WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


PMFS-Mobilidade - CoronaVírus X Transporte EMBASA - SITE POLÍTICA IN ROSA

:: ‘Uefs’

UEFS planeja Feira do Livro na modalidade virtual

13ª edição da Feira do LivroFestival Literário e Cultural de Feira de Santana de 2020

Foto: Reprodução

A 13ª edição da Feira do Livro/Festival Literário e Cultural de Feira de Santana de 2020 será realizada na modalidade virtual. A Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Núcleo Territorial de Educação (NTE 19), Prefeitura de Feira de Santana/SEDUC, Arquidiocese de Feira de Santana e o Serviço Social do Comercio (SESC), em reunião conjunta, deliberaram pela suspensão da FLIFS 2020, na modalidade presencial.

De acordo com os organizadores, a decisão foi tomada diante do quadro da pandemia do coronavírus com impacto generalizado em todo o país e o estado da Bahia decretou medidas emergenciais para conter o avanço da contaminação. Nesse sentido foram suspensas as atividades presenciais nas escolas, universidades, faculdades, cinemas, shoppings, teatros etc. Portanto, frente ao cenário que não apresenta, até o momento atual, uma perspectiva de normalização das atividades presenciais e com permissão para realização de atividades que aglutinem muitas pessoas.

Segundo a pró-reitora de Extensão da UEFS, Rita Brêda, os seis dias do evento contabilizam uma presença de público em torno das 70 mil pessoas. As recomendações do Grupo Gestor de Riscos criado na Uefs, após consulta, recomenda precaução na oferta de atividades que promovam aglomerações, visto que não temos ainda nenhuma vacina contra o COVID-19, o que garantiria mais segurança para reunião de pessoas em ambientes públicos. Além disso, o cronograma necessário para planejamento e execução de medidas de infraestrutura para realização da FLIFS já estariam comprometidos. :: LEIA MAIS »

Cesta básica em Feira de Santana registra elevação de 1,16%

Cesta básica em Feira de Santana

Foto: Reprodução / OLX

O valor da cesta básica passou a custar R$ 361,62 no mês de março de 2020, em Feira de Santana. Segundo a equipe de professores e alunos da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) que trabalha no Projeto “Conhecendo a Economia Feirense: o custo da cesta básica de Feira de Santana”, esse valor representou um aumento de 1,16% em comparação ao levantado no mês anterior (fevereiro/2020), e de 11,27% quando confrontado com o valor de três meses atrás (dezembro/2019).

Dentre os alimentos pesquisados, a banana-prata foi o produto que apresentou a maior elevação (14,34%), dando continuidade a uma tendência de alta já observado no último mês. Além da banana-prata, produtos como a carne (3,08%), o café moído (2,29%), o pão (1,47%) e o arroz (0,69%) contribuíram também para o aumento do custo total. Já os produtos como a manteiga, o feijão, o tomate, a farinha e o leite apresentaram redução nos seus preços médios, correspondentes a 6,06%, 4,46%, 2,39%, 1,93 % e 1,59%, respectivamente. Além destes, o açúcar e o óleo apresentaram queda no preço médio inferior a 1%.

O custo do almoço do cidadão feirense, composto pelos produtos básicos arroz, feijão e carne, respondeu por 34,20% do valor da cesta básica de fevereiro. Já os quatros alimentos usualmente consumidos no café da manhã, pão, manteiga, café e leite, representaram 28,85% da mesma cesta. Observa-se que a participação dessas duas refeições (almoço e café da manhã) vem caindo nos últimos meses: representavam, juntas, 68,98% do valor da cesta em janeiro; 63,58%, em fevereiro; e, agora, 63,05%, em março. Essa queda deve-se, em grande medida, à redução no preço médio do feijão e manteiga, respectivamente de 8,54% e 7,18%, entre janeiro e março. :: LEIA MAIS »

Cesta básica de Feira de Santana sofre elevação no mês de novembro

A cesta básica de Feira de Santana registrou valor de R$ 297,63 em novembro. O valor encontrado pelos professores e alunos da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) que trabalham no Projeto Conhecendo a Economia Feirense: o custo da cesta básica de Feira de Santana foi 1,73% maior que o observado no mês anterior. Essa pequena elevação interrompe o ritmo de queda que vem se verificando nos sucessivos levantamentos do valor da cesta desde junho, quando a equipe do Projeto começou a divulgar os dados pesquisados.

Considerando os preços médios dos 12 produtos alimentares pesquisados – açúcar, arroz, banana-da-prata, café, carne, farinha de mandioca, feijão, leite, manteiga, pão, óleo e tomate -e comparando-os aos preços levantados em outubro, constata-se que as maiores altas foram da farinha de mandioca, do feijão e da carne, que registraram elevações de, respectivamente, 14,86%, 11,21% e 7,08%.Outros produtos que também apresentaram preços médios maiores foram o arroz(1,80%), o óleo (1,59%) e o pão (0,34%). Em sentido contrário, os preços médios da banana-prata, do tomate e do café apresentaram quedas de 5,70%, 5,12% e 3,69%, respectivamente.

O custo dos três produtos básicos que compõem o almoço do cidadão feirense, arroz, feijão e carne, foi responsável por 37,97% do valor da cesta básica de novembro. Já os quatros itens costumeiramente presentes na mesa do café da manhã, pão, manteiga,café e leite, responderam por 35,09% da mesma cesta. :: LEIA MAIS »

Uefs fica em terceiro lugar no ranking nacional de internacionalização

Uefs fica em terceiro lugar no ranking nacional de internacionalização

Foto: Divulgação

A Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) segue se destacando no cenário nacional. Desta vez, a instituição ficou em terceiro lugar no ranking nacional de internacionalização universitária e recebeu nota máxima no quesito intercâmbio.

O desempenho foi aferido no ranking Universidades Empreendedoras, criado pela Brasil Júnior, representante no Movimento Empresa Júnior (MEJ), que incentiva e promove o empreendedorismo jovem no país.O processo é feito a partir da coleta de dados provenientes da avaliação dos próprios alunos e de informações cedidas pelas universidades pesquisadas. (Ascom)

Uefs pode dispor do parque tecnológico mais moderno da América Latina

Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs)

Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs)

Debater ideias para modernização do parque tecnológico da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). Esse foi o objetivo da visita da empresa chinesa, Dahua Technology, à instituição, na última quinta-feira (21). O parque tecnológico envolve todo aparato de tecnologia do campus, incluindo a Internet disponibilizada para a comunidade universitária. Durante a reunião foi apresentado um projeto conceitual e inovador criado por Alexandre Magalhães Moraes Oliveira, ex-aluno das universidades baianas que atua atualmente no SIDIA (Instituto da Samsung em Manaus). Temas como a estruturação, alocação e técnicas de modernização dos equipamentos da universidade, além de segurança com uso de tecnologias de inteligência artificial, também foram discutidos.

O reitor da Uefs, Evandro Nascimento, avaliou que “a reunião permitiu vislumbrar uma colaboração entre as partes tanto para a implantação de serviços com alta tecnologia incorporada, como para cooperação em pesquisa e desenvolvimento de soluções envolvendo aplicação de inteligência artificial a partir de competências existentes na instituição”.

Depois desta primeira visita, a expectativa é de que a empresa desenvolva um projeto piloto e apresente um plano de melhoria para a instituição e que, desta forma, a universidade ganhe um dos parques universitários tecnológicos mais modernos da América Latina. :: LEIA MAIS »

Uefs lança Observatório de Educação nesta quarta-feira (13)

Uefs lança Observatório de Educação nesta quarta-feira (13)

Foto: Divulgação

O lançamento do Observatório de Educação: Violência Inclusão e Direitos Humanos da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) será realizado às 8h30, do dia 13 de novembro (quarta-feira). A atividade está programada no Anfiteatro do módulo 2 do campus universitário.

O evento conta com a presença do professor doutor José Leon Crochick (USP/UNIFESP), que vai ministrar palestra sobre o tema. A organização é do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Especial (GEPEE) e conta com o apoio da Pró-reitoria de Graduação (Prograd), Departamento de Educação (DEDU), Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR), Núcleo de Desenho, e o Núcleo de Acessibilidade da Uefs (NAU). (Ascom)

Prefeito de Feira diz que Uefs precisa de mais atenção do Governo do Estado

Colbert Martins Filho

Prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho (MDB).

O prefeito da cidade de Feira de Santana, Colbert Martins Filho (MDB), usou suas redes sociais para criticar a falta de atenção do Governo do Estado para com a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). “A Universidade Estadual de Feira de Santana carece de atenção do Governo do Estado. Infelizmente o campus não tem segurança adequada, com isso, sofrem alunos, trabalhadores e pessoas que frequentam diariamente o local. Ao invés de investir em segurança e trazer maiores recursos para UEFS, o Governo do Estado ainda reduz orçamento da Universidade”, disse.

Deputado critica contingenciamento do governo na Uefs: “A situação é crítica e grave”

Deputado estadual Targino Machado

Deputado estadual Targino Machado – Foto: Divulgação

O deputado estadual Targino Machado (DEM), líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), criticou o contingenciamento de quase 30% do governo na Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). De janeiro até outubro deste ano, segundo a Associação dos Docentes da instituição, a Uefs recebeu 45,7 milhões dos R$ 64,8 milhões que deveriam ser destinados à verba de manutenção e investimento. O corte é de 29,5%. “A situação é muito preocupante, pois ameaça o funcionamento básico da universidade, pois as despesas que mais sofrem com os cortes são as de manutenção predial, o que afeta demais as atividades da Uefs, segunda universidade pública mais antiga da Bahia e a mais antiga entre as estaduais. A situação é crítica e precisa de intervenção do governo”, destaca o parlamentar.

Targino ainda ressalta que os cortes já vêm de anos atrás e se repetem também nas demais universidades estaduais. Segundo a associação dos docentes, em 2013, 2014, 2015, o orçamento aprovado para as universidades foi de 4,87%, 4,92% e 5% da RLI, respectivamente. Nos anos seguintes, o índice permaneceu inferior ou igual a 5%. “Levantamento da associação mostra que o valor destinado à manutenção e investimento das universidades estaduais, em 2018, é inferior ao de 2013, se corrigido pela inflação. Ou seja, o governo vem sucateando as universidades estaduais, que são um patrimônio da Bahia e fundamentais para a educação e a economia do estado, uma vez que são também responsáveis pela capacitação profissional dos baianos”, pontua.

Para o democrata, a situação reflete o descaso do governo com a educação, desde a básica até o ensino superior. “Vale lembrar que o ensino médio da Bahia é considerado o pior do país segundo o Ideb. Essa situação das universidades já vem se arrastando há anos, mesmo com as cobranças feitas por nós, da oposição, e pelos professores, mas nada é feito para mudar o quadro”, disse, recordando que no primeiro semestre deste ano os professores das universidades estaduais fizeram uma greve para cobrar melhorias. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia