WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


Feira de Santana-IPTU

:: ‘meio ambiente’

Prefeitura de Feira aplica multa de R$ 5 milhões contra Embasa por obra inacabada

Prefeitura de Feira aplica multa de R$ 5 milhões contra Embasa

Foto: Abnner Kaique

Obras inacabadas das construções de uma Estação Elevatória de Esgoto (EEE), no Parque da Cidade Frei José Monteiro Sobrinho, no conjunto Feira VII, bem como de outra no Loteamento Parque da Cidade, têm causado sérios danos ambientais. Diante disso, o governo do prefeito Colbert Martins Filho, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam), cobrou providências imediatas ao órgão, mas, nada foi feito. O secretário municipal do Meio Ambiente, Arcênio Oliveira, salienta que a primeira notificação foi encaminhada à Embasa no dia 20 de setembro de 2018. “Por falta de esclarecimentos dentro do prazo, a Semmam emitiu uma advertência para que fosse suspenso, de imediato, o lançamento de esgoto, bem como solicitou que o órgão promovesse a manutenção do equipamento, de modo a evitar a persistência dos danos causados ao meio-ambiente”.

Conforme relatório do Departamento de Planejamento e Educação Ambiental foi constatado que em virtude do extravasamento da rede de esgoto “é visível a possibilidade da contaminação da água da nascente, que existe naquela localidade, além do mau cheiro gerado por esse vazamento e o aparecimento de insetos, animais peçonhentos e roedores com frequência”.

De acordo com a secretaria, em sua defesa, a Embasa admitiu o problema, por meio de documento, com a justificativa de que os moradores daquela região fizeram ligações clandestinas antes da conclusão dos serviços. “Contudo, a Semmam encaminhou para o Setor Jurídico, que avaliou pertinente a aplicação de multa no valor de R$ 5 milhões, por considerar infração gravíssima. Após aplicação da penalidade, mais uma vez, a defesa foi indeferida por estar fora do prazo”, acrescentou Arcênio Oliveira. :: LEIA MAIS »

Segurança, Saúde e Meio Ambiente no Trabalho Rural e Urbano serão discutidos em seminário

Nos dias 6 e 7 de novembro será realizado o I Seminário Segurança, Saúde e Meio Ambiente no Trabalho Rural e Urbano de Feira de Santana, no Sesi/Senai, na avenida Eduardo Froes da Motta, bairro Campo Limpo. As inscrições devem ser efetuadas através do site www.fundacentro.gov.br. A realização é da Prefeitura, Ministério do Trabalho e Emprego e a Fundacentro (Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho). A abertura está prevista para as 8h30 com a palestra “A Questão do Uso de Agrotóxicos e a Necessidade da Preservação Ambiental e a Sustentabilidade”, que será ministrada pelo promotor de Justiça Substituto da Regional Ambiental do Recôncavo Sul, Julimar Barreto. Às 10h haverá relatos de experiências, entre eles, a atuação do SAMU 192 em Feira de Santana. Ainda no primeiro dia constam na programação as palestras “Impactos Causados por Agrotóxicos X Agroecologia X Experiências Exitosas no Território”, às 11h, e “Segurança e Saúde em Estabelecimentos de Saúde”, 14h.

Já no dia 7, quarta-feira, às 8h, haverá a apresentação das atividades educacionais promovidas pela Unamacs (Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cidadania Sustentável), com as gestoras Elisângela Lucena e Erika Teles. Na sequência as apresentações do projeto Nascentes Vivas, do Departamento de Educação Ambiental, da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam), e a Regulamentação Municipal do Transporte Rodoviário de Produtos na Legislação de Feira de Santana. Nesse dia também haverá mesa redonda temática: Agravos a Saúde e ao Meio Ambiente.

O seminário tem como objetivo “contextualizar saúde, segurança e meio ambiente no trabalho rural e urbano, a apresentando dados que possam dimensionar os efeitos do trabalho no desencadeamento de doenças e acidentes no trabalho”. O público alvo são profissionais da área de segurança e saúde do trabalho; associações e sindicatos; trabalhadores rurais e urbanos; gestores de instituições governamentais, ambientalistas e interessados em prevenção de acidentes.

Unamacs promove Curso Georreferenciamento Ambiental

Oficinas e cursos promovidos pela Unamacs serão retomados

Unamacs

Nesta quinta-feira, 27, e sexta-feira, 28, a Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cidadania Sustentável (Unamacs) dará continuidade ao cronograma de atividades com o curso Georreferenciamento Ambiental. A atividade vai transcorrer das 8h às 12h, na Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC), e será ministrada por um técnico do Inema (Instituto do Meio Ambiente). O curso é aberto a toda comunidade. Contudo, a participação será garantida mediante inscrição através do e-mail unamacs.semmam@pmfs.ba.gov.br, onde deve constar o nome e o número do CPF do interessado, ou através de contato telefone (75) 3322-9314. Já em outubro, dia 3, a Unamacs vai promover a Oficina de Reaproveitamento de Resíduos Solídos, no Cras Santo Antônio dos Prazeres, das 8h às 12h. No dia 13, a realização da Oficina Propagação de Mudas por Estaquia e Alporquia. A atividade será ministrada por Fábio Bittencourt Figuerêdo.

Ainda estão previstas a realização do Curso de Perícia Ambiental, nos dias 22 e 23, no CETEP, das 8h às 12h, e a Oficina de Robótica, cuja data será definida. Já em novembro, a Unamacs programou a realização de cursos sobre apicultura, e meio ambiente do trabalho: análise e controle, bem como oficinas e o I Seminário de Educação Socioambiental (7 e 8/10).

Técnicos da Semmam identificam nascentes na Rocinha

Técnicos da Semmam identificam nascentes na Rocinha

Foto: Jorge Magalhães

Dando continuidade ao projeto “Nascentes Vivas”, técnicos do Departamento de Educação Ambiental, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam), estiveram no bairro Rocinha, na manhã de quarta-feira, 1º de agosto. No local identificaram e fizeram o georreferenciamento das nascentes que sobreviveram à ação do homem. Eles contaram com a ajuda de moradores mais antigos que relataram as ruas onde existia chafariz.

Em duas horas de trabalho, encontraram duas nascentes vivas e outras duas foram aterradas. No local foram construídas residências. A identificação das nascentes transcorreu até o final do dia. A partir da identificação será elaborado um plano de recuperação com a limpeza e a arborização do local. Uma das dez nascentes vivas do município, que já foram identificadas e já recuperada pela Prefeitura, foi a nascente da Fonte dos Milagres, localizada no bairro Gabriela. As demais serão recuperadas gradativamente.

Segundo o chefe do Departamento de Educação Ambiental, João Dias, as demais nascentes já  identificadas são: Fonte do Lili e do Filipe, ambas na Queimadinha; a nascente do conjunto Cordeirópolis, na avenida Fraga Maia, da Balança, no Parque Getúlio Vargas, além de duas nascentes situadas no São João do Cazumbá. “As nascentes serão recuperadas gradativamente. A próxima será do conjunto Cordeirópolis”, afirma João Dias, acrescentando que no projeto constam a construção de uma praça, serviços de urbanização e arborização. Ainda conforme João Dias, o projeto “Nascentes Vivas” também contempla os distritos. Na próxima semana, a equipe vai se deslocar para a Terra Dura, no distrito de Humildes.

Semmam recolheu 400 peças publicitárias no primeiro semestre

SEMMAN - SECRETARIO -ARCENIO OLIVEIRA - FOTO SARA SILVA (4) copy(1)

Secretário Arcênio Oliveira-Foto: Sara Silva

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam) recolheu, no primeiro semestre deste ano, cerca de 400 peças publicitárias colocadas em locais indevidos e sem a licença ou autorização, que é concedida pelo órgão municipal. Foram removidos cavaletes, outdoor, placas, faixas e banners, fixadas em postes, troncos de árvores e expostas em passeios. O combate à poluição visual está assegurado na Lei Municipal de número 041/09, combinada com o decreto 8.300/11. Neste sentido, prepostos da Semmam saem diariamente percorrendo ruas e avenidas da cidade, inclusive nos distritos, recolhendo esse tipo de material colocado em local impróprio.

Nos primeiros meses do ano, o trabalho resultou na remoção de peças publicitárias nas avenidas Transnordestina, Ayrton Senna, Maria Quitéria, João Durval Carneiro, Getúlio Vargas, Noide Cerqueira, no Anel de Contorno, além dos bairros Limoeiro, Papagaio e conjunto Feira VII. “Todo e qualquer material publicitário deve ter a autorização da Semmam para ser fixado em área pública. O responsável deve solicitar a autorização e efetuar o pagamento da TLP (Taxa de Licença e Publicidade)”, afirma Arcênio Oliveira, secretário municipal do Meio Ambiente, informando ainda que, em 2017, foram removidas quase três toneladas de materiais publicitários.

Quem tem o material apreendido tem o prazo de 30 dias para apresentar defesa ou justificativa através de ofício, que será analisada para recuperação das peças junto a Semmam, que está localizada na rua Leolinda Bacelar, 224, Kalilândia. A reincidência nesta infração caberá multa que varia de R$ 500 a R$ 3 mil. A lei também assegura a Semmam fiscalizar a distribuição de materiais publicitários (panfletos) nas sinaleiras. No objeto de divulgação deve constar o número da autorização fornecida pelo órgão municipal, o nome da empresa que confeccionou o material e constar a informação “de que a cidade deve ser mantida limpa”. Quem identificar poluição visual na cidade pode acionar a Semmam através dos telefones (75) 3322-9306 ou pelo Serviço 156.

Casa dos Conselhos firma parceria com ONG

Casa dos Conselhos firma parceria com ONG

Casa dos Conselhos firma parceria com ONG

A Casa dos Conselhos de Feira de Santana está abraçando a campanha do Movimento Água é Vida (MAV), visando contribuir para a preservação do meio ambiente. A parceria foi reforçada nesta terça-feira (3) com a visita de membros da ONG para apresentar os projetos Árvore Viva, voltado para a coleta de papel, livros e caixas, e Óleo e Gorduras Residuais (OGR).

Durante a apresentação dos projetos, os representantes da ONG orientaram os membros da Casa dos Conselhos a participar intensamente das campanhas. Para tanto basta trazerem de suas residências o OGR e também papel para doarem à ONG, que se responsabilizará pela destinação ecologicamente correta dos resíduos. Os projetos foram apresentados pelo presidente do MAV, Carlos Souza, que destacou o empenho da ONG em incentivar a população feirense a praticarem a reciclagem através da destinação correta dos resíduos sólidos e líquidos.

A presidente do Conselho Municipal da Igualdade Racial, Lurdes Santana, ressaltou a importância da parceria visando preservar o meio ambiente e conscientizar a população sobre a importância de adotar hábitos que venham garantir a destinação correta de resíduos e evitar, assim, tanto a poluição ambiental quanto o desperdício de recursos. Lurdes Santana alertou ainda para a necessidade das pessoas abraçarem a causa e manterem o hábito saudável de colaborarem com a reciclagem de diversos produtos que podem ser reaproveitado e beneficiar assim o meio ambiente.

Unamacs é selecionada para participar de projeto do Ministério do Meio Ambiente

Oficinas e cursos promovidos pela Unamacs serão retomados

Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cidadania Sustentável (UNAMACS)

A Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cidadania Sustentável (UNAMACS) foi selecionada para participar do Projeto Salas Verdes, do Ministério do Meio Ambiente. Com isso, Feira de Santana estará articulada e conectada a outros municípios do país que desenvolvem ações socioambientais reconhecidas pelo órgão federal. Além de Feira, mais vinte e uma cidades baianas foram selecionadas. Foram ao todo 309 projetos. A Unamacs foi implantada em 7 de junho de 2017, através da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Naturais, e está situada no Parque da Cidade Frei José Monteiro Sobrinho, conjunto Feira VII. Durante esse período, tem promovido cursos de formação em educação ambiental, teóricos e práticos, para a comunidade feirense e também de outros municípios da região, assim como oficinas, exposições, reuniões e mostras. As atividades são gratuitas.

Para Elizângela Lucena, educadora ambiental da Semmam, responsável pela elaboração do projeto enviado para o Ministério do Meio Ambiente, a seleção demonstra o reconhecimento dos trabalhos que vem sendo desenvolvidos pelo Departamento de Educação Socioambiental. “Fazer parte de um projeto desenvolvido pelo Ministério do Meio Ambiente fortalece as nossas atividades, além de facilitar a articulação e o estabelecimento de parcerias com outras iniciativas”, afirma.

Ela considera que a Unamacs tem cumprido seu papel como centro de informação e formação ambiental, estimulando a reflexão e construção do pensamento/ação ambiental. Elisângela Lucena destaca que já  foram promovidas trinta e uma atividades, entre cursos e oficinas. Através do projeto Salas Verdes, as atividades da Unamacs vão ganhar maior visibilidade; estará articulada com outras iniciativas; o Departamento de Educação Ambiental terá acesso a publicações e materiais do Departamento de Educação Ambiental, do Ministério do Meio Ambiente.

Universidade Aberta do Meio Ambiente divulga cursos gratuitos do trimestre

Oficinas e cursos promovidos pela Unamacs serão retomados

Unamacs

Os cursos promovidos pela Unamacs (Universidade Aberta do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) serão retomados nesta quinta-feira, 10, com a oficina “Vivências Lúdicas e Sustentabilidade”, das 8h ao meio-dia, no Parque da Cidade Frei José Monteiro Sobrinho. O cronograma de atividades do trimestre foi divulgado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Naturais e está disponível no site da Prefeitura (www.feiradesantana.ba.gov.br). No dia 17, quinta-feira, no Parque da Lagoa Radialista Erivaldo Cerqueira, situado às margens da avenida José Falcão da Silva, nas Baraúnas, haverá a oficina “Maquetes Geoambientais”, das 8h às 12h. Na sexta-feira, 18, haverá uma mesa redonda sobre alimentação saudável, no auditório do Centro Integrado de Educação Assis Chateaubriand, das 8h às 10h e das 14h às 16h.

Ainda no mês de maio, no dia 21, será promovida a oficina “Produção de Biofertilizantes”, na sede da Unamacs, das 8h às 12h. Nos dias 24 e 25 haverá o “Curso de Economia Verde: Mercado de Trabalho e Meio Ambiente”, das 8h às 12h, também no Parque da Cidade.

As atividades prosseguem nos dias 28 e 29, com a realização da “Oficina Horta Vertical”, também no período da manhã. Já no mês de junho, nos dias 4 e 5, será realizada a III Feira de Educação Socioambiental do Município de Feira de Santana, no Parque da Lagoa. No dia 7, consta na programação II Seminário de Educação Socioambiental e Sustentabilidade – Oficina Robótica com Resíduos Eletrônicos e Hortas Suspensas. A atividade vai ocorrer na Reserva Ecológica Traripe, em Oliveira dos Campinhos, das 8h às 17h.

Nos dias 8 e 9 de junho, por sua vez, haverá o “Curso de Prevenção de Incêndios”, na comunidade de São José. O “Curso de Paisagismo Sustentável” está previsto para os dias 11 e 12, e o “Curso de Pericia Ambiental”, nos dias 14 e 15. Ambos vão ocorrer na sede da Unamacs, das 8h às 12h. Já no mês de julho, entre as atividades, haverá o “Curso de Direito Ambiental” (5 e 6/07); “Oficina de Compostagem” (7/07); “Noções de Vigilância Epidemiológica por Animais Peçonhentos e Identificação do Agente Etiológico” (13 e 14/07). Mais informações podem ser obtidas através do número (75) 3322-9318.

Candeias é contemplada com Projeto Salas Verdes

Candeias é contemplada com Projeto Salas Verdes

Projeto Salas Verdes

A Prefeitura de Candeias, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e Agricultura-SEMA, foi contemplada com o Projeto “Salas Verdes” do Ministério do Meio Ambiente. Várias cidades e instituições de todo o país, que atuam com atividades e projetos voltados para educação ambiental, participaram do processo seletivo.  Candeias ficou  entre as treze cidades selecionadas de todo Estado da Bahia.

O Ministério do Meio Ambiente, por meio do Departamento de Educação Ambiental DEA da Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental – SAIC, instituiu o Projeto Salas Verdes no ano 2000, com o objetivo de atender às demandas de inúmeras instituições que buscavam no Ministério do Meio Ambiente publicações para subsidiar suas ações de Educação Ambiental. Foi inicialmente concebido com foco considerável no caráter biblioteca verde que estes espaços poderiam assumir, e a partir do desenvolvimento e da evolução do Projeto, passou-se a visualizar as Salas Verdes como espaços com múltiplas potencialidades, que além da disponibilização e democratização do acesso às informações, podem desenvolver atividades diversas de educação ambiental como: cursos, palestras, oficinas, eventos, encontros, reuniões, campanhas.

Acordo prevê regularização de Sistema Municipal de Meio Ambiente de Condeúba

O Ministério Público estadual e o Município de Condeúba firmaram Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o objetivo de regularizar o Sistema Municipal de Meio Ambiente (Sismuma) da cidade. O Termo foi assinado no último dia 28 pela promotora de Justiça Karina Cherubini; o prefeito Silvan Baleeiro, o diretor municipal de Meio Ambiente, Jesuíno Heber Santos; e pelo presidente do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Manoel José Pereira Neto.

O acordo prevê que, dentro de um ano, seja realizada a revisão e adequação do Código Ambiental de Condeúba; a estruturação do órgão executivo do Sistema; a unificação da nomenclatura das licenças ambientais emitidas no município com a legislação ambiental; a edição de decreto regulamentar da Lei da Política Municipal de Meio Ambiente (PMMA) e a regularização do Conselho Municipal do Meio Ambiente. Já em um prazo de dois anos, o compromisso é regularizar o órgão ambiental municipal, com contratação via concurso público de equipe técnica capacitada para acompanhar e analisar os processos de licenciamento e fiscalização, além da aquisição e manutenção de equipamentos básicos como GPS, computadores, máquinas fotográfica digital, scanner, automóvel, entre outros.

Feira de Santana sedia Conferência Nacional Infanto-juvenil pelo Meio Ambiente

Conferência Nacional Infanto-juvenil pelo Meio Ambiente

V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente

Com o tema “Vamos cuidar do Brasil cuidando das águas”, será realizada no dia 22 de março, próxima quinta-feira, a V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente (CNIJMA), no Museu Parque do Saber. O evento é promovido através da parceria entre a Secretaria Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e o Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Condema).

A conferência é uma estratégia de mobilização de estudantes, adolescentes e jovens de todo o país, visando promover a reflexão, o desenvolvimento de estudos e pesquisas voltadas à sustentabilidade e educação socioambiental.

Para participar do evento e apresentar propostas e projetos realizados nas escolas municipais que se destacaram no âmbito socioambiental, foram convidados alunos das unidades de ensino Maria Antônia da Costa, Regina Vital, Chico Mendes e o Centro de Educação Monteiro Lobato.

As outras escolas interessadas em realizar conferências nas próprias unidades de ensino têm até o dia 14 de abril. É possível encontrar o passo a passo do V CNIJMA através do link: http://conferenciainfanto.mec.gov.br/video-passo-a-passo-para-participacao-na-v-conferencia.

Moradores ignoram caixas coletoras e jogam lixo na rua

Moradores ignoram caixas coletoras e jogam lixo na rua

Caixas Coletoras

Com o propósito de manter a cidade limpa, preservar o meio ambiente e a qualidade de vida da população, como forma de eliminar possíveis focos transmissores de doenças, a Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Serviços Públicos, vem instalando nas principais vias da cidade, e em locais de grande fluxo de pessoas, as caixas coletoras de lixo.

Nesta primeira fase, já foram disponibilizadas cerca de 100 caixas coletoras, que servem, também, para agilizar a limpeza pública, uma vez que são instaladas em locais de fácil acesso para que os moradores possam depositar o seu lixo doméstico e, partir daí, a empresa responsável pela limpeza urbana faça a remoção. Após um período de uso nas vias, as caixas são lavadas e higienizadas, para que continuem a atender a população. Entretanto, nem todas as pessoas estão utilizando desses equipamentos como devem e muitos têm colocado o lixo fora da caixa, deixando os sacos plásticos à mercê do tempo e acabam servindo de chamariz para insetos e animais de rua.

A Prefeitura de Jequié faz a recomendação para que os moradores depositem o material acondicionado em sacos de plástico, até uma hora antes do caminhão passar. Nas áreas que apresentam maior dificuldades de acesso para os veículos o recolhimento é feito utilizando a chamada coleta de frente, de porta em porta, utilizando carrinhos de mão. Depois, todo material é levado até o local onde o caminhão consegue circular e de lá transportado até o aterro sanitário. “A implantação das caixas coletoras tem o propósito de facilitar o serviço de coleta de lixo, tanto para os moradores quanto para a Prefeitura. Esse material descartado é, depois, transportado para o local adequado. Mas a população precisa colaborar não despejando na via pública e sempre utilizando a caixa coletora para descartar seu resíduo. Tem morador que acaba jogando no chão, ao lado do recipiente.”, disse o secretário de Serviços Públicos, Renê Andrade.

José Carlos Alves, que trabalha na limpeza urbana há 20 anos, diz que todo dia se depara com essa situação. “Muitas vezes a gente acaba de limpar a rua e recolher o lixo das caixas e aparece alguém para jogar o lixo no chão e do lado da lixeira vazia, mas não é capaz de colocar dentro da lixeira.”, lamentou o funcionário.

Bahia lidera ranking de licenciamento ambiental

Uma matéria publicada no jornal Valor Econômico, nesta terça-feira (26), aponta que a Bahia é o Estado com as melhores práticas e com maior agilidade para liberação de licenciamento ambiental para empreendimentos empresariais no país. A publicação mostra que o Estado baiano lidera o ranking nacional do Índice de Qualidade do Licenciamento Ambiental (IQL), instrumento inédito elaborado pela consultoria AFranco Partners que mapeia processos de governos estaduais na área ambiental.

O indicador surge de estudo sobre as implicações do caminho percorrido por empresários até a obtenção do licenciamento ambiental para a tomada de decisão de investimentos. O estudo foca os Estados porque é sobre eles que recai a maior demanda por licenciamentos, já que a maior parte dos municípios repassa a responsabilidade institucional para governos estaduais.

De acordo com a diretora-geral do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Márcia Telles, 179 técnicos de nível superior e médio foram contratados e todos os processos foram digitalizados e hoje são feitos pela internet. “Os Estados precisam se fortalecer, fortalecer a gestão municipal, pois muitos empreendimentos podem ser feitos pelas prefeituras, e priorizar avaliações e licenciamentos que significativamente tenham impacto. Atividades hoje mais conhecidas ou empreendimentos em áreas já vocacionadas [para atividade econômica] podem ter um licenciamento mais pontual, deixando os Estados mais livres para se debruçar sobre casos mais relevantes”, afirmou Márcia à publicação do Valor Econômico.

Para formar o IQL, 18 variáveis foram parametrizadas em três blocos principais: transparência, burocracia e prazos. Existência de manuais de licenciamento, serviços on-line, qualidade no atendimento e apresentação de informações de forma clara e acessível são alguns critérios do indicador. Dentro dessa lógica, a Bahia alcança pontuação máxima, com IQL 18. O desempenho está relacionado a várias mudanças implementadas desde 2012.

Deputados apresentam a secretário projeto que destina recursos de emendas para preservação das nascentes dos rios

Deputados apresentam a secretário projeto que destina recursos de emendas para preservação das nascentes dos riosOs deputados estaduais Antonio Henrique Júnior e Eduardo Salles se reuniram na tarde da última terça-feira (12) com o secretário estadual de Meio Ambiente, Geraldo Reis. Os parlamentares levaram ao gestor estadual a proposta – aprovada pelas comissões de Agricultura e de Meio Ambiente da ALBA – de uma audiência pública em Barreiras para discutir a crise hídrica no oeste baiano. Os dois deputados também apresentaram a indicação, que será colocada no Orçamento 2018, para destinar emendas para a recuperação das nascentes dos rios da Bacia do Rio Corrente. A diretora-geral do Inema, Márcia Telles, também participou do encontro.

O deputado Antonio Henrique Júnior apresentou na reunião a proposta, de sua autoria, para a realização de uma audiência pública em Barreiras para discutir a crise hídrica no oeste baiano, questão de ganhou maior relevância após os últimos acontecimentos no município de Correntina. “Nosso objetivo é chamar todos os atores envolvidos à mesa para discutir a questão das águas, da preservação e do uso. Nós queremos chegar a uma solução onde todos sejam contemplados”, afirmou o parlamentar, que tem base na região oeste.

O presidente da Comissão de Agricultura, deputado Eduardo Salles, também reforçou a importância da audiência e explicou a sugestão feita e apoiada pelos deputados para que emendas parlamentares sejam destinadas à preservação das nascentes dos rios. “Nós queremos que os deputados indiquem um valor e, em seguida, vamos pedir que o governo estadual entre com uma contrapartida de igual valor. Nosso objetivo é que esses recursos sejam alocados na Sema e Inema,que a partir dos estudos feitos, vão tocar a preservação desses locais”, comentou.

O secretário Geraldo Reis e a diretora-geral do Inema, Márcia Telles, se mostraram abertos à proposta e elogiaram a iniciativa dos deputados de alocar recursos de emendas para a preservação das nascentes dos rios. Já a audiência pública, de acordo com a proposta, deve acontecer ainda no primeiro trimestre de 2018.

CÂMARA DE VEREADORES_somos parceiro_banner de site Política in Rosa - 500x500 gif


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia