WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


:: ‘Legislativo Feirense’

Secretário de Comunicação do Estado receberá Título de Cidadão Feirense

Secretário de Comunicação do Estado da Bahia, André Curvello

Secretário de Comunicação do Estado da Bahia, André Curvello – Foto: Reprodução

O secretário de Comunicação do Estado da Bahia, André Nascimento Curvello, receberá o Título de Cidadão Feirense na Câmara Municipal de Feira de Santana. A outorga da honraria está prevista no Projeto de Decreto N° 017/2021, que foi aprovado por unanimidade na sessão desta quinta-feira (14).

Autor da proposição, o vereador Paulão do Caldeirão elogiou a forma como o secretário atende a imprensa feirense e destacou que o mesmo trouxe ‘desenvolvimento e crescimento a cidade’. “O atendimento à imprensa feirense sempre foi com competência, educação, humildade e simplicidade”, destacou.

André Curvello comanda a Secretaria de Comunicação do Estado desde 2014. Nos anos de 1993 e 1994, ele foi secretário de Comunicação de Feira de Santana no governo de João Durval Carneiro.

“Muitos vereadores sobem à tribuna e acham que podem falar o que quiser, mas não é assim”, diz corregedor da Câmara de Feira

Vereador Luiz da Feira (PROS) – Foto: site Política In Rosa / Anderson Dias

O vereador e corregedor da Câmara Municipal de Feira de Santana, Luiz da Feira (PROS), em entrevista ao site Política In Rosa, falou sobre relatos de vereadores de que estão existindo muitas quebras de decoro parlamentar por parte de alguns colegas.

Luiz informou que está agindo no regime da Casa e que já tem três processos em andamento na Corregedoria. “Estamos analisando essas situações. Fizemos uma comissão de vereadores para analisar junto com o advogado do corregedor para resolver essas situações na melhor maneira possível”, disse.

O corregedor pediu que os colegas tenham união, cautela e que saibam o que estão falando. “Para não ter esses xingamentos com nossos pares porque na Casa temos um regime. Já entreguei o livro que tem falando sobre decoro parlamentar a todos os vereadores para eles estudarem, saberem o que devem falar e o que não devem falar. Muitos vereadores sobem à tribuna e acham que podem falar o que quiser, mas não é assim.”, salientou.

Questionado sobre os processos que estão na Corregedoria, Luiz da Feira disse que já solicitou a todos os vereadores, em gabinete, para sentarem e ouvirem os denunciantes e os denunciados. “Ver a situação e como o Corregedor vai resolver ou até mesmo punir se necessário”, finalizou.

Silvio Dias fala que Câmara de Feira está diferente do que alguns estavam acostumados nos últimos 20 anos

Vereador Silvio Dias foto site Política In Rosa Anderson Dias

Vereador Silvio Dias (PT) – Foto: site Política In Rosa / Anderson Dias

O vereador Silvio Dias (PT), que é o primeiro vice-presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, expressou sua opinião a respeito de que alguns vereadores têm realizado sucessivas reclamações sobre o que pode ser quebra de decoro parlamentar em brigas que acontecem no Legislativo feirense. Questionado pelo site Política In Rosa sobre qual sua opinião em relação assunto, Silvio Dias disse que a Câmara de Feira está diferente do que alguns estavam acostumados nos últimos 20 anos.

“É uma Câmara que tem mais independência, há mais discussões em relação aos projetos que são apresentados aqui na Casa. E quando você tem essa possibilidade de discutir mais e dialogar mais, obviamente que em alguns momentos afloram algumas questões e em alguns momentos se passam um pouco dos limites. Mas é bom que se diga que essa temperatura alta é natural daqueles parlamentos que discutem. Do ponto de vista da discussão, eu coloco isso como natural. Mas sobre o excesso, isso tem que ser apurado pela própria Corregedoria da Casa que pode averiguar e caso havendo comprovação de alguma infração indisciplinar punir aquele vereador”, destacou.

Silvio salientou que não se pode ficar na Casa discutindo questões pessoais, buscando legislar em causa própria. “Isso tudo, obviamente, não faz parte do interesse público, do parlamento no caso especifico da Câmara de Vereadores de Feira de Santana. Mas é óbvio que é necessário que haja algum tipo de apuração até para que se evite que fatos dessa natureza voltem acontecer. Esse é o nosso posicionamento em relação aos acontecimentos na Câmara”, finalizou.

Vereador diz que existem sucessivas quebras de decoro parlamentar na Câmara de Feira

Vereador Professor Ivamberg foto site Política In Rosa Anderson Dias

Vereador Professor Ivamberg (PT) – Foto: site Política In Rosa / Anderson Dias

O vereador Professor Ivamberg (PT), em seu discurso na tribuna da Câmara Municipal de Feira de Santana, na última quinta-feira (23), reclamou sobre as sucessivas quebras de decoro parlamentar que ele disse estar acontecendo na Casa. Na opinião do vereador, o respeito tem que prevalecer. “Nós subimos a tribuna para discutir no campo das ideias, no que achamos que deve ser feito para Feira de Santana e trazendo sempre benefícios para a população. Acho que desrespeitar o colega na sua pessoa não é legal. Quando eu fiz aquela observação foi chamando a atenção dos colegas vereadores de que a gente tem que se respeitar mutuamente. Uma coisa sou eu discordar de uma ideia sua. Respeito, mas discordo. Outra coisa sou eu partir para ofensas pessoais porque discordo do seu posicionamento. Isso não pode acontecer”, declarou.

No entendimento do vereador Ivamberg, o que acaba acontecendo em certos momentos na Casa é quebra de decoro. “Às vezes, involuntariamente alguns vereadores fazem e não sabem da gravidade do que está sendo feito. Por isso que eu cobrei ao corregedor, vereador Luiz da Feira, que fique atento a isso. Temos que primar pelo respeito mútuo aqui nesta Casa”, enfatizou.

Questionado sobre se esse tipo de comportamento de alguns colegas estaria diminuindo o parlamento e de como a população está vendo o desenvolvimento da Casa, Professor Ivamberg disse que vê diversos comentários a esse respeito. “Acho que, historicamente, talvez, a Câmara não tenha sido independente como está sendo agora. Por exemplo, as coisas que chegavam aqui do Executivo eram de pronto colocados e aprovados. Agora a gente discute emendas e vê o que é melhor. Isso realmente tem causado algumas discordâncias. O que a gente espera e pede é que essas discordâncias no plano das ideias não vá para o plano pessoal. Isso realmente leva a população a ter uma imagem da Câmara como não deveria ter. Mas acho que a gente também tem que chamar atenção dessas discordâncias porque a Câmara é independente e está havendo mais discussão nesse sentido”, falou. :: LEIA MAIS »

Presidente da Câmara de Feira confirma encontro com Colbert Filho e diz: “Não somos inimigos”

Vereador e presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, Fernando Torres (PSD).

Vereador e presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, Fernando Torres (PSD).

O presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, vereador Fernando Torres (PSD), em seu pronunciamento na manhã desta terça-feira (28), informou que teve um encontro com o prefeito Colbert Filho na casa do vice-líder do Governo, vereador Pedro Américo (DEM). Torres afirmou que o encontro foi na semana passada e que houve uma conversa cordial sobre Feira de Santana, por aproximadamente uma hora, e assegurou que nada foi premeditado.

Ele falou que foi à casa de Pedro Américo a convite e logo depois o prefeito Colbert Filho apareceu no local. “Sou presidente da Câmara e ele o prefeito. Não somos inimigos, temos pensamentos diferentes”, disse.

Torres considerou normal a conversa e garantiu que a sua opinião sobre o Governo continua a mesma. “Vamos continuar cobrando educação melhor, saúde melhor”, afirmou.

Vereador faz avaliação negativa da atual legislatura e comenta sobre telhado quebrado: “lamentável”

Foto Anderson Dias site Política In Rosa - Vereador Lulinha olhando telhado quebrado

Foto: Anderson Dias / site Política In Rosa

O vereador Lulinha da Conceição (DEM), em entrevista ao site Política In Rosa, fez uma avaliação negativa da atual Legislatura da Câmara Municipal de Feira de Santana em algumas questões. “Existe um desgaste muito grande que a Casa está tendo em Feira de Santana, na Bahia e no Brasil. Hoje a Câmara Municipal de Feira de Santana está servindo de chacota por causa dos problemas que vem acontecendo. Do atropelamento ao Regimento Interno, dos xingamentos voltados para o lado pessoal, atingindo o decoro parlamentar e a Corregedoria não toma nenhuma providência necessária para que possa acabar com isso. Ficamos tristes porque a Câmara Municipal era referência no Brasil”, declarou.

Lulinha preferiu não julgar a gestão do presidente da Casa, Fernando Torres. “O povo é quem vai dizer e julgar o que está acontecendo nesta Casa. Se o presidente está fazendo um bom mandato ou não, se os vereadores estão agindo corretamente ou não, a população é quem vai julgar. Não vou julgar e nem dar nota, pois quem vai dar nota é o povo”, afirmou.

Telhado quebrado

Sobre o telhado do pátio da Casa que está quebrado há alguns meses, Lulinha disse que é lamentável porque a Câmara tem muitos recursos. “O presidente tem dito que a Câmara tem juntado muito dinheiro. Ele inclusive queria doar viaturas para o Município e para o Estado. Com tantos recursos e tantas economias na Casa o telhado está nessas condições. Estão economizando o papel oficio, diminuindo a quantidade de pessoas trabalhando, entre outros. Os vereadores não têm mais a autonomia que tinha para atender a demanda da população que vem aos seus gabinetes”, disse.

Lulinha relatou que espera que o presidente possa fazer uma licitação e que possa realmente consertar o telhado. O buraco fica no local onde existe um elevador para que pessoas com deficiência tenham livre acesso na Casa. “Acredito que já deve ter um projeto para fazer uma licitação. Essa Casa precisa de melhorias na parte dos jardins e no prédio anexo. O pessoal cobra muito que o prédio anexo precisa de pintura, limpeza, trocar os mobiliários de vários gabinetes que muitos estão velhos, quebrados e poderia ser trocado também. Se tem o recurso e há alguns meses atrás parece que tinha mais de R$ 2 milhões. Quanto será que tem hoje de recurso nessa Casa? A Casa tem patrimônio”, enfatizou.

Vereador afirma que existe possibilidade de assumir Secretaria

Vereador Pedro Américo (DEM)

Vereador Pedro Américo (DEM)

O vereador Pedro Américo (DEM), em entrevista ao site Política In Rosa, informou que há conversas sobre a possibilidade de ser secretário e abrir a sua vaga no Legislativo feirense para o suplente de vereador Marcos Lima (DEM). “Faço parte de um grupo político e ele tem um espaço. Hoje o secretário Pablo Roberto é uma pessoa que eu defendo, atuo e ele será candidato a deputado. Por isso ele deverá se afastar das atividades de secretário porque a Lei preconiza isso. Existe um interesse do grupo e também um debate que fazemos com a sociedade de que eu possa substituí-lo nessa missão”, disse.

Pedro ressaltou que sempre disse que quando se faz parte de um grupo, você não toma uma decisão sozinho. “Se meu grupo entender, as pessoas que fazem política conosco nos bairros e nas comunidades entenderem, o prefeito Colbert Filho também entender e de fato fazer esse convite, eu aceitarei”, falou.

O vereador ressaltou que, quando se elegeu, foi com o interesse de fazer o melhor por Feira de Santana. “Acho o espaço na Câmara importante apesar de toda confusão, de todos os conflitos que estamos tendo e a sociedade tem visto. As acusações levianas, algumas gritarias. Mas a Câmara tem um papel importante e a gente precisa cuidar disso. Sendo secretário ou vereador quero fazer o melhor para Feira, para a população e deixar na história marca do nosso trabalho e o do nosso grupo político”, afirmou.

Questionado se houve convite do prefeito para que ele assuma uma Secretaria, Pedro Américo disse que não houve um convite formal. “Houve uma sondagem. Nós conversamos sobre a questão de Marcos Lima e o próprio também conversou com o prefeito no interesse de retornar a Câmara de Vereadores. O prefeito ligou me consultando, quando Marcos Lima esteve conversando com ele, se havia interesse da minha parte e eu disse que não poderia tomar essa decisão sozinho. Ainda disse que quando ele tivesse de fato uma formalização desse pedido e de qual seria o meu espaço, onde a gente pode contribuir, poderia falar comigo. Não quero ser secretário de qualquer forma. Não quero ir para um lugar onde eu não possa contribuir com a cidade”, relatou. :: LEIA MAIS »

“Só quem tem direitos na Casa é o grupo do presidente”, dispara Jurandy Carvalho

Vereador Jurandy Carvalho

Vereador Jurandy Carvalho (PL)

O vereador governista Jurandy Carvalho (PL) reclamou do tratamento que os vereadores que não são aliados do presidente da Casa, o vereador Fernando Torres (PSD), recebem. Segundo Jurandy, muitas vezes eles são até cerceados de falar. “A imprensa está aqui vendo isso. Nós temos os nossos horários trocados. Eu, no caso, que sou líder do partido PL, tenho o meu horário trocado”, reclamou o vereador em entrevista concedida ao site Política In Rosa.

Jurandy falou ainda que a Câmara Municipal de Feira de Santana virou uma ditadura onde não se cumpre o Regimento Interno e a Lei Orgânica do Município. “Não se cumpre nada aqui nessa Casa. E, muitas vezes, tenta-se jogar a bola para o grupo dos sete. O que o grupo dos sete quer é que se cumpra o Regimento Interno, que as coisas sejam feitas de forma clara e objetiva e que nós possamos cumprir o nosso verdadeiro papel de vereador, que é o de legislar, fiscalizar o Executivo e fazer leis. Esse é o papel do vereador aqui”, disse Jurandy.

De acordo com Jurandy, alguns vereadores estão trocando as bolas, principalmente os que pertencem a Mesa Diretiva da Casa. “Não se cumpre nada do Regimento Interno. Basta fazer uma análise com olhos clínicos do que é o Regimento Interno e a Lei Orgânica que irão chegar lá. Ninguém quer dar golpe em ninguém, o que queremos é trabalhar”, relatou.

Ainda de acordo com Jurandy, a Câmara é um colegiado, um poder independente da Prefeitura, mas estão travando uma guerra com o Poder Executivo. “Aqui há uma guerra de um grupo contra o prefeito que quer botar a Casa toda sub judice”, declarou. Carvalho disse também que há um estudo de todos os vídeos das transmissões da Câmara com as assessorias jurídicas dos sete vereadores para pegar onde teve as falhas e ingressar na Justiça pedindo a destituição da Mesa Diretiva da Casa. “É uma falha coletiva”.

Questionado se da forma que é conduzida a Casa é uma ditadura, como ele mesmo havia dito antes, Jurandy Carvalho disse que tem muito respeito pelo presidente Fernando Torres. “Do jeito que ele tem conduzido a Câmara nos últimos dias já passa de ser uma ditadura. O que existe são privilégios para uns e lei de regime militar para outros”, disparou. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia