WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


Micareta de Feira de Santana 2019

:: ‘economia’

Carnaval vai movimentar mais de R$ 1 bilhão na economia de Salvador

Carnaval vai movimentar mais de R$ 1 bilhão na economia de Salvador

Foto: Reprodução

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), juntamente com os setores de hotelaria, bares e restaurantes, estimam que os turistas que irão curtir o Carnaval de Salvador gastarão em torno de R$ 1,8 bilhão nos oito dias de festa. Individualmente, quem costuma desembolsar mais no período são os turistas de outros estados brasileiros, numa média de R$ 5 mil por pessoa, seguido dos estrangeiros, com R$ 3,3 mil e, enfim, baianos, com R$ 1,8 mil durante a folia. Os números apontam para um crescimento de 3,3% na movimentação econômica, em relação ao ano passado. No campo econômico, já é possível perceber grande movimentação nos setores de bares, restaurantes e hotelaria. A expectativa dos hotéis, por exemplo, é uma taxa de ocupação de 98%, sendo 100% nos estabelecimentos próximos aos circuitos do Carnaval.

Também é esperada a presença de visitantes que se hospedam em casas de parentes e aqueles que alugam imóveis para a temporada. Toda essa movimentação impacta significativamente na geração de emprego. De acordo com o secretário municipal de Cultura e Turismo, Cláudio Tinoco (Secult), o Carnaval de Salvador deve seguir com números altos também neste quesito. “Nosso acompanhamento periódico nos leva a crer que teremos um Carnaval com muita gente na rua. Em 2018, todo o trabalho envolvendo montagem e desmontagem de estruturas, ações durante a festa e tudo que é feito após a folia, foi responsável pela geração de 250 mil empregos, média que pretendemos manter este ano”, destaca Tinoco. :: LEIA MAIS »

Segunda parcela do 13º e folha de dezembro injetam R$ 37 milhões na economia antes do Natal

Secretário da Fazenda, Expedito Campodônio Eloy

Secretário da Fazenda, Expedito Campodônio Eloy – Foto: Divulgação.

O pagamento da segunda parcela do 13º salário aos servidores públicos municipais, nesta quinta-feira (20), injeta R$ 12 milhões na economia de Feira de Santana. Milhares de pessoas recebem o rendimento adicional, garantindo que elas efetivem suas compras de Natal e Ano Novo com tranquilidade. Segundo o secretário da Fazenda, Expedito Campodônio Eloy, com o pagamento antecipado da folha do mês de dezembro, na segunda-feira, 24, véspera do Natal, de mais R$ 25 milhões, o montante injetado chega a R$ 37 milhões. Parte desse dinheiro retorna aos cofres da Prefeitura em forma de ICMS.

Ainda segundo o secretário, em Feira de Santana, o pagamento do 13º tem sido feito em duas parcelas. A primeira parcela é paga no mês de aniversário do beneficiado. Na ocasião, o valor representou 50% do benefício sem os descontos. Por lei, a primeira deve ser depositada até 30 de novembro. O prazo máximo para se pagar a segunda é no dia 20 de dezembro.

Governador contabiliza R$ 400 milhões anuais de economia com reforma administrativa

Governador contabiliza R$ 400 milhões anuais de economia com reforma administrativa

Foto: Camila Souza

O governador Rui Costa reafirmou em entrevista coletiva, na tarde desta segunda-feira (03), a extinção de aproximadamente 800 cargos comissionados e a reestruturação de empresas e autarquias da administração estadual. As medidas fazem parte da nova reforma administrativa do Estado e devem gerar uma economia superior a R$ 400 milhões anuais, tornando a máquina estadual mais enxuta e eficiente na prestação de serviços à sociedade. Participaram da coletiva, realizada no Salão de Atos da Governadoria, em Salvador, jornalistas dos principais veículos de comunicação da capital e do interior. “Não nos resta outra alternativa. O que estamos fazendo agora são medidas também preventivas, assim como foi feito em 2014, para evitar as dificuldades que devem se apresentar nos próximos quatro anos. Segundo analistas, 2019 não será um ano de rápida retomada da economia e essa ação era urgente”, afirmou Rui.

O governador acrescentou que “mexeremos também no teto estadual. De acordo com a Constituição brasileira, é o salário do governador, mas a Constituição baiana tinha uma redação dúbia, o que levou 2,5 mil pessoas, da ativa e aposentados, a receberem acima do teto. Mandamos [à Assembleia Legislativa] uma redação mais clara, copiando o trecho que trata do assunto da Constituição Federal para que não haja dúvida. Para não reduzir salários, transformamos em vantagem pessoal o que ultrapassa o teto. Ninguém terá um real sequer de redução de salário, mas também não haverá beneficiamento por conta do aumento do Supremo Tribunal Federal”. Rui disse ainda que “há um agravamento no déficit da previdência. Já em 2007, quando [Jaques] Wagner assumiu, não existia poupança previdenciária. Quando assumi, eram R$ 2 bilhões de déficit e, no primeiro mandato, o déficit dobrou, chegando a R$ 4 bilhões. Nesse período, tivemos o maior número de aposentadorias da história da Bahia, que foi causado por todo o processo da Reforma da Previdência”.

De acordo com Rui, o peso dos gastos com aposentadoria dos servidores nas contas públicas da Bahia impôs a necessidade de majorar a alíquota de contribuição dos servidores e este é outro ponto da reforma. Sobre o aumento da alíquota da contribuição da Previdência Estadual de 12% para 14%, o governador lembrou que “dez estados já aumentaram a contribuição e a Bahia é o 11º, tendo estados que aprovaram a medida há quatro anos”. O projeto de lei com a nova reforma foi enviado para a Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) na última sexta-feira (30).

Economia baiana encerra 2017 com alta de 0,4%

Economia baiana encerra 2017 com alta de 0,4%

Construção da Ferrovia Oeste-Leste – Luiz Eduardo Magalhães / Barreiras
Na foto: Soja
Foto: Alberto Coutinho

De acordo com Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), vinculada à Secretaria do Planejamento do Estado (Seplan), o Produto Interno Bruto (PIB) baiano registrou avanço de 0,7%, na comparação do quarto trimestre de 2017 com igual período de 2016, e encerrando o ano com alta de 0,4%. Considerando a série com ajuste sazonal (4º trimestre de 2017 em comparação com o 3º trimestre do mesmo ano), a variação também ficou em 0,4%.

Quando comparado ao mesmo período do ano anterior, o PIB da Bahia apresentou resultado positivo de 0,7% no quarto trimestre de 2017. De acordo com os cálculos realizados pela SEI, o desempenho no último trimestre do ano dos três setores da atividade econômica foi negativo para Agropecuária (-10,3%) e para Indústria (–2,2%) e positivo para Serviços (2,5%). Essa combinação de fatores resultou em uma ascensão de 0,7% do Valor Adicionado da economia baiana. Outro fator determinante na repercussão da taxa do PIB foi a alta de 0,9% dos Impostos sobre produtos.

Frente ao ano de 2016, a economia da Bahia em 2017 apresentou um leve crescimento (0,4%), após dois anos com quedas. O Valor Adicionado foi de 0,5% e os impostos apresentaram queda de 0,7%. Apesar da contração no quarto trimestre de 2017, o setor agropecuário terminou o ano crescendo 15,1%). Os principais cultivos do estado foram determinantes para a variação em 40,7% da safra de grãos – soja (57,7%), feijão (84,8%), café (41,1%). Já os produtos cana de açúcar (-49,6%) e cacau (-27,6%) contribuíram para que o setor não alcançasse uma taxa maior.

O setor de serviços – setor com maior peso na economia (71,0%) – registrou alta de 0,7%, onde as maiores variações positivas foram observadas nos segmentos de comércio (2,8%), e atividades imobiliárias (1,2%). A expansão desse setor é reflexo da queda na taxa de juros, do aumento do consumo das famílias, aumento da massa de rendimentos e do resgate do FGTS por parte da população.

O industrial registrou queda em todas as quatro atividades que compõem o setor. O fraco desempenho dessas atividades refletiu no Valor Adicionado da indústria com queda de 3,3%. As maiores retrações foram observadas na Extrativa (-11,0%) e Eletricidade e água (-7,5%). Além dessas atividades a indústria de transformação que representa 54% do setor, caiu 2,1%, puxada pela metalurgia (-26,6%) e produtos derivados do petróleo (-10,9%). A atividade da construção civil também sentiu os efeitos macroeconômicos da economia nacional e retraiu 2,9%.

Prefeito destaca economia de R$ 1 milhão em combustível

Prefeito destaca economia de R$ 1 milhão em combustívelDurante a tarde da última quinta-feira (01) o prefeito de Alagoinhas, Joaquim Neto, discursou na Câmara de Vereadores, dando início aos trabalhos da casa. Em sua fala o gestor da cidade falou de forma objetiva e clara sobre os avanços promovidos pela sua administração em Alagoinhas e apresentou as metas para o ano de 2018, todas elas constam no livro do planejamento estratégico da gestão lançado em dezembro de 2017 e pode ser acessado através do site: planejamentoestrategicoalagoinhas.ba.gov.br.

Um dos destaques apresentados foi a economia feita de 1 milhão de reais com consumo de combustível, “nós trabalhamos sempre com planejamento para garantir eficiência em nossas ações. Uma das minhas ideias para reduzir o consumo foi retirar os veículos oficiais dos secretários neste período entre dezembro e fevereiro, quando o fluxo de atividades é mais tranquilo. Só com uma simples ação como essa já economizamos bastante e a população verá refletido em investimento para melhorar a vida da nossa gente”, disse Joaquim Neto.

Outra economia feita pela administração foi  adesão ao pregão eletrônico, do qual o prefeito se orgulha bastante, “o pregão foi uma das melhores coisas que fizemos, conseguimos economizar 10 milhões, daí foi possível dar cara nova para a cidade e atuar em pontos primordiais como saúde com inaugurações, reformas, contratações e na educação com reformas e construções de creches e escolas, além do trabalho sólido da assistência social”, aponta o prefeito.

Aproveitando o espaço na Câmara o gestor apresentou uma pauta importante para o debate na casa, a criação da área industrial. Devido aos altos investimentos depositados na cidade pelas empresas de bebidas, Joaquim Neto pretende contar com o apoio dos vereadores para continuar trazendo investimentos ao município.

Com a proximidade do carnaval o prefeito sabiamente justificou a ausência da micareta de Alagoinhas, “eu enquanto prefeito não consigo pensar em festa vendo o povo cheio de necessidades, sabendo que ainda temos ruas sem asfalto ou com buracos, pessoas que ainda não têm acesso ao saneamento básico, entre outras urgências. Eu quero levar alegria para as pessoas em forma de trabalho, de realizações, mas é claro que uma festa é sempre bom, por isso eu conto com o apoio da iniciativa privada para poder voltar a realizar o evento com o patrocínio de grandes empresas que estão instaladas em Alagoinhas”, explica.

Elinaldo pede união da classe política para economia crescer

O prefeito de Camaçari, Antonio Elinaldo (DEM), pediu ao governador Rui Costa (PT) a união da classe política para que a Camaçari e o Estado continuem crescendo para gerar empregos e enfrentar o ambiente de crise econômica por que passa o País. “A população da Bahia está em primeiro lugar”, disse. Elinaldo discursou no ato que marcou os 10 anos de inauguração da fábrica de pneus Bridgestone, em Camaçari, realizado na manhã dessa terça-feira (18/04). A empresa tem 800 empregados diretos e 430 indiretos.

Ele lembrou a importância da vinda da Ford para Camaçari, pois a montadora de automóveis atraiu novas fábricas como a da Bridgestone, maior produtora de pneus do mundo. “Quando eu vinha para cá, com meu vice, José Tude, ele relembrou esse fato. Com a Indústria e comércio sempre é assim, um atrai o outro. Como a Ford produzia carros, era importante ter próximo uma fábrica que produzisse pneus e com isso o Município ganhou muito, também, com a implantação da Bridgestone”.

Elinaldo ressaltou a importância dos grandes empreendimentos para a geração de emprego e renda. “O país vive numa crise total em várias áreas, mas, sem dúvida, um dos piores problemas é o desemprego. E precisamos da unidade de todos para a abertura de novas vagas. A Bridgestone está de parabéns por ter enfrentado essa crise sem demitir. Ao contrário ampliou a empresa”, disse o prefeito. O governador Rui Costa concordou. “Nesse momento tudo que a gente precisa fazer é acender a luz no fim do túnel da crise para a juventude”, discursou.

Também participaram do evento, os secretários municipais Juliana Paes, da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sergio Vilalva, do Desenvolvimento Econômico e Turismo. Da comitiva do governador, esteve no ato Jaques Wagner, secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado. Todos foram saudados pelo presidente da Bridgestone no Brasil, Fabio Fossen.

ALBA terá mais de 1 milhão de reais em economia

Assembleia Legislativa da BahiaDurante todo o mês de janeiro, a Assembleia Legislativa da Bahia vai funcionar apenas no período da tarde. É o chamado turnão, que tem sua jornada diária das 13 as 19hs. A redução do expediente administrativo no primeiro mês do ano é uma medida para cortar gastos. Até o dia 31 de janeiro a ALBA deverá ter uma economia de cerca de R$ 1,2 milhão, valor semelhante ao que foi economizado em julho de 2016, com o turnão durante o recesso de meio do ano da casa.

Para o presidente do Legislativo, deputado Marcelo Nilo (PSL), a decisão de reduzir o expediente em janeiro leva em consideração as dificuldades financeiras que passam todos os órgão públicos em um momento de crise financeira no país. Nilo destaca ainda, que pela primeira vez em décadas, a Assembleia Legislativa da Bahia não precisou de suplementação orçamentária no ano de 2016.

Durante todo o turnão o restaurante e o refeitório não funcionam. Os ônibus que fazem o transporte dos servidores vão fazer vão os mesmos roteiros de sempre, porém os horários serão alterados para o meio-dia nos trajetos de vinda para a Alba e às 19hs no retorno.

CÂMARA DE VEREADORES_somos parceiro_banner de site Política in Rosa - 500x500 gif


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia