WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


PMFS-Conversor Digital

:: ‘Hospital da Mulher’

Hospital da Mulher, CMPC e CMDI receberão mais de R$ 750 mil de recursos próprios do Município

Hospital da Mulher, CMPC e CMDI receberão mais de R$ 750 mil de recursos próprios do Município

Foto: Andrews Pedra Branca

Mais de 750 mil reais (R$ 764.335,82) de recursos próprios serão aplicados pela Prefeitura Municipal de Feira de Santana, através da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), na aquisição de novos equipamentos para melhoria da infraestrutura do Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, do Hospital Municipal da Criança Dr. José Eduacy Lins, além de unidades de atendimento de saúde como o Centro Municipal de Diagnóstico por Imagem (CMDI) Dr. Eugênio Laurine e o Centro Municipal de Prevenção ao Câncer Romilda Maltez (CMPC). Os novos equipamentos beneficiarão setores como laboratório de exames, enfermarias B.C e D, central de esterilização, centro obstétrico, UTI neonatal, berçário de médio risco.

Na lista de aquisições conta foco cirúrgico de teto com tecnologia LED, mesa ginecológica com acionamento elétrico, bisturi elétrico e automatizada, aparelho de fototerapia para tratamento de hiperbilirrubina em pacientes neonatal, videocolposcópio, ultrassom e ecografia com sistema digital, radiômetro, e cardiotocógrafo, este último indicado para monitoração da gestação durante as fases que antecedem o parto, por meio da ausculta e visualização dos batimentos cardíacos fetais, da monitoração da contração uterina e dos movimentos fetais. Serão adquiridas também centrífuga digital, bomba elétrica para extração de leite humano, destinado ao Banco de Leite Humano (BLH), refrigerador para armazenamento de soro e reagentes do laboratório de exames, mesa cirúrgica eletro-hidráulica, contador de células sanguíneas, homogeneizador para tubos de sangues, microscópio, banho maria digital e mamógrafo. O conjunto de investimentos foi divido em quatro licitações (028-2018/025-2018/035-2018/ 030-2018) e ainda contemplou a aquisição de 30 novos condicionadores de ar para todo complexo de unidades de saúde, incluindo o novo laboratório de análises clínicas, inaugurado no último dia 12.

Os dados estatísticos da FHFS comprovam a referência no atendimento materno-infantil especializado voltado para a área de obstetrícia em Feira e microrregião. De 2013 até 2018 foram atendidas realizados 567.240 atendimentos de emergência, 49.447 partos e procedimentos cirúrgicos, 29.394 consultas pediátricas e 1.634.193 exames laboratoriais. A área de tecnologias da informação (TI) – responsável pela implantação de softwares que promovem a eficiência na emissão de laudos e na geração de prontuários eletrônicos – do Hospital da Mulher, no CMDI e no CMPC recebeu a atenção especial com investimentos que somam R$ 220.893,98 para a compra de modernos equipamentos, como computadores, novos monitores LED, impressoras e materiais de manutenção.

Mais R$ 90 mil também foram destinados para a compra de uma nova ambulância da marca Peugeot (modelo Partner, tipo furgão) conforme normatização (padrões) do Ministério da Saúde que reforçará o translado de pacientes para as unidades de saúde. “Estamos repondo uma ambulância da frota e evitando a manutenção por uso excessivo de veículos mais antigos. O novo equipamento tem estrutura mais eficiente e moderna e, com isso, oferecemos um atendimento mais ágil, qualificado e com mais conforto à comunidade”, explica Gilberte Lucas, presidente da FHFS.

A nova “viatura” possui porta traseira de duas partes – que facilita o acesso ao compartimento do paciente – e iluminação interna em LED, além de sistemas fixo para cilindros de oxigênio, para soro e plasma, maca de alumínio retrátil, dois fluxômetros com umidificador para controlar a vazão de oxigênio, entre outros equipamentos que fazem parte de uma unidade móvel de saúde básica.

Fundação Hospitalar reinaugura laboratório; capacidade é 15% maior

Fundação Hospitalar reinaugura laboratório; capacidade é 15% maior

Foto: Washington Nery

A reforma e ampliação do Laboratório Rosângela Santana Falcão, da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), é mais um passo importante dado pelo Governo Municipal para continuar melhorando o atendimento na saúde pública dos feirenses e de moradores de diversas cidades da região. O espaço totalmente modernizado foi reinaugurado pelo prefeito Colbert Martins Filho na noite da última quarta-feira, 12. Com atendimento médio mensal em torno de 33 mil exames, o Laboratório da Fundação Hospitalar, instalado em anexo do Hospital Inácia Pinto dos Santos – O Hospital da Mulher, passa a ter a capacidade de atendimento ampliada com as intervenções promovidas pelo Governo Municipal. Foram investidos em torno de R$ 270 mil com recursos próprios do Município para garantir atendimento pleno pelo SUS.

O prefeito Colbert Martins ressaltou a importância dos investimentos na saúde pública e observou que o laboratório do município possui grande confiabilidade. “Com certeza o SUS precisa cada vez mais ser melhorado”, afirmou o gestor, que também é médico por formação.

A diretora-presidente da Fundação Hospitalar, Gilberte Lucas, observou o crescimento contínuo no número de atendimento no laboratório. “Em 2013 foram 254.147 atendimentos. Em 2016 chegamos a 327.811 atendimentos e em 2018 já atendemos 195.767 pacientes somente no primeiro semestre. Agora com a ampliação, a expectativa é de podermos atender entre 10 a 15% mais”, frisou.

A secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, ressaltou a dedicação de cada funcionário ao Hospital da Mulher e ao Laboratório. “A saúde é isso, o amor de todos os funcionários ao hospital. Cada azulejo aqui nas paredes tem as mãos de todos os funcionários”.

A dedicação de 23 anos de vida ao Hospital Inácia Pinto dos Santos – O Hospital da Mulher, foi reconhecida pelo Governo Municipal de Feira de Santana com homenagem póstuma à auxiliar de enfermagem Rosângela Santana Falcão, que emprestou seu nome ao laboratório da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), reinaugurado na noite desta quarta-feira, 12, após obras de ampliação e modernização.

Semana de Aleitamento Materno foca no aperfeiçoamento de profissionais

Presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilberte Lucas

Presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilberte Lucas.

O aperfeiçoamento dos profissionais, bem como o incentivo à população no sentido da importância do aleitamento materno, inclusive para a doação do alimento, estão entre os objetivos da Semana de Aleitamento Materno do Hospital Inácia Pinto dos Santos (Hospital da Mulher), de acordo com a presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilbert Lucas. O órgão é mantenedor da unidade de saúde pertencente a Prefeitura Municipal. Com abertura prevista para as 8h do dia 1º de agosto, a campanha vai até o dia 7. O início será com um dia dedicado a palestras e também para o evento científico V Encontro de Aleitamento Materno do BLH do Hospital da Mulher.

Segundo a presidente da Fundação Hospitalar a Semana de Aleitamento Materno 2018 ressalta o incentivo e a importância da doação do alimento, por mães que se encontrem nesta condição. “A nossa taxa de prematuridade é de onze por cento. Por isso é necessário que a população abrace essa causa”, conclama. O Banco de Leite do Hospital da Mulher é uma referência e está credenciado pela rede global de banco de leite humano na categoria A.

As inscrições para as palestras promovidas durante a Semana de Aleitamento Materno podem ser feitas no Banco de Leite do Hospital da Mulher, localizado à rua Barra, nº 705, bairro Jardim Cruzeiro, ou pelo telefone 75 3602-7156, mediante a doação de 1kg de alimento não perecível e um frasco de vidro com tampa plástica (maionese ou de café solúvel).  Haverá atividades no próprio hospital, no centro da cidade, nas unidades I e II do Programa de Saúde da Família no bairro Aviário, no Centro Universitário de Cultura e Arte, entre outros.

Hospital da Mulher ganha novo leito de UTI nenonatal e amplia capacidade de atendimento

Hospital da Mulher ganha novo leito de UTI nenonatal

Foto: Andrews Pedra Branca

Redução na espera de vagas e ampliação da capacidade de atendimento às mães com recém-nascidos prematuros passam a ocorrer, a partir de agora, no Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, com a implantação de mais um novo leito de UTI neonatal. Somente entre os meses de junho de 2017 e junho deste ano nasceram prematuramente na unidade hospitalar 186 bebês, dados que justificam o investimento para a ampliação da Unidade de Terapia Intensiva. Constituídos por incubadoras, ventiladores mecânicos, bombas de infusão (administrar o controle de fármacos e drogas delicadas), monitores multiparamétricos (monitoramento das condições do coração, respiração e pressão arterial) e aparelhos de fototerapia, os leitos de UTI neonatal são destinados para recém-nascidos prematuros (nascido antes de 36 semanas), com insuficiência respiratória grave, cardiopatia e algumas síndromes. “São muitas crianças que nascem na unidade e que precisam de UTI nenonatal”, explica a enfermeira Juliana Rigaud.

Referência em atendimento, atualmente a unidade possui nove leitos de UTI neo que atendem pacientes de Feira de Santana e municípios adjacentes como Amélia Rodrigues, Santo Estevão, Santa Bárbara, Irará, Ipecaetá, Coração de Maria, Conceição do Jacuípe, Antônio Cardoso, São Gonçalo dos Campos, Conceição da Feira e até Serrinha.

A presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), Gilberte Lucas, frisa que o investimento e a manutenção são realizados totalmente com recursos próprios do município. “O hospital possui um numero grande de recém-nascidos com taxa de 11% de prematuros e que, às vezes, ficam no Centro Obstétrico [CO] aguardando vaga na UTI. Com esse novo leito ampliamos a capacidade de melhoria no atendimento dando maior assistência a esses recém-nascidos que necessitam de vaga UTI neonatal”.

Hospitais municipais realizaram mais de 20 mil atendimentos no primeiro semestre

Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher

Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher.

Vinte e três mil atendimentos ambulatoriais. Esse foi o balanço aferido, entre janeiro e junho deste ano, do número de consultas realizadas no ambulatório do Complexo Materno Infantil que engloba os Hospitais Municipais Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, e da Criança Dr. José Eduacy Lins. Os números atestam o acesso da população feirense a importantes áreas da saúde pública através das unidades que ofertam treze especialidades em serviços ambulatoriais. A média ultrapassa mais de três mil e quinhentos atendimentos mensais, com o mês de maio superando a meta com 3.896 se comparada a janeiro (3.650), fevereiro (3.523), março (4.084), abril (3.786) e junho (3.896).

Entre as especialidades ambulatoriais oferecidas no Hospital Municipal da Criança, a área de Fonoaudiologia é a que apresenta maior demanda, totalizando 2.981 pacientes atendidos. A Pediatria aparece em segundo lugar com 2.060 atendimentos, seguido da Cardiologia (448), Cirurgia Pediátrica (316), Ortopedia (297), Neurologia (277), Endocrinologia (282), Gastroenterologia (203), Pneumologia (200), Fisioterapia (123), Nefrologia (91) e Hematologia (65). A menor demanda foi registrada em Psicologia Infantil com apenas 24 crianças atendidas por conta da implantação recente do serviço na unidade hospitalar.

De acordo com a pediatra da unidade, Rosália Alves, o retorno ao profissional de saúde especializado é essencial para acompanhamento da evolução da saúde da criança. “É necessário orientar a mãe adequadamente. A pediatria é a base de tudo, pois se não cuidar da criança desde o início alguns problemas poderão surgir”, explica a médica.

A presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilberte Lucas, aponta que a curva crescente na estatística de atendimentos está relacionada à referência do Hospital Municipal de Criança no quesito atendimento básico de saúde, ou seja, ambulatorial. “Outras unidades não têm especialidades pediátricas essenciais que oferecemos aqui”, explica.

Outro diferencial da maternidade municipal é a oferta diária de tratamento especializado com fisioterapeuta e fonoaudiólogo por equipe multiprofissional, além de assistência pré-natal com a realização de testes do pezinho, da orelhinha, da linguinha, do olhinho e do ouvindo, todos exames preconizados [recomendados] pelo Ministério da Saúde. “Todos os bebês nascidos nesta unidade com alguma patologia são acompanhados diretamente via atendimento ambulatorial”.

Mais de 70% da reforma e ampliação do laboratório do Hospital da Mulher já foi executada

Reforma e ampliação do laboratório do Hospital da Mulher

Reforma e ampliação do laboratório do Hospital da Mulher

A reforma e ampliação do laboratório de análises clínicas do Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, está adiantada com aproximadamente 75% da obra executada. Para a realização, o Governo Municipal, por meio da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), investe recursos próprios da ordem de R$ 219 mil. Instalado há 26 anos, o equipamento é responsável pela realização de mais de 300 mil atendimentos/ano.

Segundo a diretora da FHFS, Gilberte Lucas, a sala de repouso feminina e masculina de funcionários da unidade e respectivos sanitários, além de mais dois totalmente preparados para atender pessoas com deficiência, estão em fase de acabamento. O banheiro infantil, sala de coordenação e administração, setores técnicos I e II, salas de coleta infantil e adulta também já foram construídas. “As melhorias servem para ampliar a capacidade de atendimento e humanizá-lo ainda mais”, ressalta Gilberte.

Com previsão de conclusão no mês de agosto, a obra contempla ampliação da sala de bacteriologia, bioquímica, hematologia e da área da recepção. As redes elétrica e hidráulica já foram substituídas. Novas esquadrias (portas e janelas) serão instaladas e parte da calha do telhado será trocada. O equipamento também receberá nova pintura e as paredes internas do laboratório estão sendo revestidas com pastilhas e as externas com cerâmica. Ainda, será aplicado piso de alta resistência, instalação da rede logística (novos telefones e computadores), luminárias de emergência e extintores de incêndio. Provisoriamente, a coleta de material para exames é realizada diariamente em um espaço situado à Rua Paulo Afonso, nº 495, em frente à sede da unidade em reforma.

Gilberte Lucas frisa que todos os procedimentos de pacientes internados no Hospital da Mulher estão sendo realizados normalmente em um espaço provisório na sala que já foi ocupada pelo Banco de Leite Humano. O laboratório funciona de segunda a sexta, das 7h às 17h, e oferece exames laboratoriais como hemograma (exame de sangue), exame parasitológico de fezes, urina, microbiologia, imunologia, bioquímica e hormônios.

Infraestrutura do Hospital da Mulher receberá R$ 1,6 milhão em investimentos

Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher

Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher.

O Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, receberá importantes investimentos em infraestrutura este ano. O anúncio será nesta quinta-feira (3) no auditório da unidade, a partir das 8h. Mais de R$ 1 milhão e 600 mil serão destinados à aquisição de cadeiras, mesas e longarinas, mesa cirúrgica, foco cirúrgico, desfibrilador, maca ginecológica automatizada, fototerapia, ares condicionados, ultrassom, além de equipamentos para o setor de informática.

Todo o investimento será executado totalmente com recursos próprios da Fundação. Desse montante, R$ 436 mil será voltado para as reformas da Central de Esterilização, do Centro de Parto Interno da unidade e da própria sede da FHFS.  Na oportunidade também serão apresentadas as coordenações da unidade hospitalar e as licitações de compras de material para esses investimentos.

Micareta 2018: Hospital da Mulher lança bloco com o tema humanização do parto

Hospital da Mulher lança bloco com o tema humanização do parto

Bloco do Hospital da Mulher

Entrando no clima da Micareta de Feira de Santana 2018 – que completa 80 anos de criação – o Hospital Inácia Pinto dos Santos, Hospital da Mulher, “bota o bloco na rua” e estreia na ‘Festa de Momo’ desfilando no Circuito Maneca Ferreira, no dia 18 de abril, data que antecede a abertura oficial da festa momesca. Programado para sair às 20h do Centro Cultural Amélio Amorim, o bloco é voltado para os profissionais da área da Saúde, funcionários, colaboradores, amigos e simpatizantes do parto humanizado. As camisas serão entregues no dia 18 de abril, das 14 às 19h, na Academia Body Work – Rua São Domingos, nº 498, mesmo local onde poderão ser adquiridas na troca por 1 quilo de alimento não perecível e 1 frasco de vidro com tampa plástica.

Com o nome “Mulheres sabem parir e bebês sabem nascer”, o bloco, além de proporcionar mais alegria na Micareta, tem como intuito principal levar informação para os foliões, fortalecer o movimento nacional da humanização do parto e nascimento, garantindo assim o protagonismo da mulher na hora do parto. “Vamos promover uma ação educativa, que reforçará a importância da humanização do parto normal. A equipe [de humanização] estará à frente da divulgação”, pontua a presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilberte Lucas.

Segundo a diretora do Hospital da Mulher, Charline Portugal, o foco da inciativa é fortalecer junto à comunidade local e circunvizinha a informação real sobre o parto humanizado. “Ao longo do tempo esse tipo de parto vem perdendo a preferência entre as mulheres devido à praticidade em parir um bebê em apenas 40 minutos através do parto cirúrgico [cesáreo]”, alerta a diretora.

Entretanto, aponta Charline Portugal, a realização da chamada cesária leva algumas consequências para as mulheres e os bebês. “Por isso, só devem ser realizadas quando houver indicação obstétrica necessária”, alerta.

 

Hospital da Mulher inaugura primeira Residência Médica municipal da Bahia

Implantação de novos serviços no Hospital da Mulher Foto ACM (7) - RESIDENTES

Foto: ACM

Com especialização médica voltada para área de obstetrícia, o Hospital da Mulher, gerido pela Fundação Hospitalar Inácia Pinto dos Santos, inaugurou, na manhã desta terça-feira, 20, a primeira Residência Médica municipal, na Bahia. Na oportunidade também foram inauguradas as obras de restauração do ambulatório do Hospital da Mulher, o lançamento do Projeto de Fisioterapia Pélvica, a restauração do setor de Fisioterapia Pediátrica, inauguração da brinquedoteca, e o atendimento de novos serviços e especialidades materno-hospitalar.

O Hospital da Mulher é uma referência estadual, na área de atendimento materno-hospitalar, contabilizando mais de mil consultas/mês. De acordo com Gilbert Lucas, presidente da Fundação Hospitalar, o ambulatório do equipamento funciona com 100% da sua capacidade de atendimento, “um serviço de grande importância para a demanda de Feira de Santana e da região”. Ao ressaltar a importância da implantação da Residência Médica no Hospital da Mulher, a secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, elogiou à direção da unidade de saúde pelos avanços que vem implementando na unidade hospitalar.

Gilberte Lucas é contemplada com a Comenda Maria Quitéria

Gilberte Lucas é contemplada com a Comenda Maria Quitéria

Vereador Lulinha e Gilberte Lucas

A presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, que administra o Hospital Inácia Pinto dos Santos (Hospital da Mulher), Gilberte Lucas, foi contemplada com a maior honraria da Câmara Municipal de Feira de Santana, a Comenda Maria Quitéria. A entrega aconteceu na noite desta terça-feira (06). A iniciativa foi do vereador Luiz Augusto de Jesus-Lulinha. “Motivo de orgulho e satisfação”, resumiu Gilbert Lucas, ao agradecer aos vereadores, autoridades, amigos e especialmente à família.

Hospital da Mulher implanta prontuário eletrônico e otimiza atendimento a pacientes

Hospital da Mulher implanta prontuário eletrônico e otimiza atendimento a pacientesOtimizar tempo, garantir agilidade no atendimento e maior segurança nas informações do paciente. Estas são as vantagens da implantação do prontuário eletrônico do paciente, o PEP, no Hospital Inácia Pinto dos Santos (HIPS), o Hospital da Mulher. Em fase inicial, a modernização com o novo sistema na unidade, através da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), tem como objetivo disponibilizar todas as informações sobre histórico do paciente, evolução do tratamento, prescrições médicas e exames solicitados. O sistema PEP oferece soluções para centralizar, armazenar e organizar estas informações com segurança.

Assim, o Hospital da Mulher otimizará o sistema de registro do paciente e, consequentemente, o acesso ao prontuário do mesmo. Através desta tecnologia, médicos, enfermeiros e demais profissionais da área de saúde têm acesso às informações que ficam integradas a todos os setores que necessitam da utilização do recurso, trazendo comodidade para os trabalhadores e pacientes, reduzindo a chance de erros.

PEP minimiza eventuais erros de registro

“O PEP vai agilizar e tornar mais eficiente o atendimento do paciente, além de minimizar a probabilidade de erro de registro e garantir que as informações referentes ao paciente ajude no diagnóstico, tratamento e no atendimento por excelência que ele necessita”, explica o coordenador de Tecnologia da Informação (TI) da FHFS, Carlos Araújo. Iniciada a informatização na recepção da unidade com o cadastro do paciente, o mesmo é direcionado para o setor de Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR), no qual a enfermeira colhe as informações e registra no PEP.

Destino do paciente é definido de imediato

A enfermeira do ACCR, Lícia Barbosa Lopes, explica que, no novo sistema, além de classificar a ordem de prioridade, já define o local que o paciente será encaminhado. “Após o atendimento aqui na Classificação de Risco, definimos qual será o destino da paciente, ou seja, se encaminhada para o consultório de emergência, para retorno à unidade básica ou ainda para outra unidade hospitalar. Se ela for para o consultório, o médico terá acesso a essas informações que colhemos aqui. É um serviço que facilita muito o acesso ao registro desses atendimentos”, ratifica a profissional de saúde.

Interligado também ao Laboratório do Hospital da Mulher, foi instalado um painel de notificação que permite aos funcionários visualizarem os nomes dos pacientes e o setor do internamento. O equipamento facilita e agiliza a informação para realização da coleta laboratorial, podendo classificar o caráter de urgência ou não em relação ao exame.

Integração entre consultório e setores do hospital

Inserindo também na parte médica, o PEP auxiliará na solicitação de exames e prescrição médica, integrando o consultório médico com a Farmácia, setor de Nutrição e ao Laboratório de Análises Clínicas. Desta forma, todo o processo ganha em agilidade, fica mais claro e visa a segurança do paciente na dispensação do medicamento (distribuir um ou mais medicamentos a um paciente) e dieta.

Em fase de construção para interligar com demais setores, o sistema será implantando também no Banco de Leite Humano (BLH) e Lactário da unidade. Ao ser questionada sobre as principais mudanças ocorridas na FHFS, a diretora da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilberte Lucas, afirma que seu principal objetivo é melhorar a qualidade do serviço de saúde. “Mas, para isso, é necessário treinar a equipe para o uso correto dos sistemas de informação”, pontua a gestora.

Centenas de mulheres feirenses realizarão cirurgia de gigantomastia

Hospital da Mulher faz triagem para cirurgia de gigantomastia“Sinto dores, sofro preconceitos, minha autoestima é baixa!”. Esses foram alguns dos relatos das mulheres que participaram da 6ª triagem para a cirurgia reparadora de gigantomastia realizada, no último dia 14, no ambulatório do Hospital Inácia Pinto dos Santos (HIPS), o Hospital da Mulher.

Com o intuito de serem operadas entre 2018 e 2019, cerca de 150 mulheres participaram do mutirão que ocorreu pela manhã na unidade hospitalar. Muitas delas que passam por dificuldades e sofrem com desconforto sonham em se submeter a cirurgia reparadora da mama, realizada através da mamoplastia redutora.

O cirurgião plástico, César Kelly, coordenador do Programa de Tratamento das Gigantomastias Extremas do Hospital da Mulher, afirma que com a retirada do excesso das mamas “as mulheres se sentem renovadas e passam a ter uma vida muito melhor, uma autoestima e uma vida sexual completamente melhorada”.

Após o processo de triagem, as mulheres selecionadas passarão por mais duas etapas: a visita do assistente social até a casa das mesmas, e a realização de exames solicitados antes da cirurgia, como ECG (eletrocardiograma), hemograma, entre outros.

Segundo Gilberte Lucas, presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), os exames serão totalmente custeados com recursos próprios do município e as cirurgias selecionadas estão previstas para março de 2018. “O apoio da Prefeitura por meio da Fundação é fundamental para a realização da operação, já que todo o custeio é cem por cento da gestão municipal”.

Apesar de ser uma cirurgia de rápida recuperação, é preciso seguir alguns cuidados após o procedimento, como: não levantar os braços e nem pegar peso no primeiro mês da realização da operação, orienta o cirurgião. César Kelly frisa que esse é o único programa institucional no Brasil que faz o tratamento das mamas gigantes.

“Começamos desde 2011 graças ao apoio da Prefeitura Municipal de Feira de Santana, da Fundação Hospitalar e de outros hospitais que na época participaram. Aqui na Bahia a procura é muito grande. Já operamos quase 200 pacientes, mostrando a necessidade pública de solucionar esse problema. Acreditamos que seja um exemplo para outras prefeituras, outros Estados para que organizem seus próprios programas”, ressalta.

O cirurgião ainda afirma que o problema já é considerado de saúde pública e que o programa apresenta o diferencial de proporcionar apoio às mulheres. “Reconhecemos que essa cirurgia devolve a autoestima. É um programa que queremos cada vez mais expandir para atender outras mulheres”.

Banco de Leite do Hospital da Mulher recebe certificado categoria A

Banco de Leite do Hospital da MulherO Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, foi premiado, pela quarta vez, com o certificado de credenciamento da Rede Global de Leite Humano (rBLH) na categoria A.

O credenciamento de 2017, de acordo com o monitoramento dos parâmetros, inclui a regularidade na alimentação do Sistema de Informação da rBLH-BR e aptidão do quadro funcional para os processos de trabalho em BLH.

Desde 2014 até o ano passado, o Banco de Leite do Hospital da Mulher esteve classificado na Categoria Ouro, certificação de referência em Aleitamento Materno no país atestada pelo Ministério da Saúde em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Com as mudanças das nomenclaturas, os certificados que antes estavam categorizados como ouro, prata e bronze passam a ser classificados como A, B e C.

Para conquistar o padrão A é preciso atender os principais requisitos solicitados pela rede BLH, como: quantidade mínima de equipamentos essenciais, fazer alimentação dos dados na rede até determinado período, desenvolver todos os processos que são requisitados para ser qualificado enquanto banco de leite.

Outra novidade para o banco de leite do HIPS é que a unidade recebeu um Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES) que visa ser a base para operacionalizar os Sistemas de Informações em Saúde, sendo estes imprescindíveis a um gerenciamento eficaz e eficiente do SUS.

Em 2018, segundo a responsável técnica pelo Banco de Leite do Hospital da Mulher, a bióloga Camilla Martins, cada banco de leite que estiver credenciado na rede BLH e apto às suas funções renovará o credenciamento.

“O padrão que mantivemos desde 2014 reforça o trabalho constante de atualização em serviço dos profissionais com foco no preenchimento dos formulários, sem contar os esforços da diretoria do hospital e da Fundação Hospitalar em atualizar o parque tecnológico do banco de leite”, afirma Camilla Martins.

Este ano, o Governo Municipal renovou equipamentos específicos do BLH do Hospital da Mulher, obrigatórios para o processo de controle de qualidade do leite humano ordenhado e na limpeza do material. Foram adquiridos, conforme explica Gilberte Lucas, presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), “um total de nove equipamentos, sendo: um banho-maria, um resfriador, dois agitadores de soluções (vortex), dois deionizadores, dois lavadores de pipeta e uma estufa digital”, além de novas poltronas que oferecem suporte e conforto para as mães doadoras.

Hospital da Mulher faz triagem para cirurgia de gigantomastia

Hospital da Mulher faz triagem para cirurgia de gigantomastiaDores na coluna decorrente do tamanho excessivo das mamas é a principal queixa das mulheres que sofrem de hipertrofia mamaria. Esse desconforto implica em problemas relacionados à saúde e o procedimento cirúrgico realizado nesses casos é muito mais do que um fator estético.

Em Feira de Santana, as mulheres de baixa renda que residem na cidade poderão participar mais uma vez do mutirão para a realização da gigantomastia (cirurgia reparadora da mama, feita através da mamoplastia redutora) no Hospital Inácia Pinto dos Santos (HIPS), o Hospital da Mulher.

A 6ª triagem será realizada nesta quinta-feira (14) no ambulatório do Hospital, a partir das 7h. Serão distribuídas 200 fichas para avaliação gratuita, que será realizada pela equipe médica e equipe de assistentes sociais. As pacientes escolhidas, cerca de 40 a 60 mulheres, serão operadas em 2018 e 2019.

É preciso dos seguintes requisitos para participar da triagem: Residir em Feira de Santana; Ter mais de 4 kg de mama; Ter filho(s), pois trata-se de um procedimento reparador que futuramente impossibilitará a amamentação e a sensibilidade da área; Ter carência econômica.

Outros critérios são estabelecidos pelo profissional médico que faz as cirurgias. As mulheres que já realizaram triagens anteriormente e não foram selecionadas por não atender os requisitos serão observadas criteriosamente.

A presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), Gilberte Lucas, afirma que neste ano a pré-avaliação será mais rigorosa. “Observamos que na última triagem 30% que participaram deram endereço de Feira de Santana e não moravam na cidade, e outras participantes tinham condição de fazer a cirurgia particular”, explica.

Gilberte ainda afirma que a equipe de assistentes sociais vai até a residência da mulher sem aviso prévio, pois o recurso para a realização das cirurgias é próprio, ou seja, totalmente custeado pela Prefeitura Municipal de Feira de Santana e sem credenciamento pelo SUS, e por isso não tem como atender a demanda de outros municípios.

De acordo com o cirurgião plástico, Cesar Kelly, coordenador do Programa de Tratamento das Gigantomastias Extremas do Hospital da Mulher, o programa tem um caráter altruísta e de voluntariado que envolve o município, os profissionais e o Hospital da Mulher. Somente neste ano dezenove mulheres já foram contempladas para o tratamento cirúrgico.

Hospital da Mulher destaca-se como campo para prática de estágios curriculares

Hospital da Mulher destaca-se como campo para prática de estágios curricularesMedicina, Biomedicina, Nutrição, Enfermagem, Técnico de Enfermagem, Administração, Psicologia, Radiologia, Técnico de Laboratório e Fisioterapia estão entre as áreas acolhidas pelo Hospital Inácia Pinto dos Santos (HIPS), o Hospital da Mulher, como campo para práticas de estágios curriculares (obrigatórios) de alunos de cursos técnicos e graduação.

Considerado Hospital Escola (HE), o Hospital da Mulher, destaca-se por efetivar convênios entre instituições de ensino superior e técnico de Feira de Santana, sejam elas particulares e públicas. Nove instituições de ensino superior e mais quatro escolas técnicas contemplam, atualmente, 238 alunos e 20 bolsistas.

“Por sermos uma instituição pública, ainda garantimos a esses discentes uma oportunidade em contribuir com a construção do Sistema Único de Saúde (SUS), modelo de saúde vigente no país”, explica a coordenadora do setor de Educação Permanente, a enfermeira Anne Carolline Portugal.

Segundo a presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), Gilberte Lucas, responsável por conveniar as instituições, o Hospital da Mulher serve como espaço de ensino, prática e aprendizagem para alunos de diversos cursos, contribuindo para o aperfeiçoamento em sua formação. A gestora pontua que a iniciativa não possui ônus para o erário e, ainda, busca proporcionar experiências de âmbito técnico-científico, promoção da atividade assistencial, gerencial, de ensino e pesquisa.

“Referência para média e alta complexidade, o HIPS contribui na promoção da formação de profissionais de saúde e áreas afins. Colabora também no acesso dos estagiários às tecnologias, numa perspectiva de inserção e integração em redes de saúde, observando as necessidades da população”, afirma Gilberte.

Estágio

Fundamental para o estudante, o estágio é o primeiro passo para a carreira profissional, possibilitando troca de ideias, experiências e conhecimentos tanto com outros estagiários quanto com os profissionais atuantes na área.

“O estágio coloca você diretamente na prática. Um verdadeiro teste do que aprendeu na faculdade, pois o estagiário conhece a postura do profissional e como ele se relaciona com o mercado de trabalho. É uma bagagem a mais que o estudante adquire”, relata a estudante de biomedicina, Caroline Barreto.

Também, as práticas executadas preparam o discente para o desempenho de suas funções com responsabilidade, ética, liderança, capacidade de comunicação e tomada de decisões.

Para a estagiária de enfermagem, Evelin Oliveira, o estágio é fundamental para a experiência do profissional e mais uma oportunidade para quem precisa entrar em contato com o mercado de trabalho, tendo a chance de utilizar a teoria estudada em sala de aula nas atividades práticas realizadas no local de trabalho.

“É a oportunidade de fazer um ‘link’ ente a teoria e a prática, adquirindo experiência. Pois, às vezes, a instituição de ensino não dá essa oportunidade, ou o oferecido é restrito”.

Alan Sanches diz ver com tristeza inabilidade do funcionamento do Hospital da Mulher

Hospital da Mulher em SalvadorO deputado estadual Alan Sanches (DEM) que é vice-presidente da comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa da Bahia, em visita, aprovada por unanimidade no colegiado, ao Hospital da Mulher, disse ter visto com tristeza a inabilidade do funcionamento da unidade recém-inaugurada. Segundo ele destaca, somente metade do equipamento funciona.

“Existem, nada menos, que seis enfermarias fechadas na ala superior e na ala inferior, onde funcionava a antiga UPA (Unidade de Pronto Atendimento), cujos recursos foram transferidos para Lauro de Freitas, o cenário é de abandono, o que justifica as muitas queixas de falta de atendimento por parte da população, que já é tão carente de um serviço de qualidade na rede de saúde pública”, destacou.

Por fim, Alan Sanches conclamou que: “se o Governo Estadual não consegue gerir seus próprios projetos que faça uma parceria com a prefeitura, com o Governo Federal, mas atenda aos baianos da forma devida e de acordo com o que propaga”.

Comissão de Saúde da ALBA visita Hospital da Mulher

Comissão de Saúde da ALBA visita Hospital da MulherA Comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa da Bahia aprovou, por unanimidade, visita ao Hospital da Mulher, em Salvador, na próxima segunda-feira (16).

De acordo com o presidente do colegiado, deputado Alex da Piatã (PSD), o objetivo é conhecer as instalações, as condições de funcionamento e conhecer as intervenções necessárias para o melhor atendimento dos cidadãos, visto que a unidade foi inaugurada pelo governo do Estado neste ano.

A deputada Maria del Carmen (PT) sugeriu à Comissão de Saúde estender o convite da visita para a Comissão de Direitos da Mulher. A petista disse que o assunto interessa aos dois colegiados e que as deputadas precisam entender o funcionamento de um hospital com demanda fechada.

OUTRAS VISITAS – A Comissão também aprovou um calendário de visitas no interior do Estado. No dia 6 de novembro, os deputados vão à Feira de Santana visitar as unidades hospitalares do município.

Os parlamentares visitarão o Hospital Cleriston Andrade, Hospital da Criança, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e visitar a construção da Policlínica. O convite do colegiado vai ser ampliado à Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores da cidade.

“Teremos sensibilidade para propor discussões e apresentar projetos de lei mais qualificados. No final, quem ganha é o cidadão”, disse Alex.

Os deputados também aprovaram visita à Santa Casa de Misericórdia, em Cachoeira, e nos hospitais de Santo Antônio de Jesus para o dia 14 de dezembro.

Novos servidores do Hospital da Mulher recebem curso sobre lactação e amamentação

Explicações sobre aleitamento materno, preparo das mamas, lei do acompanhante, exposição de vídeos, diálogos entre palestrantes e alunos. Tudo isso fez parte do Curso de Manejo da Lactação e Amamentação realizado durante o mês de setembro no Hospital Inácia Pinto dos Santos (HIPS), o Hospital da Mulher.

Voltado para funcionários que atuam direta e indiretamente com mães e crianças da unidade hospitalar, o curso teve como objetivo alertá-los acerca da importância da promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno mediante a adoção dos ‘dez passos para o incentivo do aleitamento materno’ e do ‘cuidado amigo da mulher’.

O curso atende aos termos estabelecidos pela Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), selo idealizado em 1990 pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e pelo UNICEF para unidades parceiras que promovem, protegem e apoiem o aleitamento materno.

“Seguimos as especificidades da Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactantes (NBCAL) e da Lei do Acompanhante (Lei nº 11.108/2005)”, explica Nadja Vieira, enfermeira do Banco de Leite Humano (BLH).

Dez passos

Os dez passos pré-estabelecidos consistem em: ter uma norma escrita sobre aleitamento materno, que deve ser rotineiramente transmitida a toda a equipe do serviço; treinar toda a equipe, capacitando-a para implementar essa norma; informar todas as gestantes atendidas sobre as vantagens e o manejo da amamentação; ajudar a mãe a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto; mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo se vierem a ser separadas de seus filhos; não dar a recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que tenha indicação clínica; praticar o alojamento conjunto, permitindo que mães e bebês permaneçam juntos 24 horas por dia; encorajar a amamentação sob livre demanda; não dar bicos artificiais ou chupetas a crianças amamentadas encorajar o estabelecimento de grupos de apoio à amamentação para onde as mães devem ser encaminhadas por ocasião da alta hospitalar.

“O curso visa capacitar os novos funcionários do Hospital da Mulher sobre o incentivo e promoção do aleitamento materno. Como o hospital possui o título IHAC, constantemente a equipe é treinada para que todos falem a mesma linguagem e sigamos com o ‘Padrão Ouro’ da Fiocruz [certificado de confiabilidade para Bancos de Leite Humano – BLHs]”, ressalta Gilberte Lucas, presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS).

CÂMARA DE VEREADORES_somos parceiro_banner de site Política in Rosa - 500x500 gif


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia