WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


:: ‘ex-governador Jaques Wagner’

Jaques Wagner diz estar tranquilo sobre acusações da PF

Jaques WagnerAcusado pela Polícia Federal de desviar R$ 82 milhões da implosão da antiga Fonte Nova, o ex-governador Jaques Wagner (PT) disse estar tranquilo.  “Estou tranquilo e quem mais quer a apuração dos fatos sou eu. Tenho certeza de que a modelagem definida pelo Estado era a melhor para a Bahia e que a Justiça prevalecerá”, afirmou. Wagner ainda agradeceu aos deputados e deputadas estaduais e federais, partidos, secretários que prestaram a ele solidariedade na noite desta segunda. “Sigo em busca da verdade e da justiça. Nenhuma ação eleitoreira nos acovardará”, finalizou.

Deputado cobra atitude de Rui Costa diante de superfaturamento na SSP e pelo ex-governador Jaques Wagner

Deputado Targino MachadoDurante discurso desta terça-feira (26) na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), o deputado estadual Targino Machado (PPS) voltou a falar sobre os dados que constam em Relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE) onde apontam superfaturamento em compras de televisores pela Secretaria de Segurança Pública (SSP/BA). Na oportunidade, o parlamentar comentou também sobre as buscas feitas pela Polícia Federal na manhã de hoje, no apartamento do ex-governador e atual secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE), Jaques Wagner.

“É roubo para todos os lados! Superfaturaram a compra de 44 televisores de 55” para a Secretaria de Segurança Pública da Bahia. Eu comprei uma televisão por R$4.049,10 dividido em 10 vezes no cartão. Já a Secretaria de Segurança Pública comprou à vista 44 televisores pelo valor de R$17.418,24 cada. Somente neste episódio desviaram mais de 588 mil reais. E ficam zangados quando eu digo que neste governo tem roubo, que na Secretaria de Segurança Pública tem ladrão. E o governador Rui Costa e o Secretário de Segurança Pública até agora estão calados. Agora se descortinou uma lambança muito maior. A Polícia Federal fez busca e apreensão no apartamento de luxo do ex-governador Jaques Wagner, em um escritório no Itaigara e em outros endereços. O interessante é o nome deste escritório: Parceria Inteligente. Inteligência para fazer mal ao povo da Bahia que está tão desassistido na saúde e na segurança pública, como exemplos, já que Rui Costa e Jaques Wagner superfaturaram a demolição e construção da Arena Fonte Nova em mais de 450 milhões de reais. E aí, governador? Vai ficar calado? Não vem a essa Casa para dar satisfação ao Poder Legislativo? Quero olhar nos olhos de vossa excelência, esta Casa quer lhe dar essa oportunidade. Parte dessa dinheirama toda desviada da construção da Arena Fonte Nova foi aplicada na campanha do governador Rui Costa. Fala, Governador! Jaques Wagner vai continuar secretário do seu governo? Esse seu governo é uma camarilha ou uma quadrilha? Será que as pessoas vão votar em ladrão para o Senado? Eu não acredito! Agora quem quiser votar em ladrão, já tem um nome para o Senado: Jaques Wagner. E quem está dizendo é a Polícia Federal”.

Para Isaías, só Wagner se preocupou com o Aeroporto de Feira

Vereador Isaias de DiogoRespondendo as críticas do vereador Marcos Lima (PRP) e discordando da opinião do colega, o vereador Isaías de Diogo (PSC) destacou que, da criação do Aeroporto de Feira de Santana pelo saudoso governador João Durval Carneiro até hoje, apenas o ex-governador Jaques Wagner teve interesse em fazer algo pelo local. “Já tivemos os governadores Waldir Pires, ACM, Paulo Souto e César Borges que nada fizeram pelo nosso aeroporto. Apenas Jaques Wagner, quando assumiu o Estado, o colocou em funcionamento novamente. Não tenho dúvida de que o aeroporto vai funcionar bem quando José Ronaldo assumir o Governo do Estado. Porém, nenhum dos governadores que passaram tiveram amor por Feira de Santana. Eles não tiveram compromisso por Feira”, afirmou.

“Se mostrarem uma linha que Jaques Wagner conseguiu recursos para o BRT eu renuncio o meu mandato”, dispara Zé Ronaldo

José RonaldoO prefeito José Ronaldo de Carvalho (DEM), em encontro com a imprensa de Feira de Santana na manhã deste sábado, afirmou que se conseguirem provar que o ex-governador Jaques Wagner (PT) tenha conseguido qualquer recurso para colocar nas obras do novo sistema de transporte da cidade, o BRT, ele renunciaria o seu mandato de prefeito. “Se mostrarem uma linha que Jaques Wagner conseguiu recursos para o BRT eu renuncio o meu mandato”, desafiou. José Ronaldo garantiu que não há participação do Governo do Estado no projeto.

Governo do Estado

José Ronaldo ainda teceu duras críticas ao Governo do Estado. Ele questionou quais foram às obras do atual governador Rui Costa na cidade. “O que foi que ele fez aqui em Feira de Santana? Me digam uma obra que tenha sido feita nesses três anos de governo. Eles não fazem porque não querem fazer”, questionou.

Em Itabuna, ainda segundo o prefeito, enviaram uma verba de R$ 25 milhões para fazer o teatro e o centro de convenções simplesmente na tentativa de cooptar o apoio do prefeito da cidade Fernando Gomes. “Se eu fosse cooptado enviariam R$ 25 milhões para a construção do Centro de Convenções de Feira de Santana também”, afirmou.

O prefeito ainda criticou ainda o fato de a obra da Lagoa Subaé está demorando tantos anos. “O deputado estadual Zé Neto tem oito anos dizendo que essa obra será inaugurada no ano seguinte. Ninguém vê que cai dentro da lagoa por dia milhões de litros de esgoto e quem sofre são as comunidades vizinhas. Por isso a Prefeitura não recebeu essa obra incorreta que agride violentamente o meio ambiente da cidade”, criticou.

Targino Machado diz que Jaques Wagner envergonha a Bahia

Targino MachadoO deputado estadual Targino Machado (PPS) usou a tribuna da Assembleia Legislativa desta terça-feira (09) para tecer duras críticas ao ex-governador Jaques Wagner.

Confira na Íntegra o discurso do deputado Targino Machado na Assembleia Legislativa da Bahia.

“Quando a Lava Jato começou, pensei que era coisa do Lula, da Dilma, do PT. Com o avanço das investigações, culminando nas delações da Odebrecht, vi que se tratava de um descaramento geral, onde se uniram vários partidos políticos para assaltarem o Brasil. Roubalheira geral, assassinato em massa, não só assassinato da ética ou de ideologias, mas um assassinato de pessoas que morrem nas filas dos hospitais, que morrem tentando uma vaga numa UTI ou a inclusão num programa de quimioterapia para tratar o câncer. Tudo por causa da roubalheira infame.

Estamos diante de um sistema de corrupção que penetrou em todos os partidos, em todas as empreiteiras, enfim, que penetrou no organismo do estado ao longo do tempo.

Observem que são os pais ensinando os filhos a roubarem. A exemplo de Emílio Odebrecht que ensinou o a Marcelo Odebrecht, o ex-presidente Lula que ensinou o Lulinha, Renan Calheiros que ensinou a Renan Filho, Mário Negromonte que ensinou a Mário Negromonte Filho e podia citar algumas dezenas a mais. Como vimos não foi coisa só do PT. Mas nos últimos 13 anos de domínio do PT a descaração aumentou muito e diversos dirigentes partidários se atolaram num mar de lama da corrupção.

Nos últimos dias, nas delações de Emílio Odebrecht, pudemos testemunhar o cinismo daquele velho malandro, sorrindo e fazendo piadas, ao narrar a forma como assaltou os cofres públicos.

Que vergonha! Tantas autoridades da República tratadas por codinomes: Amigo – era o Lula. Italiano – era o Palocci. Já o líder do PT aqui na Bahia tem dois codinomes: Polo e Opaió – era Jaques Wagner. Dizem que foi tudo caixa dois, para desviarem o foco para um crime com uma pena menor. Fiquemos espertos, de olhos bem abertos. O que desejam PSDB, PMDB e PT é se juntarem para anistiar o caixa dois e salvarem as suas próprias peles. Pois assim, serão condenados alguns poucos acusados e os demais vão continuar no poder roubando o povo brasileiro.

A Bahia está envergonhada com o ex-governador Jaques Wagner, que além de dois codinomes (Polo e Opaió) recebeu dinheiro de caixa dois, recebeu relógios caríssimos de presente e cinicamente disse a imprensa nunca ter usado e ainda se viu nas delações que recebeu de presente 12 milhões de propina da Odebrecht, só em final de 2010. Opaió: Jaques Wagner pediu a Odebrecht para entregar a propina mensalmente na casa de sua mamãe. Assim foi feito, o primeiro pacote com 500 mil reais foi entregue a mamãe de Jaques Wagner. Aquela senhora honrada, quando viu o que era, proibiu o filho de fazer de seu endereço casa de malandragem, de picaretam, de roubo.

Opaió: Jaques Wagner pediu a Odebrecht para entregar o restante ao sr. Carlos Daltro. Assim foi feito. Opaió, que vergonha, senhores deputados, o Jaques Wagner, ou opaió, usar a sua própria mamãe, uma senhora de 93 anos, para receber dinheiro fruto da sua atividade criminal.

E aí, governador Rui Costa? Este Opaió vai continuar fazendo parte do seu governo só para ter direito a foro privilegiado? Ladrões todos vocês são, mas não maltratem as suas mamães. Opaió, Bahia, o tratamento que Jaques Wagner deu a sua mamãe. Mandar dinheiro roubado pra casa dela. Secretário Jaques Wagner, não faça isso.

Quero ver com que cara os senhores deputados vão permitir que este mal feito perdure, pois o canalha que faz isso, que rouba e manda entregar o dinheiro a sua própria mãe, este canalha não pode fazer parte de um governo que quer se demonstrar sério”.(Assessoria)

“Despreparo e improviso marcam gestão de Rui Costa”, diz Aleluia

deputado federal José Carlos Aleluia“Que tipo de gestor é esse que nomeia um auxiliar do primeiro time num dia e anuncia a sua exoneração no outro? Bom gestor é que não é.” Assim reagiu o deputado José Carlos Aleluia, do DEM, ao saber que o governador Rui Costa nomeou o presidente da Conder, Abal Magalhães, na sexta-feira e em menos de 24 horas já o exonerou.

Para Aleluia, fatos como esse mostram que o governador está despreparado para a tarefa de governar bem a Bahia. “Essa reforma do secretariado, que agora já está sendo reformada, evidencia apenas que o despreparo e o improviso são os fatores que predominam na tomada de decisões de Rui Costa”, afirmou o parlamentar.

De acordo com Aleluia, a confusa dança das cadeiras no primeiro escalão estadual visou apenas garantir um abrigo para o ex-governador Jaques Wagner, que com isso livra-se momentaneamente dos juízes de primeira instância.

Targino Machado fala sobre delação premiada que atinge ex-governador Jaques Wagner: ‘Canalha é muito pouco’

deputado estadual Targino MachadoEm dois discursos realizados no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia nesta segunda-feira (12), o deputado estadual Targino Machado (PPS), falou sobre a delação premiada de Claudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, que veio à tona na última semana com revelações bombásticas sobre o meio político.

Dentre os nomes citados nesta delação, está o do ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, que, segundo o executivo, recebeu relógios da empreiteira como presentes em seu aniversário.

“Fui processado pelo ex-governador Jaques Wagner por chamá-lo de ‘canalha’. Agora que caiu a máscara dele, canalha é muito pouco. Enfim, o ex-governador Jaques Wagner recebeu propinas em dólares, em milhões de reais, recebeu em vultosos presentes representados por vinhos de quase três mil reais, cada garrafa, isso há quatro anos. Recebeu relógios da Odebrecht, cada um no valor de vinte e cinco mil dólares, e não aguentou ver no pulso do presidente do clube espanhol Barcelona um relógio bonito, que ele se enamorou a tal ponto com o relógio que o dirigente do clube resolveu ofertar a ele o objeto. E o pior: ele aceitou o presente”, disse Targino.

De acordo com o parlamentar, o ex-governador foi infeliz ao confirmar, em entrevista nesta manhã à imprensa, que recebeu os relógios da Odebrecht, mas nunca os utilizou.

“Existem o ladrão e o desonesto. O ladrão não nasce, nascem oportunidades, e não quero justificar roubo, mas podem existir circunstâncias onde o roubo é até aceitável: roubar para levar a saúde para a sua cria, para seu filho, roubando uma lata de leite. Mas ele roubou e deixa de ser ladrão porque aquilo não está em sua genética, aquilo foi uma circunstância. O pior é o mau caráter, que nasce e rouba desde criancinha na primeira escola. E desonesto é o ex-governador Jaques Wagner, que ainda vem a imprensa para dizer que recebeu o relógio e nunca usou. Esse nasce ladrão, porque não precisa roubar e roubou”, afirmou.

Ainda segundo Targino, a culpa de tudo isso que está acontecendo no Brasil é da classe política, que trabalhou para que o país chegasse a esse ambiente, de desrespeito à população e às instituições.

“O que a imprensa publica hoje, não é culpa dela. Em qualquer ambiente, sempre vão existir as regras e as exceções. As exceções, com certeza, existem em qualquer lista que o Ministério Público publique. Tenho certeza que existem os inocentes, mas a culpa é do Ministério Público? Do juiz Sérgio Moro? Não. A culpa é nossa. Infelizmente, ao longo do tempo, os políticos têm trabalhado no sentindo de que chegássemos a esse ambiente, de desrespeito à população, de desrespeito às instituições. Quero ver aparecer meu nome em qualquer lista e estou nisso há muito tempo. Estou completamento dezoito anos como deputado estadual. Meu nome não vai sair em nenhuma lista. Nunca participei de nenhum esquema e por isso que não terei meu nome citado em lugar nenhum”, completou.

O PT terá um resultado positivo em 2018, diz Jaques Wagner

Jaques WagnerNa manhã desta segunda-feira (5), o ex-governador Jaques Wagner e agora coordenador executivo do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codes), acredita que o PT não chegou ao fim apesar da queda nas eleições deste ano. “O PT teve uma perda nesse processo eleitoral, fruto do que foi investigado, muitas vezes exagerados. O erro tem que ser superado e corrigido. O saldo da conta do PT como partido de 36 anos é um saldo altamente positivo. A gente precisa fortalecer o município e o estado, por isso vim para cá. Creio que em 2018 a gente terá um resultado positivo”, disse na Rádio Metrópole.

Ainda na oportunidade, Wagner negou a possibilidade de ser presidente do partido. “Eu já disse que o PT já tem presidente de fato que é ele. Dentro do PT as pessoas sempre vão a ele. Não adianta colocar um presidente sendo que todo mundo vai lá consulta-lo”, afirma.  Durante um evento em São Paulo, neste fim de semana, Lula disse que os processos que responde são uma tentativa de afastá-lo das eleições de 2018. “Estão criminalizando o PT e já vimos isso no Brasil e no mundo. O (presidente Michel) Temer é um constitucionalista. Ele sabe que não poderia ter golpe contra a (ex-presidente) Dilma (Rousseff). Era necessário acabar com a trajetória do PT. Porque se a Dilma conclui o mandato, se vem Lula, vão fazer os 20 anos de governo com que os tucanos sonhavam. Então, precisa acabar (o PT). (…) ‘Roubar o mandato dela e deixar esse Lula voltar a ser presidente é demais’. O objetivo deles é evitar 2018. E é isso que mexe comigo. Que me dá cócegas”, disse Lula.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia