WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


PMFS-Fala Feira 156

:: ‘Mulher’

Sociedade civil elege novos representantes para Conselho da Mulher

Sociedade civil elege novos representantes para Conselho da Mulher

Foto: Jorge Magalhães

Representantes de diversos segmentos organizados da sociedade civil elegeram, na manhã desta quarta-feira, 12, os novos membros do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher de Feira de Santana. A votação ocorreu na Casa dos Conselhos, no bairro Kalilândia, sob a coordenação de membros da Comissão Eleitoral. A eleição é para representantes de seis segmentos. Pelo segmento de Instituições Religiosas concorrem o Dispensário Santana e Cáritas Diocesana de Feira de Santana. Já no segmento de Entidades de Classe – Sindicato Rural concorrem Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar do Município de Feira de Santana.

Pela entidade de classe – sindicato urbano, houve vacância. Para representar as Instituições de Defesa da Igualdade Racial concorre o Núcleo Cultural Educacional e Social Quilombola – Odungê. Pelo segmento de associação de mulheres estão na disputa a Associação Cristã Beneficente Nossa Senhora de Humildes (ACBNSH), o Coletivo de Mulheres (COMU), a Associação Feminina do Feira X e a Associação dos Moradores do Povoado de Tanquinho e Adjacências (Ampota). E representando as faculdades a Pitágoras.

A presidente da Comissão Eleitoral, Cassilda Miranda da Silva, considerou que a votação ocorreu em clima de tranquilidade. E para garantia do sigilo do voto, foi instalada uma cabine eleitoral para preenchimento dos votos por categoria e colocada urna eleitoral. A votação foi realizada no período da manhã. Outros sete representantes governamentais serão indicados pelo Poder Executivo. O mandato, será para o período de 2019 a 2021. Já a escolha da nova presidente, em substituição a Maria Josailma Ferreira Lima Santos, será após a posse dos conselheiros.

Camaçari terá unidade da Casa Abrigo da Mulher

Camaçari terá unidade da Casa Abrigo da Mulher

Foto: Divulgação

Fruto do empenho do município na procura por consolidar a rede de proteção à mulher, Camaçari sai exitosa na seleção para acolher uma Casa Abrigo da Mulher Regional junto à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) da Bahia, quarta a ser implantada no estado. A notícia foi dada durante encontro de gestores e técnicos da assistência social de municípios baianos e do Governo do Estado, para reuniões da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), realizada em Salvador, nesta segunda-feira (19). A iniciativa é um passo importante na assistência às mulheres vítima de violência doméstica, e é destinada a casos em que há risco iminente de morte. Vão ser disponibilizadas 20 vagas e a previsão de funcionamento da unidade é para 2019. As mulheres serão amparadas de forma sigilosa e assistidas por uma equipe composta por psicólogo, assistente social, além da assessoria jurídica. De acordo com Bela Batista, coordenadora do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), que esteve presente no evento, “por conta dos altos índices de violência, serviços como esses são essenciais”, disse, ao acrescentar: “ainda é grande o número de mulheres que por medo e vergonha dos agressores não procuram ajuda”.

Para ser contemplado, o município deve atender a diversos critérios, dentre os quais, possuir uma rede de saúde estruturada, um centro de referência de atendimento à mulher, ter Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) e órgãos do sistema de justiça implantados. Além de Camaçari, outros quatro municípios estavam aptos a serem selecionados e a demonstrarem interesse, são eles: Salvador, Candeias, Lauro de Freitas e Simões Filho, mas apenas um foi selecionado. Fruto do empenho do município na procura por consolidar a rede de proteção à mulher, Camaçari sai exitosa na seleção para acolher uma Casa Abrigo da Mulher Regional junto à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) da Bahia, quarta a ser implantada no estado. A notícia foi dada durante encontro de gestores e técnicos da assistência social de municípios baianos e do Governo do Estado, para reuniões da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), realizada em Salvador, nesta segunda-feira (19).

A iniciativa é um passo importante na assistência às mulheres vítima de violência doméstica, e é destinada a casos em que há risco iminente de morte. Vão ser disponibilizadas 20 vagas e a previsão de funcionamento da unidade é para 2019. As mulheres serão amparadas de forma sigilosa e assistidas por uma equipe composta por psicólogo, assistente social, além da assessoria jurídica. De acordo com Bela Batista, coordenadora do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), que esteve presente no evento, “por conta dos altos índices de violência, serviços como esses são essenciais”, disse, ao acrescentar: “ainda é grande o número de mulheres que por medo e vergonha dos agressores não procuram ajuda”. Esse foi um importante passo para contar com a Casa Abrigo da Mulher e possibilitar a assinatura do Termo de Aceite no dia 23 de agosto, um dia antes da data limite para oficializar o desejo de contar com o espaço de acolhimento. O documento formaliza a adesão do município ao cofinanciamento estadual para a oferta do serviço. A iniciativa também tem contrapartida do Governo Federal.

129 casos de câncer de mama registrados em Feira de Santana até agosto

129 casos de câncer de mama registrados em Feira de Santana até agosto

Foto: Reprodução

O número de casos de câncer de mama continua crescendo em Feira de Santana, onde somente até agosto deste ano já foram computados 129 registros. O alerta foi feito pelo Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher (CMDDM), na manhã desta  terça-feira (30), durante apresentação dos dados estatísticos sobre a doença no município, na Casa dos Conselhos, no bairro Kalilândia. Os dados estatísticos foram apresentados pela enfermeira Mara Luiza Rios, referência técnica em avaliação e monitoramento, da Secretaria Municipal de Saúde. Ela relatou os registros referentes ao monitoramento no período entre 2015 a agosto de 2018 e observou que as ocorrências vêm crescendo.

Para se ter idéia da situação, conforme observou a enfermeira, em 2015 foram registrados 141 casos de câncer de mama enquanto em 2016 o número saltou para 178 casos. Já em 2017 foram computados 227 notificações. E até agosto já são 129 casos, sendo que ainda não foram incluídos os casos notificados durante o período da campanha Outubro Rosa. Dentre os casos registrados, o maior número entre as mulheres com idade entre 40 a 49 anos, com 36 casos, seguido por 25 mulheres com idade entre 50 a 59 anos. “O que nos surpreendeu foi o registro de acontecimentos precoces de dois casos com mulheres entre 15 a 19 casos”, revelou. Logo após a apresentação, o psicólogo Isaac Vinas, do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), ressaltou o papel preventivo da equipe multidisciplinar que compõe o serviço desenvolvido pelo Município.

Guarda Municipal de Alagoinhas será comandada por uma mulher

Renata Fortaleza

Foto: Arquivo Pessoal

A Guarda Civil Municipal de Alagoinhas (GCM) tem, a partir desta terça-feira (11), o comando de Renata Fortaleza. A nomeação se deu após Allan Mattos ter encaminhado, nesta segunda-feira (10), ao prefeito Joaquim Neto, o seu pedido de exoneração do comando da instituição por motivos pessoais. A solicitação foi aceita pelo prefeito, que na oportunidade, destacou o seu empenho durante o período em que esteve à frente da corporação. Renata Fortaleza é psicóloga credenciada pela Polícia Federal, possui Pós-Graduação em Saúde Mental e Atenção Psicossocial e tem obtido grande destaque no município no comando das operações da Patrulha Maria da Penha, criada pela atual gestão em setembro de 2017, como parte das ações afirmativas voltadas à defesa dos direitos das mulheres.

Para a presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Mulheres de Alagoinhas, Juci Cardoso, a nomeação de Fortaleza é uma grande notícia para as mulheres, não só de Alagoinhas como de todo o estado. “Fortaleza é uma referência de luta para o movimento de mulheres de todo estado.  Temos agora como comandante da Guarda, uma pessoa comprometida com as demandas da população como um todo, que tem executado, com muita sensibilidade, um excelente trabalho frente à Patrulha Maria da Penha e contribuído, de forma eficaz, no debate sobre a violência doméstica e familiar em todo o território”, comemorou. “É preciso reconhecer a coragem e o compromisso do prefeito Joaquim Neto em reconhecer a grande profissional que ela é. A criação da Patrulha já foi um grande avanço da sua  gestão, e a nomeação de Renata mostra que está valendo luta, significa que estamos conseguindo alcançar os objetivos pelos quais todas lutamos, ocupando espaços que antes eram só dos homens.”, finalizou Juci Cardoso.

Com 14 anos de corporação, Renata Fortaleza  também é responsável pela Formação do Núcleo de Atenção Básica psicológica da GCM, fez parte da formação do projeto do Ministério da Justiça para a compra das viaturas da GCM e é integrante do Comitê Interinstitucional de Segurança Pública (CISP).

Seminário de Enfrentamento à Violência Contra Mulher é realizado em Candeias

Seminário de Enfrentamento à Violência Contra Mulher é realizado em Candeias

Seminário de Enfrentamento à Violência Contra Mulher

A Prefeitura de Candeias, por meio do Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM), em parceria com o Ministério Público, promoveu na manhã desta segunda-feira (23), na Câmara Municipal, o “I Seminário de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher”. O evento teve o objetivo de empoderar às mulheres, garantindo que possam estar cientes sobre a luta pelos seus direitos e a total igualdade entre os gêneros. Para a Secretária, Joelma Aneide, é preciso discutir e fazer políticas públicas para enfrentamento à violência contra a mulher. “Nós temos no município um órgão voltado para isso, para o atendimento a vitimas de violência e combate e propagação de informação. O CRAM”, explica Joelma.

A Secretária Estadual de Políticas Públicas Para Mulheres (SPM), Julieta Palmeiras, informou que o Feminismo representa união contra a desigualdade de gênero. “É preciso unir governo e sociedade contra a violência à mulher, no combate e enfrentamento à violência. Nós precisamos nesses momentos fazer com que as mulheres ocupem mais espaços, pois é a forma de dar celeridade à essa luta”, pontuou.

De acordo com a Coordenadora do CRAM, Glória Santos, o ataque nas redes sociais também é violência. “Quando minhas irmãs chegam machucadas no CRAM, eu sou violentada. Sou violentada todos os dias quando vivencio mulheres no poder sendo menosprezadas e discriminadas”, finaliza Glória.

O evento contou com a participação Promotora de Justiça e Coordenadora do GEDEM. Lívia Sant’ana que compôs a bancada junto com a Secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Joelma Aneide e a Coordenadora do CRAM, Maria da Glória. A mesa foi composta pela Secretária de Saúde, Soraia Cabral, a Secretária de Serviços Públicos, Marivalda da Silva, a Delegada da Delegacia da Mulher de Candeias, Dr. Iola Nolasco, a Delegada Plantonista, Dr. Graça, Assistida pelo CRAM, Leyla Abade, a Secretária Estadual de Políticas Públicas Para Mulheres (SPM), Julieta Palmeira, vereadores, dentre outros.

Ipiranse destaca-se em realizar projeto sobre prevenção à violência doméstica contra a mulher

Ipiranse destaca-se em realizar projeto sobre prevenção à violência doméstica contra a mulher

Projeto sobre prevenção à violência doméstica contra a mulher

Na última terça-feira (05), a bacharelanda em Serviço Social da Universidade Leonardo da Vinci (UNIASSELVI), Ana Dourado, colocou em prática seu Projeto intitulado “O papel do Serviço Social frente às mulheres em situação de violência doméstica e falta de direcionamento para a ascensão pessoal e profissional”. O referido projeto foi aplicado no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS Queimadinha), na cidade de Feira de Santana, local onde Ana Dourado atua como estagiária desde 2017, sob supervisão da assistente social Nádia Maciel Rios.

A bacharelanda disse que, durante seus estudos, constatou que boa parte das mulheres que sofriam ou sofrem violência doméstica, muitas das vezes, vivem nesta situação por não ter condições psicológicas e financeiras de se libertar, pois, dentre as consequências da violência doméstica estão o rompimento do amor próprio e da autoestima, bem como a falta de vontade de participar de cursos de profissionalização, para que não dependam financeiramente do agressor.

Partindo desse pressuposto, Ana Dourado criou o projeto supracitado objetivando promover esclarecimentos no que diz respeito à violência doméstica contra a mulher, além de fomentar a autoestima e a inserção da mulher no mercado de trabalho. Além de promover conhecimentos, a ação também proporcionou momentos de descontração para as mulheres envolvidas, sobretudo com a entrega dos brindes de maquiagens e produtos de cabelo, a fim de reforçar ainda mais o tema autoestima e autovalorização.

O evento contou com a participação de Chris Brito (ex-vítima de violência doméstica e idealizadora do projeto Amar não dói) e Daniela Lima, mais conhecida como Dany Pimentinha (ex-vítima de violência doméstica e sexóloga), que deram contribuições significativas prestando esclarecimentos ao público presente.

Marcelo Nilo diz que não aceita chapa majoritária sem uma mulher

Filiação de Nilo para o PSB

Filiação de Nilo para o PSB

Em seu discurso na solenidade de filiação ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), o deputado estadual Marcelo Nilo reforçou a presença de Lídice da Mata e de Jaques Wagner como candidatos ao Senado na chapa majoritária e destacou que não se deve mexer em time que está ganhando. “Ser técnico da Seleção Brasileira é bem difícil. Você tem excelentes jogadores, mas só tem 11 vagas. O governador Rui e Wagner estão nessa situação. Tem bons nomes para compor a chapa. Mas não vejo uma chapa sem uma mulher. Não aceito ter uma chapa montada sem ouvir o povo da Bahia. O povo é soberano”, defende.

O secretário-geral do PSB e ex-deputado federal, Domingos Leonelli, também defendeu a reeleição da senadora na chapa do governador Rui Costa. “Muito importante para a Bahia que Lídice da Mata continue senadora ao lado do ex-governador Jaques Wagner”, afirma Leonelli.

Edital Março Mulheres está com inscrições abertas

Começou, nesta segunda-feira (15), a inscrição para o Edital Março Mulheres 2018, lançado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado da Bahia (SPM). Este ano, os investimentos dobraram em relação a 2017, totalizando R$ 400 mil reais.

A Chamada Pública 01/2018 foi publicada no Diário Oficial do Estado, na sexta-feira (12). O Edital Março Mulheres selecionará até 13 projetos de organizações da sociedade civil, que contribuam para fomentar a autonomia, o empoderamento, a promoção e defesa dos direitos das mulheres, além da prevenção e do enfrentamento à violência de gênero.

O Edital, preferencialmente, beneficiará mulheres que integram famílias cuja renda per capita mensal é inferior a meio salário mínimo ou que possuírem renda familiar de até três salários mínimos. Os projetos deverão atender integrantes de comunidades quilombolas, povos tradicionais de terreiros, comunidades rurais, grupos culturais e associações produtivas.

Pela primeira vez a área de Produção Cultural faz parte do Edital. Os projetos apoiados deverão estar distribuídos em três modalidades: Feira de Inclusão Produtiva; Pequenos Empreendimentos com aquisição de equipamentos, além de Produção Cultural –Mulheres Criativas. Outras informações podem ser obtidas no site da SPM.

CÂMARA DE VEREADORES_somos parceiro_banner de site Política in Rosa - 500x500 gif


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia