WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


.
.
PMSE---BANNER---SAO-JOAO-728x90

:: ‘energia solar’

Promotoria de Feira de Santana ganha usina de energia solar e se torna autossustentável

Promotoria de Feira de Santana ganha usina de energia solar e se torna autossustentável

Foto: Divulgação/MP-BA

Mais uma miniusina do sistema de energia solar fotovoltaica do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) entrou em funcionamento ontem, dia 6, na Promotoria de Justiça Regional Feira de Santana – Sede Promotor de Justiça Cristiano Chaves de Farias. Com 679 placas solares instaladas na cobertura do prédio e do estacionamento, a usina de Feira terá capacidade para suprir todo consumo de energia da unidade, gerando uma média mensal estimada em 38.580,4KWh, aproximadamente duas vezes maior que o histórico de consumo médio da Promotoria. O excedente será aproveitado em outras sedes da instituição. Com Feira, o MP chega a cinco unidades onde estão instaladas miniusinas fotovoltaicas, cuja geração representará um percentual médio de 22% do total de energia consumida pela instituição em todo o estado.

Durante o lançamento da usina, o procurador-geral de Justiça Pedro Maia anunciou que o MP baiano deverá chegar, até 2026, a uma capacidade de geração de energia solar que cobrirá 70% do consumo de toda a instituição. “Pelo meio ambiente, por um planeta sustentável, para o desenvolvimento de nossa sociedade sustentável, o MP da Bahia também adota como prática uma linha de caminhar para ter 100% de sua energia consumida através de fontes renováveis, como a energia solar. A de Feira é a nossa maior usina”, afirmou o chefe do MP. Ele destacou também que a instituição está se associando ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), cuja parceria será firmada na próxima semana, alinhada aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030. “O Ministério Público quer dar o exemplo, de dentro, até porque o MP cobra das outras instituições, da sociedade, pelo desenvolvimento sustentável”, disse. O PGJ ressaltou que a utilização das usinas possibilita também economia de recursos financeiros, que poderão ser revertidos para aperfeiçoamento dos serviços prestados pelo MP à população. :: LEIA MAIS »

Bahia tem estimativa de alcançar 27 GW em potencial solar fotovoltaico até 2030

Bahia tem estimativa de alcançar 27 GW em potencial solar fotovoltaico até 2030

Foto: João Ramos

O potencial baiano para a geração de energia elétrica por meio da fonte solar fotovoltaica é gigantesco. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), até 2030, a perspectiva é que a Bahia tenha 634 parques solares fotovoltaicos em operação, com mais de 27 Gigawatts (GW) de potência instalada. De acordo com dados consolidados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), estima-se que os 71 parques em operação tenham investido R$9 bilhões e gerado 62 mil empregos em toda a cadeia produtiva.

“No Dia Mundial do Sol, comemorado nesta sexta-feira (3), reafirmo que o time do governador Jerônimo Rodrigues tem trabalhado para contribuir com a transição energética com o enorme potencial baiano que nós temos. O estado apresenta condições ideais para o desenvolvimento do setor solar fotovoltaico na modalidade de geração centralizada, bem como em termos de geração distribuída. Em relação à geração centralizada de energia elétrica pela fonte, nós temos muito a crescer quando as usinas em construção e em construção a iniciar estiverem prontas. As 563 usinas estimam investir R$ 90,3 bilhões e serão capazes de gerar 750 mil vagas de trabalho”, afirma o gestor da pasta, Angelo Almeida.

Geração distribuída

Todos os 417 municípios apresentam unidades geradoras pela categoria de geração distribuída (GD) por fonte solar fotovoltaica no Estado da Bahia, totalizando 1,28 GW de potência instalada. :: LEIA MAIS »

Nordeste: a ‘mina’ da energia solar

Energia-Solar-Fotovoltaica

Foto: Reprodução

A energia solar fotovoltaica está em franca ascensão em território brasileiro, e o Nordeste tem se destacado, tanto em Geração Centralizada, representada por grandes usinas, quanto em Geração Distribuída, representada por usinas de pequeno e médio porte, instaladas no próprio local de consumo ou perto dele.

No ranking da Geração Centralizada proveniente de radiação solar, elaborado pela Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), seis dos nove estados nordestinos aparecem no Top 10, liderados pela Bahia, que é a vice-líder, com mais de 27 GW (gigawatts) de potência outorgada (em operação, em construção e com a construção ainda não iniciada). Logo depois, aparecem Piauí, em 3º lugar; Ceará, em 4º; Rio Grande do Norte, em 5º; Pernambuco, em 7º; e Paraíba, em 8º.

Já na Geração Distribuída também proveniente da radiação solar, a participação regional é um pouco mais modesta, embora ainda relevante, correspondendo a cerca de 20% da potência instalada em território brasileiro, com mais de 5,3 GW (gigawatts). A Bahia se destaca, novamente, na 7ª posição geral, com aproximadamente 1,1 GW em operação. Em seguida, aparecem Ceará, em 11º lugar; Pernambuco, em 13º; Rio Grande do Norte, em 15º; Maranhão, em 16º; Piauí, em 17º; Paraíba, em 19º; Alagoas, em 22º e Sergipe, em 23º.

Túlio Fonseca, CEO da rede de franquias Energy Brasil, um dos principais players do mercado nacional de energia solar, ressalta que o Nordeste está se fortalecendo a cada ano como uma grande potência das energias renováveis, mas ainda há muitas oportunidades de investimento neste nicho do mercado, especialmente para a Geração Distribuída. :: LEIA MAIS »

Zé Neto propõe instalação de energia solar no Centro de Abastecimento e feiras livres em Feira de Santana

Zé Neto propõe instalação de energia solar no Centro de Abastecimento e feiras livres em Feira de Santana

Foto: Stafanny Lopes

O deputado federal Zé Neto (PT) propôs nesta segunda-feira, 13, durante o seminário “Energia Solar e os Incentivos à Criação de Cooperativas de Agricultura Familiar e Setor Produtivo”, um estudo de viabilidade para instalação de sistema de energia solar no Centro de Abastecimento e feiras livres, em Feira de Santana. Também defendeu que essa fonte de energia possa chegar efetivamente aos distritos, atendendo às pequenas e médias propriedades rurais e às famílias de baixa renda, e nos bairros periféricos do município.

O evento, promovido pelo Mandato de Zé Neto na Associação Comercial e Empresarial (ACEFS), no bairro Kalilândia, contou com a presença do deputado federal Pedro Uczai (PT), de Santa Catarina.

“Nós trouxemos para Feira um debate através do projeto de lei 3066/2023, da nossa autoria, com a colaboração do companheiro Pedro Uczai, que já está acontecendo em várias regiões do país e tem dado certo, com o intuito de ‘baratear’ a conta de luz de milhares de famílias trabalhadoras rurais a partir da energia renovável, além de gerar emprego e renda. Isso pode ser feito, por exemplo, no Centro de Abastecimento, onde tem muitos equipamentos frigoríficos que consomem energia elétrica, na ‘feirinha’ da Estação Nova, numa cooperativa de artesãos e associações. Neste sentido, estou propondo que o BNDES destine 2% de seus recursos para ampliar e fortalecer as políticas públicas de energia solar, fazendo com que essas famílias que pagam R$ 100 na conta de luz passem a pagar R$ 25. Temos que proliferar essa ideia para além do setor empresarial”, conclamou.

Zé Neto destacou ainda que, além de economizar dinheiro a médio e longo prazo, investir em energia solar ajuda a preservar o meio ambiente. “Na minha casa, na Chácara da Luta e em nosso escritório de advocacia têm energia solar. Antes, eu pagava caro com energia elétrica e, atualmente, é uma economia extraordinária, sem falar que é a que menos gera danos à natureza por ser uma fonte sustentável”, afirmou. :: LEIA MAIS »

Bahia alcança 1 gigawatt de potência instalada na geração distribuída de energia solar

Bahia alcança 1 gigawatt de potência instalada na geração distribuída de energia solar

Foto: Divulgaçao/Enersol

A Bahia segue avançando na produção de energias renováveis. O estado alcançou, neste mês, a marca de 1 gigawatt (GW) de potência instalada na geração distribuída de energia solar, que é quando a geração é realizada por consumidores independentes, como residências, centros comerciais, indústrias, poder público, entre outros. O dado é da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e está disponível no Informe Solar Especial produzido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE).

A Bahia tem níveis de irradiação diária superiores a 6 kWh/m² e sua localização geográfica privilegiada a coloca como o 8º estado brasileiro com maior capacidade instalada para geração distribuída para fonte solar fotovoltaica e o 5º em quantidade de unidades consumidoras que recebem créditos. O secretário da SDE, Angelo Almeida, considera o resultado animador e destaca que ele reforça o potencial baiano para geração de energia elétrica através dessa modalidade. “A Bahia apresenta um extraordinário potencial para a produção de energia solar, aproveitando seu clima ensolarado durante a maior parte do ano, e se consolida no cenário nacional e global de energia renovável”, disse o gestor.

Todos os 417 municípios baianos apresentam unidades consumidoras de geração distribuída solar fotovoltaica, com destaque para Salvador, com 11 mil unidades; Camaçari e Feira de Santana, com 9 mil cada uma; Barreiras, Lauro de Freitas e Vitória da Conquista, com 6 mil; Guanambi, Juazeiro e Ruy Barbosa, com 5 mil, e Porto Seguro, com 3 mil.

Economia

Entre os consumidores do município de Salvador, está a farmacêutica Wanessa Bandeira, que pontua o que a motivou a aderir à produção de energia solar. “Achávamos o valor da conta de luz bem alto. Você pagar R$ 700, sem contar a variação no verão, que é natural pelo aumento do uso de ar-condicionado, é um valor expressivo”, comenta, destacando que às vezes a fatura chegava a R$ 800. :: LEIA MAIS »

Bahia encerra primeiro trimestre de 2023 como líder nacional na geração de energia eólica

Bahia encerra primeiro trimestre de 2023 como líder nacional na geração de energia eólica

Foto: Paula Fróes/GOVBA

A Bahia encerrou o primeiro trimestre de 2023 como líder nacional na geração de energia eólica, responsável por 34,2% da geração acumulada, conforme dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) de março deste ano. Atualmente a Bahia conta com 272 parques eólicos em operação, com 7,42 Gigawatts (GW) de potência outorgada, que foram responsáveis pelo investimento de mais de R$ 34 bilhões e geraram cerca de 74 mil empregos em toda a cadeia produtiva. Os dados constam no Informe Executivo de Energia Eólica publicado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), também responsável pelo Informe de Energia Solar.

“A Bahia possui um excelente diferencial devido aos excelentes aspectos naturais que são favoráveis para as instalações de parques eólicos e solares fotovoltaicos. O Estado apresenta uma ótima cartilha de incentivos fiscais para empreendimentos de geração de energia por fonte renovável como é o caso da energia eólica, solar fotovoltaica, biomassa e hidrogênio verde. Além disso, vale ressaltar que os municípios que possuem parques de energia eólica em construção aumentam a arrecadação de Imposto Sobre Serviços (ISS) durante o processo de implantação das usinas”, destaca Angelo Almeida, secretário da pasta.

Ainda de acordo com o informe da secretaria, as arrecadações totais de ICMS, IPVA, ITD e outras taxas se comportam um pouco diferente do ISS, crescendo no momento da implantação do empreendimento e mantendo ou aumentando a sua arrecadação após a implantação das usinas. A estimativa é que até 2027, os 65 parques em construção entrem em operação, já os 182 com construção não iniciada tem previsão para 2029. Juntos eles vão adicionar 10,26 GW na potência instalada, com previsão de investir cerca de R$ 60 bilhões e gerar mais de 100 mil empregos em toda a cadeia produtiva. :: LEIA MAIS »

Prefeitura de Jequié inicia instalação de energia solar em escolas municipais

Prefeitura de Jequié inicia instalação de energia solar em escolas municipais

Foto: Divulgação/PMJ

O município de Jequié iniciou um dos mais ousados projetos de tecnologia de que se tem notícia no serviço público da Bahia: a utilização de energia limpa, fonte 100% renovável, para alimentar escolas municipais. Com investimentos da Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Educação, teve início a instalação de usinas solares em 16 unidades de ensino, que irão gerar energia para abastecer esses equipamentos suficientemente.

O projeto já começou a ser executado e as primeiras escolas a serem dotadas com a nova ferramenta foram o Centro de Educação Infantil Fernando Cafezeiro e o Centro de Educação Infantil Ana Maria Cruz, no bairro Curral Novo; o Centro de Educação Infantil Jorge Luiz, no Brasil Novo; e a Escola Municipal Anísio Teixeira, no Jequiezinho. Ao todo serão instalados 1.715 painéis solares, que são constituídos por sistemas geradores fotovoltaicos que produzem energia elétrica através da luz solar e injetam na rede da Coelba a produção, recebendo posteriormente esta produção em créditos na conta de energia.

A iniciativa faz parte do montante de investimentos que vêm sendo feitos nas escolas municipais, com o objetivo de modernização das estruturas de ensino, que vêm passando por obras de reforma e ampliação. O processo se completa com a climatização total das salas de aula, com ar condicionado, laboratórios de informática, laboratórios de ciências mesas interativas digitais, cerca de sete mil tablets, novos livros didáticos, fardamento, kits escolares, entre outros. :: LEIA MAIS »

Bahia é líder na geração de energia solar pelo terceiro ano consecutivo

Bahia é líder na geração de energia solar pelo terceiro ano consecutivo

Foto: João Ramos

Pelo terceiro ano seguido, a Bahia se consagra como primeiro lugar do ranking dos estados que mais geraram energia solar, fechando 2021 com 27,62% da produção nacional. Com 1,4% de diferença, o estado ficou em segundo lugar na geração acumulada de energia eólica do Brasil, o que corresponde a 28,8% da geração nacional. Os dados são da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e constam no Informe Executivo de Energia Solar e Eólica da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), que foi divulgado nessa quarta-feira (16).

Em dezembro de 2021, a energia solar teve 267 Megawatt hora (MWh) na geração mensal, 1.963 Gigawatt-hora (GWh) na geração acumulada anual e 19,02% no fator de capacidade. Já a eólica teve 1,57 (GWm) na geração mensal, 19,508 (GWh) na geração acumulada anual e com 26,76% no fator de capacidade.

“A Bahia tem muito potencial na produção da energia através de fontes renováveis, nos dá muito orgulho continuar noticiando dados e números positivos. É muito satisfatório saber que o nosso Estado segue líder nacionalmente na geração de energia limpas”, afirma o titular da SDE, Nelson Leal. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia