas e garantir uma melhora na condição de saúde de pacientes hospitalizados”.

O Hemoba está localizado na Avenida Presidente Dutra e atende de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h, e aos sábados, das 7h30 às 12h30. Para ser um doador, é necessário estar em boas condições de saúde, pesar acima de 50 kg e ter idade entre 16 e 69 anos. Menores de 18 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsável legal, enquanto idosos acima de 60 anos só podem doar se já tiverem realizado doações anteriormente.

No dia da doação, o voluntário deve cumprir algumas recomendações: não estar em jejum, não ter ingerido bebida alcoólica nas 12 horas anteriores à doação e não ter fumado por pelo menos duas horas antes do procedimento. Também é essencial ter dormido pelo menos seis horas na noite anterior e evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação. Além disso, é necessária a apresentação de um documento com foto, emitido por órgão oficial e válido em todo o território nacional. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia