WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


PMFS-Mobilidade - CoronaVírus X Transporte EMBASA - SITE POLÍTICA IN ROSA

:: ‘violência’

Profissionais devem registrar violência contra a mulher em prontuário

deputada estadual Talita Oliveira (PSL)

Deputada estadual Talita Oliveira (PSL) – Foto: Divulgação

Obrigar os profissionais de atendimento médico a registrar casos de violência contra a mulher no prontuário de atendimento é o que propõe a deputada estadual Talita Oliveira (PSL), com o Projeto de Lei 23.769/2020, apresentado na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA). De acordo com a parlamentar, a medida é para fins de estatística e prevenção, dando à Secretaria de Segurança Pública acesso aos casos que não são denunciados.

Caso o profissional de pronto atendimento médico de hospitais, clínicas e laboratórios dos setores público e privado da Bahia não realize o registro, sofrerá sanção administrativa, define o Artigo 2º do projeto. E o prontuário com registro de violência contra a mulher deve ser encaminhado à Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) num prazo de 24 horas. Se não houver Deam na região, o prontuário deverá ser enviado ao Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Mulher (CDDM).

Na justificativa, Talita Oliveira lembrou da Lei Federal 11.340/2006, que criou mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Tal combate se dá por meio de um conjunto articulado de ações da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. “Para que haja efetividade por parte da política pública para coibir este tipo de violência, é necessária a integração operacional dentre as áreas. Este projeto objetiva facilitar este compartilhamento de informações, de forma que medidas possam ser tomadas em prol da segurança das mulheres”, explicou Talita. :: LEIA MAIS »

“É um absurdo ver a população da Bahia sitiada pelo tráfico”, afirma Targino após chacinas

Deputado estadual Targino Machado

Deputado estadual Targino Machado – Foto: Divulgação

O deputado estadual Targino Machado (Democratas), líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), lamentou, nesta segunda-feira (16), os recentes casos de violência que assustaram a população baiana e voltou a criticar a política de segurança adotada pelo governo do estado. Na semana passada, três chacinas chamaram a atenção do estado e tiveram repercussão nacional. “É um absurdo ver a população da Bahia sitiada pelo tráfico. Ano após ano o governo vem perdendo a guerra para o tráfico, e quem paga o preço é a população, que fica desprotegida. O reflexo disso são os alarmantes números de violência na Bahia, especialmente os homicídios”, diz o parlamentar, lembrando que o estado fechou 2017 com 7.487 mortes, segundo o Atlas da Violência, o que posiciona a Bahia na liderança nacional em números absolutos de assassinatos.

A primeira chacina ocorreu na última sexta-feira (13), quando quatro motoristas de aplicativos foram encontrados mortos, com sinais de golpes de facão, na comunidade Paz e Vida, no bairro da Mata Escura. No dia seguinte, três pessoas foram mortas no recuo da Avenida Juracy Magalhães Júnior. Uma criança foi baleada neste caso e também morreu. Antes, na quinta-feira, em outra chacina, quatro pessoas foram mortas em uma residência em Mussurunga. “O pecado dos motoristas do aplicativo: não se sentirem com confiança de trafegar em alguns locais da cidade. A resposta dos traficantes foi sacrificar quatro pessoas. E essa sensação de insegurança toma conta do estado, até mesmo nos mais lugares mais pacatos”, afirma Targino. :: LEIA MAIS »

Alto índice de violência em Feira de Santana é tema de debate

Alto índice de violência em Feira de Santana é tema de debate

Foto: Divulgação

O vereador Luiz Augusto de Jesus – Lulinha (DEM), presidente da comissão de Obras, Urbanismo e Infraestrutura, participou de uma audiência bastante produtiva, na tarde da última quinta-feira (03), na cidade de Salvador com secretário de Segurança Pública do Estado da Bahia, Maurício Barbosa, juntamente com o deputado federal José Nunes e os colegas vereadores Zé Curuca, João Bililiu, Neinha Bastos (membro da Comissão), além do diretor do Centro de Abastecimento Cristiano Gonçalves e a Presidente da Associação dos Feirantes, Edmaria Medeiros.

Na pauta, foram tratados assuntos referentes a violência que vem se alastrando no município de Feira de Santana e a falta de segurança na cidade, com ênfase no Centro de Abastecimento, onde na oportunidade a comissão convidou o secretário para participar da Audiência Pública, que acontecerá no dia 18 de outubro na Câmara Municipal de Feira com finalidade de discutir sobre a segurança pública e a falta de segurança no Centro de Abastecimento, assim como o melhoramento da infraestrutura do local. O secretário foi bastante receptivo e atento aos pleitos apresentados. “A Comissão de Obras, Urbanismo e Infraestrutura, a qual estou como presidente estará empenhada em buscar junto aos órgãos competentes mais segurança para Feira de Santana”, enfatizou Lulinha.

Vereadora cobra criação de novos abrigos para mulheres vítimas de violência

Vereadora Cíntia Machado

Vereadora Cíntia Machado (PRB)

A vereadora Cintia Machado (PRB) em seu pronunciamento na sessão ordinária realizada nesta segunda-feira (12), na Câmara Municipal de Feira de Santana, repercutiu o caso de agressão ocorrido em uma academia de Salvador, na última quinta-feira (07), no qual uma mulher foi espancada pelo ex-companheiro.

De acordo com a vereadora, os casos de violência contra mulher estão crescendo e o Governo do Estado precisa construir novos abrigos para acompanhar a grande demanda. “Já temos três abrigos que acolhem essas mulheres, porém eu soube que vão poder receber mulheres de outra cidade. Não está dando conta do que acontece em Feira, como vai dar conta do que acontece nas outras cidades? Isto aí é missão do governador, é ele que tem obrigação de criar uma casa abrigo. O abrigo de Feira tem que ser para as mulheres de Feira”, protestou.

Vereador atribui crescimento da violência ao descaso do Estado

Vereador Cadmiel Pereira

Vereador Cadmiel Pereira (PSC)

O vereador Cadmiel Pereira (PSC) repudiou o crescimento dos índices de violência no município e atribuiu a culpa na falta de investimentos por parte do Governo do Estado. O edil, indignado, lamentou a realidade da segurança pública, apontando o fechamento de Bases Comunitárias de Segurança e módulos policiais na cidade. “É estarrecedor ver que estamos chegando ao fim do ano e Feira de Santana segue prestes a fechar o ano como um dos municípios mais sangrentos do estado da Bahia. São quase 300 homicídios só em 2018. Isso é reflexo do descaso de um governo covarde. O Governo inaugurou Bases Comunitárias de Segurança e já estão fechadas as unidades do Feira X e da Conceição, módulos policiais encontram-se fechados, as viaturas recebem R$ 20 para abastecimento para fazer rondas durante o dia. Isso é uma piada”, protestou.

Cadmiel culpou o Governo do Estado. “Estamos vivendo um ciclo onde não temos mais segurança. Se espremer os números vai sair apenas sangue e homicídios. O trabalhador sai de sua casa e não sabe se vai voltar. Deixo aqui o meu repúdio a essa situação”, concluiu.

Seprev lança campanha “Feira Pede Paz”

Seprev lança campanha “Feira Pede Paz”

Foto: Washington Nery

Tendo como símbolo o origami da pomba da paz, Feira de Santana desperta para a cultura da paz e não violência com a campanha Feira Pede Paz, promovida pela Secretaria Municipal de Prevenção à Violência e Promoção dos Direitos Humanos (Seprev). A primeira semana será realizada no período de 13 a 16 deste mês, com atividades diversas na Casa da Paz, instalada no canteiro da avenida Getúlio Vargas, cruzamento com a rua Castro Alves, antigo espaço Marcos Moraes. O evento, conforme o secretário da Seprev, Pablo Roberto, visa mobilizar a comunidade feirense a fortalecer a cultura da paz e não violência, além de refletirem sobre como podem promover a paz em seus espaços de convivência.

O coordenador da campanha, Cristiano Queiroz, informa que a Casa da Paz será aberta nesta quinta-feira, 13, às 8h30min. Em seguida, uma amostra da campanha Feira Pede Paz, abordando sobre a iniciativa e seus objetivos, e uma oficina de confecção de origami, movimentando o espaço durante toda a manhã. Ainda na quinta-feira, às 18h30min., o pré-lançamento da Caravana da Paz, na Associação Presidente Getúlio Vargas, à rua Miguel Calmon, 291, bairro Jardim Cruzeiro. Para tanto será mobilizado o ônibus da caravana, onde será realizada a recepção das pessoas colando preguinhas da campanha e bottons, confecção de origamis, discussão de alternativas de mobilização da paz, apresentação de vídeos e abordagens sobre a campanha.

Já na sexta-feira, 14, as atividades serão desenvolvidas durante todo o dia. Às 8h, apresentação da campanha, seguido de oficina de confecção de origamis e, a partir das 10hs, adesivaço Feira Pede Paz, com divulgação da campanha com calagem de adesivos em veículos. Logo depois, captação de pessoas para as Oficinas de Mobilizadores da Paz. No período da tarde, amostra da campanha, confecção de origamis e distribuição de adesivos da campanha.

Enquanto isso, no sábado, 15, além da amostra da campanha, oficina para confecção de origami e distribuição de adesivos do Feira Pede Paz, durante todo o período da manhã, a campanha também vai levar a Caravana da Paz para a praça do Nordestino, a partir das 8hs, onde serão desenvolvidas diversas atividades. As atividades da Semana de Feira Pede Paz serão encerradas no domingo, 16, com aula de dança, com Luciano Melo, em frente à Casa da Paz, a partir das 7hs. No local também serão feitas apresentações sobre a campanha e seus objetivos para a comunidade feirense.

Mais de 22 mil policiais recebem prêmio pela redução da violência

Mais de R$ 22 milhões serão pagos a 22,5 mil policiais baianos que alcançaram redução de 6% dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), no primeiro semestre de 2018. O Prêmio por Desempenho Policial (PDP) é uma ação que valoriza e incentiva o trabalho das forças de segurança. Homicídio doloso, latrocínio e lesão dolosa seguida de morte tiveram quedas de 6,8%, na Bahia, na comparação entre o primeiro semestre de 2018 e o do ano anterior. Analisando as macrorregiões, Salvador fechou com menos 12,4%, Região Metropolitana com decréscimo de 12,9% e o interior do estado com redução de 3,8%.

Os números do semestre, divulgados anteriormente em coletiva, serão publicados na edição do Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (29). Em cerca de 15 dias, será divulgada no mesmo veículo de comunicação a lista com as unidades das polícias Militar, Civil e Técnica que receberão o PDP.

Violência faz oposicionista pedir mais segurança nos terminais de transbordo

Vereador Alberto Nery

Vereador Alberto Nery (PT)

O vereador oposicionista, Alberto Nery (PT), cobrou reforço da segurança nos terminais de transbordo do transporte urbano de Feira de Santana. Pontuando diversas ocorrências de homicídios, assaltos e demais formas de violência nos equipamentos. Nery questionou a responsabilidade pela manutenção da segurança e cobrou o retorno da Guarda Municipal para coibir as práticas criminosas nos terminais. “Os terminais Norte, Sul e Central surgiram, há 10 anos, com o propósito de melhorar o transporte de nossa cidade, mas viraram transtorno para a vida da população, porque foram transformados em palcos para a violência, com assassinatos a tiros, facadas, assaltos. Não sabemos de quem é a responsabilidade pela segurança nesses locais, se é da empresa responsável pela operação do sistema de transporte coletivo ou se é da Guarda Municipal”, questionou.

Alberto Nery destacou que a Polícia Militar realiza rondas e blitz com frequência visando combater a criminalidade nos espaços. “Com a retirada da Guarda Municipal a violência tem aumentado. Peço ao prefeito Colbert Martins Filho que sejam tomadas as providências cabíveis. Irei buscar informações com o secretário municipal de Prevenção à Violência, Pablo Roberto, sobre a segurança nas estações de transbordo de nossa cidade”, afirmou.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia