WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


:: ‘feira de santana’

Em vídeo, Carlos Geilson diz estar com Covid-19

O ex-deputado e pré-candidato a prefeito de Feira de Santana, Carlos Geilson (Podemos), anunciou nesta segunda-feira (06) que testou positivo para o novo coronavírus (Covid-19).

View this post on Instagram

Que Deus nos proteja.

A post shared by Carlos Geilson (@carlosgeilsonoficial) on

Agentes de Cultura de Feira de Santana se articulam e cobram aplicação da Lei Aldir Blanc

Agentes de Cultura de Feira de Santana se articulam e cobram aplicação da Lei Aldir Blanc

Foto: Divulgação / Ascom

Após sanção no dia 30 de junho da Lei Federal de Emergência Cultural Aldir Blanc, os agentes culturais de Feira de Santana (BA) seguem mobilizados em ações que instrumentalizam a categoria e cobram medidas enérgicas do governo municipal para assegurar a chegada do recurso ao maior número de pessoas dessa cadeia produtiva.

Nesta terça-feira (7), às 19 horas, será realizado o segundo encontro virtual pelo Google Meet, aberto aos agentes de cultura que desejam se engajar nas articulações da categoria. Essa reunião vai tratar das atualizações da Lei Aldir Blanc e das atividades realizadas pelos grupos de trabalho organizados pelo Fórum Permanente de Cultura da cidade.

Enquanto aguardam a edição da Medida Provisória com crédito do valor previsto na Lei, estados e municípios devem preparar suas logísticas de cadastramento para fazer chegar o recurso àqueles e àquelas que precisam assegurar um isolamento social digno, diante da necessidade de cuidados sanitários especiais orientados pelas autoridades mundiais de saúde durante a pandemia pelo novo coronavírus.

“Somos produtores, artistas, técnicos, educadores, pessoas que pararam suas atividades profissionais desde o início da pandemia e ainda não têm previsão de retorno ao trabalho. A sanção da Lei foi uma grande conquista. Agora é #PagueJá”, comenta Maylla Pita, produtora cultural da região. :: LEIA MAIS »

Prefeito de Feira volta a restringir funcionamento das atividades comerciais

Colbert Martins Filho

Prefeito de Feira, Colbert Martins Filho – Foto: Divulgação/PMFS

O prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho (MDB), decidiu voltar a restringir o funcionamento das atividades comerciais na cidade.

“Diante do cenário que infelizmente estamos enfrentando em nossa cidade por conta do coronavírus, priorizando a vida e a saúde de todos, decidi restringir novamente o funcionamento das atividades comerciais em nossa cidade. A partir de terça feira 07/07, só irão funcionar as atividades essenciais. Essa medida dura, tem como objetivo ampliar as taxas de isolamento social, principal medida no enfrentamento da Covid-19. A nossa terra sempre foi reconhecida pela força do comércio e da nossa gente. Quero assim, nesse momento delicado, me dirigir a todos que vivem do comércio em Feira de Santana, dizer que entendo as dificuldades enfrentadas e enfatizar a todos, que atualmente enfrentamos apenas um inimigo, o coronavírus. Vamos seguir com a força e altivez que sempre tivemos em toda nossa história”, disse Colbert em suas redes sociais.

Dez bairros concentram quase 40% dos casos de Covid-19 em Feira de Santana

Feira de Santana

Feira de Santana – Foto: Divulgação / PMFS

Os dez bairros que registram mais casos de exames positivos para Covid-19 em Feira de Santana concentram 37,92% de todos os casos no município. O balanço do número de casos por localidades foi divulgado pela Vigilância Epidemiológica, da Secretaria Municipal de Saúde, na noite desta sexta-feira, 03.

São 1.568 casos nos dez bairros que encabeçam a relação. O primeiro é o SIM com 281 casos; Tomba com 238; Jardim Cruzeiro com 157; Magabeira 155; Papagaio 141; Campo Limpo 140; Santa Mônica 118; Parque Ipê 117; Gabriela 112 e Brasilia 109. :: LEIA MAIS »

Defensorias Públicas entram com recurso para assegurar alimentação aos alunos de Feira de Santana

Defensorias Públicas entram com recurso para assegurar alimentação aos alunos de Feira de Santana - foto Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

Mais de três meses após a suspensão das aulas devido à pandemia do coronavírus, cerca de 52 mil alunos da rede municipal de ensino de Feira de Santana ainda não receberam os alimentos que compõem a merenda escolar. Com a justificativa de verba insuficiente para distribuir estes alimentos de maneira segura sem causar aglomerações, a Prefeitura de Feira de Santana entrou com uma ação na Justiça Federal para desvincular 8% das verbas de um Fundo de manutenção e desenvolvimento do ensino e destiná-lo, excepcionalmente, à distribuição da alimentação durante este período da pandemia, mas teve liminar indeferida.

Em um esforço conjunto para resolver o caso e em uma atuação considerada inédita, a Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA e a Defensoria Pública da União – DPU resolveram intervir como parte ou custos vulnerabilis, ou seja, como guardiões dos interesses dos vulneráveis, e entraram com um recurso contra a decisão judicial e para assegurar o direito à alimentação destes alunos.

Na ação de nº 1005260-57.2020.4.01.3304, que tramita na 1ª Vara da Justiça Federal de Feira de Santana, a Prefeitura solicita a desvinculação de 8% das verbas precatórias do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização Magistério – FUNDEF e justifica a destinação para a alimentação escolar.

Pela lei, estas verbas devem ser aplicadas pelos municípios na educação, mas, na ação, a Prefeitura pede que, devido à pandemia, este valor seja destinado à distribuição da alimentação aos alunos durante este período em que as aulas estão suspensas. O órgão alega não ter como continuar a arcar com a entrega dos alimentos, pois o valor recebido do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE, que é a fonte dos recursos para a merenda escolar, por aluno é insuficiente [este valor varia entre R$ 6,40 e R$ 21,40] para a confecção de kits, assim como a entrega dos kits geraria aglomeração das pessoas. A ideia é complementar este valor, efetuar depósitos em cartões de débitos e fornecê-los aos pais e responsáveis. :: LEIA MAIS »

Feira de Santana perde quatro mil empregos formais no trimestre da pandemia

Feira de Santana

Foto: Divulgação/PMFS

No trimestre da pandemia, pouco mais de quatro mil postos de trabalho com carteira assinada foram fechados em Feira de Santana. O município se destaca pela força do comércio e o dinamismo no setor de serviço. Ambos setores geram milhares de empregos. E, por consequência, são eles que mais demitem nos momentos de crise. E agora não está sendo diferente. Foram exatas 4.099 demissões.

No ano passado, Feira de Santana gerou superávit neste setor, com saldo positivo de mais de 1,7 vagas de emprego formais geradas.

De acordo com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), órgão do Ministério do Trabalho e Emprego, a diferença entre demissões e contratações em maio foi negativa em 1,3 mil. :: LEIA MAIS »

“O PP deve indicar o vice de Zé Neto”, diz Cacá Leão

Deputado federal Cacá Leão

Deputado federal Cacá Leão (PP) – Foto: Reprodução/Redes Sociais

O deputado federal Cacá Leão (PP) participou nesta quinta-feira (02) de uma live promovida pelo portal Bahia.ba. Cacá garantiu que o partido Progressistas irá apoiar o deputado federal e pré-candidato a prefeito de Feira de Santana, Zé Neto (PT). “Está batido o martelo e nós vamos fazer uma composição com o deputado Zé Neto em Feira de Santana”, disse.

De acordo com Cacá, o PP deve inclusive indicar o vice-prefeito na chapa de Zé Neto (PT). “Estamos em fase adiantada de negociação. Nós temos alguns nomes e já estamos em processo da escolha desse nome para indicar. Acredito que na próxima semana já esteja fazendo esse anúncio, mas o caminho é sim o PP indicar o vice de Zé Neto”, declarou.

Prefeitura de Feira pede que estado envie hidroxicloroquina

Prefeitura de Feira pede que estado envie hidroxicloroquina

Foto: Divulgação / PMFS

A Secretaria da Saúde de Feira de Santana já recebeu lote de azitromicina e pediu ao Governo do Estado que repasse os medicamentos hidroxicloroquina e dexametasona, todos usados no tratamento da Covid-19.

O prefeito Colbert Martins Filho disse que as pessoas apenas devem usar medicamentos com orientação médica. “Deve ser indicado com base na patologia”, afirmou durante o encontro virtual semanal com jornalistas.

O uso da hidroxocloroquina no tratamento da infecção desencadeou discussão mundial durante a pandemia. O dexametasona, que é um corticoide, está sendo usado como anti-inflamatório. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia