WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


PMFS - Mobilidade - Pavimentação EMBASA - SITE POLÍTICA IN ROSA

:: ‘rodoviários’

Justiça nega pedido de reintegração de rodoviários

Centenas de trabalhadores rodoviários de Feira de Santana foram surpreendidos nesta quinta-feira (21) com uma decisão judicial. A Justiça não acatou o pedido de reintegração dos trabalhadores demitidos pelas empresas do transporte coletivo da cidade, feito pelo Ministério Público do Trabalho e pelo Sindicato da categoria (Sintrafs), em função de alguns critérios técnicos. “Para a nossa triste surpresa, o juiz concedeu uma decisão favorável às empresas e manteve demissão de mais de 300 pais e mães de família. Segundo o entendimento a adesão à Medida Provisória só garante os empregos daqueles trabalhadores que fizeram parte do programa. Ocorre que muitos desses trabalhadores, foram justamente os demitidos”, explica o presidente da entidade, Alberto Nery.

Diante disso, o sindicato está fazendo uma convocação de todos os rodoviários que se enquadram nesta situação, para que possam recorrer da decisão. “Convocamos os trabalhadores do transporte que tiveram a sua jornada reduzida, ou o contrato suspenso por 60 dias, e ainda assim foram demitidos a nos procurarem, para apresentar a documentação que comprove a situação para tomarmos as medidas necessárias”, pede Nery.

Ainda de acordo com o presidente, outras medidas foram tomadas pelo sindicato para garantir os direitos dos trabalhadores. Trata-se de duas medidas cautelares que impedem as empresas de retirarem os veículos da cidade. “Não vamos permitir que estas empresas façam o que as anteriores fizeram. Os ônibus são uma garantia do pagamento de direitos trabalhistas”. :: LEIA MAIS »

Sindicato ingressa com ação na Justiça para garantir direitos dos rodoviários

Sindicato ingressa com ação na Justiça para garantir direitos dos rodoviários

Foto: Divulgação/Ascom-Sintrafs

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Feira de Santana decidiu nesta quinta-feira (14) ingressar com mais uma ação na Justiça para garantir não somente o emprego, mas também os direitos trabalhistas da categoria. A decisão foi motivada após a última rodada de mediação realizada por vídeoconferência entre os representantes do Ministério Público do Trabalho (MPT), da Secretaria de Transportes e Trânsito, do sindicato e das empresas Rosa e São João. “Infelizmente tivemos uma reunião que não trouxe avanços. As empresas continuam alegando dificuldades e que vão manter as demissões. A Prefeitura, por sua vez, não apresentou nenhuma alternativa de auxílio, ou aporte financeiro para evitar as demissões. Então não nos resta outra alternativa. O MPT ingressará com uma ação para reintegrar os trabalhadores demitidos e nós também seremos integrantes desse processo”, explicou o presidente do sindicato Alberto Nery.

Ainda de acordo com Nery, todos os esforços que estavam ao alcance do sindicato foram feitos para que a empresa mantivesse os trabalhadores. “Não aceitamos as demissões porque aderimos a medida provisória 927, que permitiu as empresas darem férias a alguns trabalhadores e só fazer o pagamento do 1/3 em dezembro e também a medida provisória 936 que permitiu a redução de jornada. Além disso, fomos até um banco onde existiam empréstimos consignados para pedir a suspensão temporária da cobrança, então contribuímos de diversas formas priorizando a manutenção dos postos de trabalho e de repente as empresas fazem essas demissões dessa forma”, lamenta o presidente.

Segundo Nery, o sindicato já tem uma liminar que proíbe a empresa Rosa de retirar os ônibus da cidade e que entrará com mais uma ação cautelar contra a São João. Para o presidente, a Prefeitura também tem responsabilidade sobre a situação e precisa tomar alguma atitude. “Precisamos que o Poder Público entenda que precisa fazer alguma coisa para evitar um colapso no sistema de transporte. São mais 300 trabalhadores que podem ficar sem renda em um momento complicado como esse, são 300 famílias! Estamos diante de um problema grave e o Governo Municipal precisa agir de acordo com essa gravidade, nós precisamos de um governo atuante que não só auxilie, mas assuma a responsabilidade diante do problema que estamos vivendo”, cobrou. :: LEIA MAIS »

Rodoviários encerram greve em Alagoinhas após sete dias

Rodoviários encerram greve em Alagoinhas após sete dias

Foto: Divulgação

Após sete dias de duração, terminou, nesta quinta-feira (1º), a greve dos motoristas e cobradores de Alagoinhas. O movimento foi encerrado após categoria e empresários entrarem em acordo numa rodada de negociações mediada pelo prefeito Joaquim Neto, no início da noite, na sede da Superintendência de Transporte e Trânsito (SMTT).  A categoria aceitou o reajuste salarial de 5,10%, o aumento de 10% no ticket – alimentação, além de outros benefícios.

Na reunião, o prefeito ratificou o aumento de 8% na tarifa, conforme decreto publicado nesta quarta-feira (31), e os empresários se comprometeram em realizar a integração do Corredor Ayrton Senna já na próxima semana e a implantação  de 100% da bilhetagem eletrônica nos veículos, em 100 dias. “Prevaleceu o bom senso, uma vez que o governo não poderia conceder o aumento de R$ 3,10 na tarifa pedida pelos empresários. Entendemos que a população não poderia ser sacrificada com um reajuste neste valor”, ressaltou o prefeito Joaquim Neto.

Garantida circulação de 100 ônibus durante paralisação

ÔNIBUS

Ônibus em Feira de Santana

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana (PMFS) e a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) informam, extraordinariamente, que nesta sexta-feira, 14, estará garantido o serviço de transporte público urbano com 100 veículos operando normalmente, priorizando 46 linhas circulares em todos os bairros (a exemplo das linhas Conder, Feira VI, Alto do Papagaio, Conceição I e II, Gabriela, George Américo, Asa Branca, Feira X, Aviário, Feira VII, Santo Antônio dos Prazeres, Fraternidade, FTC, Pólo Industrial e Feira IX) e também na Zona Rural, distritos e distritos com 100% de atendimento. A operação especial também contará com o reforço de 10% da frota de vans do Serviço de Transporte Público Alternativo e Complementar (STPAC), bem como toda a frota de 1.350 táxis e 500 mototáxis.

O Poder Público Municipal atende a determinação, por decisão liminar proferida pela desembargadora-presidente Maria de Lourdes Linhares Lima de Oliveira do Tribunal Regional do Trabalho – 5 Região, que estabelece a manutenção em atividade de 40% (quarenta por cento) da frota de coletivo, por linha, no transporte urbano de Feira de Santana enquanto durar a paralisação.

Ainda, a desembargadora estabelece multa diária de R$ 50 mil para o caso de descumprimento da decisão por parte do Sindicato dos Trabalhadores e Transportes Rodoviários de Passageiros Urbanos, assim como de ocorrência de manifestações que possam constranger ou ameaçar direitos de terceiros ou causar ameaça ou dano à propriedade ou pessoa, caracterizando-se a desobediência, também, a oposição de dificuldades injustificadas. A decisão também afirma que está vedada a realização de qualquer tipo de “piquete” que impeça a circulação de veículos e pessoas, especialmente de trabalhadores que não desejem aderir ao movimento. :: LEIA MAIS »

Deputado quer isentar rodoviários das taxas de renovação de CNH e mudanças de categoria

Deputado estadual Bobô

Foto: Divulgação

O deputado estadual Bobô (PCdoB) solicitou que o Governo do Estado deixe de cobrar a taxa para renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e mudanças de categoria para os rodoviários do Sistema de Transporte do Estado da Bahia. Na indicação que apresentou à Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), Bobô discorreu que o rodoviário é “um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento das centenas de cidades” da Bahia, tendo que trafegar muitas vezes em condições precárias e “sem a mínima segurança”. No Estado, cerca de 15 mil rodoviários atuam direta ou indiretamente no sistema de transporte público.

Considerando a importância do profissional rodoviário “para a condução de pessoas ao longo dos seus destinos, percorrendo grandes trechos viários municipais e intermunicipais”, o parlamentar destacou “a relevância que esse profissional tem perante a sociedade” e esclareceu que busca reparar, com a indicação, o fato de que os motoristas rodoviários “são afetados, não somente pelo perigo de transportar vidas em meio a um trânsito muitas vezes caótico, bem como a situação insalubre dos ruídos, riscos psíquicos e cognitivos, mas também por estarem sujeitos às altas taxas para que eles possam exercer sua atividade”.

Por fim, o comunista conta a sensibilidade de Rui Costa para que permita “a esses profissionais terem uma melhor qualidade no seu ambiente de trabalho, desobrigando-os ao pagamento das taxas”.

Rodoviários mantêm atividades; após reunião com empresários, proposta será analisada

Uma reunião entre empresários do transporte coletivo urbano e o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Feira de Santana foi realizada na tarde desta segunda-feira (13) com o objetivo de debater as reivindicações da categoria e evitar uma possível greve. Durante o encontro, os empresários ofereceram um reajuste de 3,5%, ou o acompanhamento do índice do reajuste a ser aplicado na capital. Quanto às outras reinvindicações, os empresários solicitaram uma nova reunião no final desta semana, quando todos os outros diretores estarão na cidade.

“Nós iremos atender ao pedido de uma nova reunião no final da semana e, até lá, não haverá paralisação no sistema de transporte coletivo urbano”, explica o presidente do sindicato, o vereador Alberto Nery.

“Interesses privados comandam transporte coletivo de Salvador”, afirma vereador

vereador Hilton Coelho

Vereador Hilton Coelho (PSOL)

Para o vereador Hilton Coelho (PSOL), a paralisação dos serviços oferecidos pelos rodoviários do STEC (Subsistema de Transporte Especial Complementar) na manhã desta segunda-feira (26) mostra a ausência completa de comando da Prefeitura de Salvador em relação ao serviço público que é o transporte coletivo. “O titular da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), Fábio Mota, chegou ao ponto de afirmar que a discussão sobre os valores a serem recebidos devem ser discutidos com o SETPS (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador). Uma vergonha! Isso mostra quem manda em um serviço que deveria ser público”, disse.

Ele [Hilton Coelho] se refere à declaração de Fábio Mota aos meios de comunicação de que há mais de seis meses, a prefeitura autorizou a integração dos amarelinhos. O acordo deveria ser feito entre as cooperativas e o SETPS. “Dependeria da questão comercial, coisa que o município não pode entrar. Nós monitoramos as reuniões e autorizamos a integração com o metrô. Mas, infelizmente, o STEC não conseguiu um acordo comercial com o SETPS e resolveram hoje fechar as vias da cidade por conta de uma questão comercial deles”, declarou Fábio Mota conforme relatado pela imprensa.

“O STEC e SETPS são concessionários de serviços públicos. O responsável primário pelo transporte público urbano é o poder público municipal. É isso que prevê o inciso V do artigo 30 da Constituição Federal. ACM Neto e sua administração precisa entender que o interesse público está acima dos interesses empresariais. O poder público municipal ainda precisa fiscalizar e planejar a mobilidade urbana e não se omitir. A manifestação mostra que o comando não é da prefeitura”, critica com veemência o legislador.

Hilton Coelho conclui afirmando que “a prefeitura já demonstrou seu descaso com o serviço público ao permitir a retirada de linhas em diversos bairros prejudicando a população mais carente. Agora vemos que nem mesmo sua função mais simples que é regular a concessão, o valor e divisão das tarifas, receber reclamações e sugestões dos usuários do transporte público e averiguar se as empresas contratadas estão cumprindo suas funções. Caso não estejam, a prefeitura pode romper o contrato e abrir nova licitação. Falta autoridade a gestão de ACM Neto ou ela é conivente com os interesses empresariais?”, questiona.

ACM Neto agradece empenho de rodoviários e empresários contra greve

O prefeito ACM Neto agradeceu ao empenho do rodoviários e empresários nas negociações pelo reajuste salarial da categoria, que tiveram desfecho positivo na tarde de hoje (22), com a greve cancelada. O prefeito havia se reunido com o Sindicato dos Rodoviários nesta manhã, no Palácio Thomé de Souza, quando ouviu um apelo dos trabalhadores para que agisse como intermediador do processo. Após esse encontro, ACM Neto telefonou aos representantes do Setps, o sindicato patronal, que, então, decidiu aumentar de 3% para 4% a proposta de reajuste.

“O bom senso prevaleceu. Os rodoviários entenderam que o país enfrenta dificuldades econômicas e os empresários, por sua vez, também cederam diante do apelo por melhorias aos trabalhadores. Quem ganhou com isso foi a cidade, pois evitamos uma greve que iria trazer ainda mais prejuízos aos soteropolitanos num momento em que Salvador não pode parar. Ficamos felizes em ter, mais uma vez, intermediado o acordo”, afirmou o prefeito.

ACM Neto deu garantias aos rodoviários de que não haveria demissão de cobradores. Ele assegurou ainda a manutenção da gratificação para os próximos carnavais, uma novidade que começou na primeira administração do atual prefeito.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia