WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


CMFS---NUMEROS-DO-TRABALHO---BANNER-SITE-POLITICA-IN-ROSA-729X90PX-FINAL PMSE - SÃO JOÃO 2022 - POLITICA IN ROSA

:: ‘Porto de Aratu-Candeias’

Codeba vai investir mais de R$ 38 milhões no Porto de Aratu-Candeias

Porto de Aratu-CandeiasO Porto de Aratu-Candeias receberá investimento superior a R$ 38 milhões da Companhia das Docas do Estado da Bahia – Codeba, que vão garantir um upgrade nos seus equipamentos e melhoria nas instalações e terminais. A recuperação do Carregador de Navio (CN2) e mais os serviços de caldeiraria, tratamento/anticorrosivo e pintura nas estruturas metálicas dos equipamentos de operação no Terminal de Granéis Sólidos I (TGS) estão entre as mais relevantes e com ordem de serviço já emitida.

Para o CN2 voltar a ser utilizado no carregamento e descarregamento de granéis sólidos estocados nas embarcações, a Codeba irá aplicar o montante de R$ 15,8 milhões, na manutenção e conservação das estruturas metálicas. O equipamento se encontra parado há algum tempo e, no momento, apenas o CN1 vem sendo utilizado na função. Nos piers do TGS, o Porto de Aratu-Candeias movimenta diversos produtos, como enxofre, ureia, concentrado de cobre, magnesita, com volume médio anual superior a 1,5 milhão de toneladas, o que representa uma taxa mensal de ocupação em torno de 80% por mês.

Os serviços no CN2 serão realizados no prazo de 12 meses e a vencedora da licitação é o Consórcio Aratu II.  “Trata-se de um contrato de valor significativo, que irá preservar e manter em boas condições de operação o patrimônio da Codeba”, destaca o gerente de infraestrutura da Companhia, Jorge Halla. Ele informou que também estão programados para o Porto de Aratu-Candeias diversos outros serviços, como: manutenção mecânica, elétrica e eletrônica; recuperação das estruturas metálicas dos equipamentos, da pavimentação asfáltica, dos gates das portarias; aquisição de trilhos e novas defensas; serviços preventivos e corretivos nas instalações, sistemas rodoviários e pátios; sinalização horizontal e vertical, dentre outros.

O presidente da Codeba, Pedro Dantas, destaca que os investimentos atendem uma demanda antiga das empresas que atuam no Porto de Aratu-Candeias e vão permitir um aumento da capacidade operacional no Terminal de Granéis Sólidos, maior produtividade nas operações, desafogar a demanda sobre os piers de sólidos e, por consequência, uma redução significativa no tempo de espera por atracação dos navios. “A iniciativa visa aparelhar o Porto para a nova realidade da economia baiana e aumentar o bem-estar e a segurança dos trabalhadores portuários”, acrescenta ele.

“Os investimentos da Codeba vão gerar uma melhoria significativa nas operações portuárias, além de permitir a redução nos custos e nas filas de espera dos navios”, disse César Almeida, responsável pela Paranapanema na Bahia, que opera com importação de concentrado de cobre, segundo produto em volume de carga no Porto de Aratu-Candeias. César lembra que, diante do elevado custo logístico portuário, qualquer economia obtida tem grande relevância.

Para o diretor da Intermarítima, Matheus Oliva, os investimentos são bem recebidos pela empresa, que atua como operador portuário. “A Codeba está fazendo um excelente trabalho de recuperação de uma estrutura que está há tempo parada (CN2). Tudo isso vai melhorar as importações e exportações pelo Porto de Aratu-Candeias, favorecendo a economia do Estado”, destacou.

Porto de Aratu-Candeias

Localizado na Enseada do Caboto, no município de Candeias, o Porto de Aratu-Candeias tem em sua estrutura três piers de granéis líquidos, três piers de granéis sólidos, pátio de estocagem e vasta retroárea.

O Porto tem papel de indutor do processo de desenvolvimento industrial da Bahia, viabilizando os dois principais polos do Estado: o Centro Industrial de Aratu (CIA) e o Polo Industrial de Camaçari. É um dos mais importantes na recepção e escoamento da produção química e petroquímica de todo o país.

Dentre as principais movimentações, destaque para os granéis sólidos (fertilizantes, cobre e minérios), granéis líquidos (nafta e óleo diesel) e produtos gasosos (propeno e butadieno).

Demanda elevada no Porto de Aratu-Candeias revela necessidade de expansão

Porto de Aratu-CandeiasPara atender à crescente demanda de embarcações na atracação no Terminal de Granéis Líquidos (TGL) do Porto de Aratu-Candeias, está nos planos da Codeba a instalação de um novo terminal, associada ao aumento na capacidade de estocagem (parque de tancagem).

Só em 2015, os piers Norte e Sul do TGL, com o Terminal de Produtos Gasosos (TPG), movimentaram mais de 4,2 milhões de toneladas, enquanto que, no ano de 2016, o valor superou a marca de 4,5 milhões. Outro impacto positivo que essa nova instalação trará inclui a atração de novas embarcações para o porto e de investimentos adicionais nas áreas industriais do entorno, interessadas em expandir em razão do incremento.

Apesar das condições favoráveis para operações de importação e exportação com a sua atual estrutura, o Porto de Aratu-Candeias enfrenta dificuldades com os granéis líquidos. Só no último semestre, os dois Terminais dessa natureza operaram, cada um, com mais de 88% da capacidade suportada, índice bem acima da média de estipulada para terminais especializados, de 60%. As embarcações que tentam acessar os berços Norte e Sul do TGL precisam aguardar até 5 dias até a atracação em razão do tráfego, espera que geram custos operações para toda a cadeia.

Só no ano passado, o Porto de Aratu-Candeias respondeu por toda a exportação de produtos gasosos realizada na Bahia; 17% das importações de granéis líquidos de toda Bahia e 14% das exportações desses últimos.

Porto de Aratu-Candeias

Localizado na enseada de Caboto, Candeias, o Porto conta com três Terminais especializados em Produtos Gasosos (TPG), com berço de 189 metros, Granéis Líquidos (TGL), com dois berços que perfazem 340 metros e de Granéis Sólidos (TGS), de três berços, numa extensão de 366 metros, incluindo ainda as instalações de armazenagem, compostas por armazéns, pátios, tanques e silos.

Óleo diesel é segundo produto mais movimentado no Porto de Aratu-Candeias

Porto de Aratu-CandeiasUm dos produtos que registrou um aumento substancial na movimentação no Porto de Aratu-Candeias, administrado pela Codeba, é o óleo diesel. Até pouco tempo atrás, o volume movimentado era inexpressivo. Contudo, este produto tomou forte impulso nos últimos meses e já se destaca como um dos principais em volume de peso entre os graneis líquidos no sentido de importação. De janeiro até agosto, já foram desembarcados através dos terminais de graneis líquidos cerca de 250 mil toneladas, a maioria originado do Golfo do México, e já se constitui no segundo produto mais movimentado no porto, depois da nafta.

Segundo informações das empresas importadoras, a compra do produto no exterior é por dois motivos básicos: primeiro, o Brasil importa diesel porque não tem capacidade para produzir todo o volume necessário para abastecer o mercado; segundo, de acordo com consultorias especializadas, o diesel vendido pela Petrobras custa hoje cerca de 40% a mais que a cotação do golfo do México, usada como referência.

As distribuidoras de combustíveis têm aproveitado o alto preço do diesel vendido pela Petrobras para ampliar seus lucros com a importação do produto por conta própria. Quem ganha com isso é o Porto de Aratu-Candeias, que agrega um novo produto, com perspectivas de evolução, estando previsto para esse ano um volume em torno de 450 mil toneladas.

Codeba investirá R$30 milhões no Porto de Aratu-Candeias

Porto de Aratu-CandeiasA nova diretoria da Companhia das Docas do Estado da Bahia – Codeba autorizou novos investimentos de aproximadamente R$ 6 milhões para o Porto de Aratu-Candeias. Até dezembro, a pretensão é chegar a um total de R$ 30 milhões em obras de recuperação e serviços de manutenção.

Para começar, está a recuperação das vigas da ponte de acesso ao Píer I do Terminal de Graneis Sólidos (TGS), já em fase de pré-abertura do processo licitatório na modalidade Concorrência. “É uma obra de extrema importância, garantindo melhores condições no trafego de veículos ao píer”, pontuou o presidente da Codeba, Pedro Dantas. O serviço tem custo estimado de quase R$ 2,8 milhões.

A Diretoria Executiva deliberou ainda sobre alocação de recursos na ordem de R$ 3 milhões para garantir a cobertura de uma área de 10 mil metros quadrados do pátio de estocagem de minérios do Porto, interligado ao TGS por meio de correias transportadoras. “A iniciativa gerará um impacto ambiental positivo, garantindo melhor armazenamento desses produtos e evitando o arraste causado por chuvas e ventos”, destacou Pedro Dantas. A fase de estudo do projeto avança para ser concluída, quando, então, será autorizada a licitação.

Obras no anel rodoviário

Na próxima segunda-feira, dia 29 de agosto, está previsto o início efetivo das obras de melhoria no tráfego dos veículos nas operações dos graneis sólidos no Porto de Aratu-Candeias. Estão sendo investidos o valor de R$ 3,8 milhões na adequação das instalações de circulação pelo anel rodoviário (localizado na retroárea dos Terminais de Graneis Sólidos de acesso aos Píeres I e II), que inclui itens como a troca do piso de pavimentação e implantação da sinalização viária.

Movimentação no TGS

Nos três piers do terminal de graneis sólidos do Porto de Aratu, foram movimentadas até julho, 927 mil toneladas de minérios, o que representa 25% de tudo que foi movimentado no porto neste ano,  tendo como principais produtos, fertilizantes, concentrado de cobre, rocha fosfática e minério de magnesita, este último retornando ao porto, após um bom período sendo escoado pelo Porto de Ilhéus.  As perspectivas para esse segundo semestre sinalizam para um melhor desempenho dos graneis sólidos, sobretudo fertilizantes, visto que no mês de agosto já somou nos primeiros vinte dias, sete navios operando com quase 100 mil toneladas adicionais.

 



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia