WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


PMFS-Mobilidade - CoronaVírus X Transporte SECOM - AÇÕES FEIRA

:: ‘Vereador Edvaldo Lima’

Vereador relata dificuldade para conseguir atestado de óbito

Vereador Edvaldo Lima

Vereador Edvaldo Lima (MDB)

O vereador Edvaldo Lima (MDB) utilizou a tribuna da Câmara Municipal de Feira de Santana, na sessão ordinária desta segunda-feira (29), para questionar a Secretaria Municipal de Saúde: “Como procede quando alguém falece dentro da própria residência de causas naturais, depois das 18 horas?”.

O parlamentar narrou o caso de uma idosa, de 95 anos, que faleceu em casa e os familiares só conseguiram o atestado de óbito, após recorrer a ele. “A senhora faleceu depois das 18 horas. Os familiares ligaram para o SAMU, mas informaram que não era lá e que deviam recorrer a policlínica, pois é responsabilidade do médico dar o atestado. Quando chegaram na Policlínica do Tomba, receberam a resposta que só no dia seguinte as 08 horas da manhã para conseguir o atestado. E quando ligaram para funerária, eles informaram que não podem tocar no corpo sem o atestado de óbito emitido pelo médico. Os familiares ficaram sem saber como prosseguir, com o corpo da idosa na cama, e precisaram recorrer ao vereador”, contou.

Ele afirmou que quando ligou para Secretaria de Saúde para interceder “não fui bem recebido pelo telefone e fui obrigado a agir de forma mais dura”.  “A Secretaria de Saúde tem responsabilidade de conduzir, de orientar as unidades de saúde, o médico de plantão tem obrigação de dar o atestado”, declarou . :: LEIA MAIS »

Vereador diz que vai entrar com ação no MP para anular sessão por videoconferência

Vereador Edvaldo Lima

Vereador Edvaldo Lima (MDB)

O vereador Edvaldo Lima (MDB), em entrevista ao programa Levante a Voz da Rádio Sociedade News, informou que irá pedir a anulação da sessão ordinária por videoconferência que aconteceu nesta terça-feira (16). “Cheguei a Câmara de Vereadores hoje pela manhã e fui tomado como surpresa. Não fui comunicado oficialmente e nem por nenhum meio de comunicação que a sessão ordinária seria por videoconferência. Quando cheguei que fui comunicado por meus colegas que estavam presentes na sessão por videoconferência e que eu deveria abrir através de um link para participar, caso contrário, não participaria da sessão”, informou Edvaldo.

De acordo com o edil, o Legislativo feirense é um órgão público e tudo tem que ser oficializado em documento. Quando não é oficializado em documento, isso traz má fé. “Estou aqui condenando a postura do presidente em exercício, Alberto Nery (PT), que não fez comunicação para este vereador e se fez para os demais, eu não tomei conhecimento. Quero deixar claro que irei entrar com uma ação no Ministério Público solicitando a anulação da sessão ordinária desta terça-feira (16)”, declarou.

Ainda de acordo com o edil, ele tem várias indicações na Casa e não teve como debater, pois não teve acesso a sessão. “Isso não pode acontecer. A Câmara de Feira parece que está virando a casa de mãe chica”, finalizou.

Edvaldo publicou portaria em suas redes sociais

O que causa estranheza é que o vereador disse não ter conhecimento da realização das sessões por videoconferência e ao mesmo tempo em uma das suas redes sociais a portaria da Casa da Cidadania estava publicada. Ao que parece quem publicou nas redes sociais do vereador esqueceu de avisar a ele ou ele mesmo não confere de perto as suas publicações.

Edvaldo Lima diz que escolha da liderança do MDB foi uma “armação”

Reunião dos vereadores do MDB para decidir liderança do partido foto site Política In Rosa Anderson Dias

Foto: site Política In Rosa/Anderson Dias

Durante a inscrição dos partidos para o Pequeno Expediente houve uma briga daquelas. E comandada pelo vereador Edvaldo Lima (MDB). Edvaldo pediu o tempo do partido. Logo em seguida o vereador Gilmar Amorim (MDB) também o fez. Foi aí que Edvaldo bradou e disse que não aceitaria a inscrição de Gilmar, que é o vice-líder do mesmo partido. No momento quem presidia a sessão era o vereador Lulinha (DEM). O presidente do Legislativo feirense e também líder do MDB, vereador José Carneiro, precisou se ausentar para resolver problemas internos da Casa.

A confusão foi tanta que foi preciso que o presidente voltasse ao plenário. Por mais que os colegas de partido explicassem para Edvaldo que era Gilmar o vice-líder escolhido pela maioria dos componentes, ele não aceitava. “O partido não tem vice-líder até o dia de hoje, pois fizemos uma reunião e não ficou nada decidido. Como o líder não se faz presente, qualquer um dos companheiros de partido podem fazer a inscrição”, bradava o vereador.

Como se deu a escolha

O vereador Isaías de Diogo informou que Edvaldo Lima não estava no dia que o partido fez a escolha do vice-líder do MDB. “Eu, Fabiano da Van, José Carneiro e Gilmar Amorim decidimos em uma reunião quem seria o vice-líder do partido”, explicou.

Com isso, gerou revolta em Edvaldo Lima. “Armação, seu presidente. Chamei várias vezes o líder do partido e todos os membros para decidirmos e não sentaram comigo. Não vou aceitar armação. Tenho dois mandatos nesta Casa e não vão passar a perna em mim. Eu perco no voto, mas preciso de respeito comigo”, disparou.

Após essa discussão, José Carneiro fez uma reunião no plenário para acalmar os ânimos e decidir quem seria o vice-líder. Votaram na hora e na frente de Edvaldo que foi voto vencido mais uma vez. Ficou decidido que continuaria Gilmar Amorim como vice-líder.

Veja o vídeo da discussão: 

“Edvaldo Lima faz da tribuna um trampolim político para mostrar na igreja que ele é um santo”, critica Neinha

Vereadora Neinha Bastos

Vereadora Neinha Bastos (DEM)

A vereadora Neinha Bastos (DEM), em seu pronunciamento na manhã desta segunda-feira (27), na Câmara Municipal de Feira de Santana, informou que foi duramente criticada pelo vereador Edvaldo Lima (MDB) por não estar presente na votação do seu projeto de lei que proibia união homoafetiva em casamentos coletivos realizados em templos religiosos.

Neinha explicou que saiu da Casa a pedido do seu colega, o vereador Zé Curuca (DEM), que é presidente da Comissão de Saúde e não pode se fazer presente em uma solenidade realizada no Hospital da Mulher. No dia onde foram inaugurados novos leitos com suporte para receber pacientes com a COVID-19.  A vereadora também faz parte da Comissão.

Indignada, Neinha esclareceu que o projeto do colega era inconstitucional. “O vereador Edvaldo Lima faz da tribuna da Casa um trampolim político para mostrar na igreja que ele é um santo. Cuidado, pois muitos crentes vão ficar na terra e não irão subir e o ímpio na última hora sobe”, disse. :: LEIA MAIS »

Projeto proíbe realização de cerimônias de casamento homoafetivo nos templos religiosos

Vereador Edvaldo Lima

Vereador Edvaldo Lima (MDB)

Na manhã desta segunda-feira (20), a Câmara Municipal de Feira de Santana aprovou, em primeira discussão e por maioria dos presentes, o Projeto de Lei de nº 001/2020, de autoria do vereador Edvaldo Lima (MDB), que proíbe nas cerimônias de casamento coletivo, organizadas pela Prefeitura ou qualquer órgão da administração pública municipal, realizar a união de pessoas do mesmo sexo nos templos religiosos.

O edil Roberto Tourinho (PSB) votou contrário à matéria. Já os vereadores Carlito do Peixe (DEM), João Bililiu (PSD), Luiz da Feira (PROS), Zé Filé (PSD) e Gilmar Amorim (MDB) se abstiveram da votação. :: LEIA MAIS »

Vereador diz que não vai ao gabinete do prefeito para “negociar cargos”

Vereador Edvaldo Lima

Vereador Edvaldo Lima (PP)

O vereador Edvaldo Lima (PP), em seu pronunciamento na sessão ordinária da última terça-feira (03), na Câmara Municipal de Feira de Santana, afirmou que desde setembro solicitou uma audiência com o prefeito Colbert Martins Filho, mas ainda não foi atendido. “Já estive com o prefeito várias vezes em outras oportunidades. O prefeito sempre diz que vai me atender, que vai falar comigo, que vai ligar. Eu pergunto: Vossa Excelência ligou, falou comigo?”, reclamou. E completou. “Não vou ao gabinete do prefeito atrás de toma lá da cá. Vou cobrar o que a população precisa”.

Polêmica

Procurado pelo site Política In Rosa para saber o que seria esse “toma lá da cá” dito em seu pronunciamento, o vereador Edvaldo Lima disparou. “Não tenho esse perfil de ir lá negociar cargos. Vou ao gabinete do prefeito para levar as demandas da população”.

Cobranças

O edil citou as cobranças que vem fazendo como a pavimentação de ruas, instalação de um redutor de velocidade na Estrada da Matinha e a mudança do Terminal Rodoviário de Feira de Santana para um local mais afastado da região central, onde seja possível construir um entreposto moderno. “Já aconteceu três vezes de veículo entrar na Igreja Evangélica que fica na Matinha. Tenho anos cobrando. Vão esperar alguém morrer?”, questionou.

Ainda segundo Edvaldo, ele só não vota em projetos do Executivo quando são contra a família ou contra o artigo 5º da Constituição Federal que diz que “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”.

Após ser intimado pela OEA, Edvaldo Lima se defende

Vereador Edvaldo Lima

Vereador Edvaldo Lima (PP)

Munido com  a Constituição Brasileira e a Bíblia Sagrada, o vereador Edvaldo Lima (PP) subiu à tribuna da Câmara Municipal de Feira de Santana, na manhã desta quarta-feira (20), para informar que na última segunda-feira (18), foi intimado a apresentar uma defesa pela Organização dos Estados Americanos (OEA), a qual solicitou explicações sobre o seu mandato, através da Procuradoria Geral da União.

Em sua defesa, Edvaldo Lima declarou que sua vida política é pautada na busca pela garantia dos direitos da família tradicional brasileira. Ele também frisou que a liberdade de expressão é um direito garantido pela Constituição de 1988. “Esse é um direito sagrado. A liberdade de expressão funciona como um verdadeiro termômetro do estado democrático”, disse.

Emocionado, o edil lembrou que, durante sua caminhada, foi escolhido pelos feirenses por ser um homem íntegro que sempre esteve ao lado da honestidade. “Por oito anos tenho feito nesta Casa inúmeras defesas em favor da criança, do adolescente, da família, da ética e da moral. Inclusive me orgulho de ter conseguido barrar a distribuição da cartilha gay e a implantação da ideologia de gênero, até porquê meus valores são inegociáveis. Durante esse tempo fui ameaçado de morte e, mesmo assim, não voltei atrás com os meus ideais”, afirmou. :: LEIA MAIS »

Em sessão itinerante, vereadores cobram a construção de uma policlínica na Matinha

Edvaldo Lima e Gilmar Amorim

Edvaldo Lima e Gilmar Amorim – Foto: Reprodução / montagem site Política In Rosa

Os moradores do distrito da Matinha participaram na manhã desta terça-feira (15) da sessão ordinária itinerante da Câmara Municipal de Feira de Santana. A cerimônia aconteceu no pátio da Escola Municipal Doutora Rosa Maria Esperidião Leite e contou com a presença de secretários municipais, vereadores e líderes comunitários.

O vereador Edvaldo Lima (PP) destacou algumas indicações que fez ao Governo Municipal que visam beneficiar a localidade. “Uma questão importantíssima que tenho levantado na Câmara é a necessidade de uma policlínica neste distrito. Os postos de saúde não suprem mais as carências do povo”, disse.

Ao encerrar, o parlamentar voltou a cobrar da Prefeitura a instalação de redutor de velocidade no distrito da Matinha. Segundo o edil, há três anos ele fez uma indicação solicitando a instalação do redutor, mas até o momento nada foi feito.

Já o vereador Gilmar Amorim garantiu que os demais edis se empenham para atender as demandas do local e solicitou que a Prefeitura construa uma policlínica no distrito. “Tem sido um trabalho constante desses vereadores que têm defendido a Matinha. Essa ação que está acontecendo hoje deve acontecer também nos outros distritos como Humildes e Maria Quitéria. E que o prefeito pense bem porque precisamos de uma policlínica nesta região para atender a toda esta demanda”, evidenciou.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia