WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


PMFS-Sarampo

:: ‘Ambulantes’

Defensoria pede habilitação como ‘custus vulnerabilis’ em processo contra ambulantes do Feiraguay

Feiraguay-foto-divulgacao-avamfs

Foto: Divulgação

A Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA pediu habilitação como ‘custus vulnerabilis’ em um processo que envolve o grupo de ambulantes que trabalham no Feiraguay, maior centro de compras popular em Feira de Santana, cidade do território de identidade do Portal do Sertão Baiano. O espaço tem mais de 600 boxes de vendas, onde trabalham em torno de dois mil comerciantes. A ação, movida pelo Ministério Público da Bahia, requer que seja declarada a nulidade da cessão do bem público, solicitando que a área do Feiraguay, localizada na Praça Presidente Médici há mais de 25 anos, retorne à categoria de bem de uso comum do povo. Assim, os ambulantes teriam que buscar um novo local para trabalhar.

A DPE/BA também solicitou entrar como ‘custus vulnerabilis’ em outro processo que também envolve os ambulantes  feirenses. Neste caso, o município de Feira de Santana ingressou com uma ação de reintegração de posse contra a Associação dos Vendedores Ambulantes de Feira de Santana – AVAMFS e a Associação Feirense dos Vendedores Ambulantes – AFEVA, sob a justificativa que o trecho do cruzamento da Avenida Getúlio Vargas com a Avenida Senhor dos Passos está sendo ocupado por manifestantes e integrantes destas duas unidades. O pedido do município requer, inclusive, o uso de força policial, caso necessário.

De acordo com as defensoras públicas Julia Baranski e Paloma Rebouças, que representam a Defensoria nestas ações, a intenção da DPE/BA, ao requerer sua habilitação enquanto custus vulnerabilis em ambos os processos, vai ao encontro da necessidade de pluralização e democratização do debate, bem como da tutela de direitos de pessoas vulnerabilizadas no contexto do Feiraguay. Na avaliação das defensoras, a atitude tomada pelos autores de ambas as demandas mostrou-se pouco atenta à opinião da sociedade civil.

O que é custus vulnerabilis :: LEIA MAIS »

Setorização de ambulantes é definida no Centro Comercial Popular

Setorização de ambulantes é definida no Centro Comercial Popular

Foto: Washington Nery

A setorização de vendedores ambulantes que serão relocados para o Centro Comercial Popular já está sendo definida pelo Governo do prefeito Colbert Martins Filho e acelera o processo para inauguração do equipamento, prevista para o mês de julho. A definição dos espaços por área de atuação comercial foi apresentada aos futuros permissionários pela Secretaria Municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (Settdec) e por representante do Consórcio Feira Popular S/A. Os comerciantes ambulantes que ocupam espaços em vias públicas na avenida Senhor dos Passos e ruas Marechal Deodoro e adjacências serão instalados no segundo pavimento do novo entreposto comercial, que atuará tanto no atacado quanto no varejo. Ficarão alojados estrategicamente por setores de produtos comercializados, fortalecendo assim o comércio e transformando o local num pólo comercial de diversos segmentos.

O secretário do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (Settdec), Antônio Carlos Borges Júnior, apresentou aos feirantes os modelos de boxes que serão colocados à disposição para implantarem seus comércios, com mais conforto e segurança, possibilitando assim ampliar e dinamizar seus empreendimentos, como já acontece em outros centros comerciais exitosos espalhados por grandes centros comerciais do país. Antônio Carlos Borges Júnior voltou a reafirmar o compromisso de isenção das taxas por ocupação dos equipamentos pelos vendedores ambulantes durante os três primeiros meses, como forma de contribuir para que durante este período se adequem ao novo espaço. :: LEIA MAIS »

Ambulantes de Camaçari terão mais tempo para regularização

Ambulantes de Camaçari terão mais tempo para regularização

Foto: Angelo Pontes

Promover o ordenamento do comércio informal. Esse é o objetivo da Prefeitura de Camaçari, que através da Secretaria de Serviços Públicos (Sesp), pretende cumprir a Lei nº 1120/2010 (Código de Polícia Administrativa), onde determina, em seu art. 7º, que o exercício da atividade de comercialização nas ruas do centro da cidade seja realizado mediante autorização do Poder Executivo. A definição vale principalmente para quem usa carros pranchas e carrinhos de mão.

De acordo com a gestão da pasta, os ambulantes com permissões em dia, emitidas pela Coordenação de Licenciamento e Fiscalização de Comércio de Ambulantes (CLFCA), vão continuar vendendo seus produtos normalmente. Já os que têm documentos vencidos deverão comparecer a Sesp para regularizar a situação, assim como as pessoas que, mesmo sem licença, atuam na área. De acordo com o secretário Armando Mansur, a ideia não é proibir o comércio informal e sim dar a essas pessoas a oportunidade de comercializar em outros locais da cidade. “Estamos organizando e não coibindo. Com essa ação, a mobilidade urbana vai melhorar no centro. Em relação aos ambulantes que residem em outros municípios, estes serão convidados a retornarem para seus lugares de origem”, destacou.

Devido à preocupação dos vendedores com o cumprimento da Lei, que seria realizada no próximo sábado (14/7), a Prefeitura de Camaçari decidiu adiar a ação, para que os ambulantes tenham um prazo maior e assim possam regularizar as suas situações. Uma nova data será agendada e divulgada amplamente através do portal no www.camacari.ba.gov.br e em outros meios de comunicação.

Ordem judicial determina retirada de ambulantes de praça

Praça Simão Fitterman

Foto: Waldyr Gomes / Praça Simão Fitterman

A Prefeitura Municipal de Itabuna iniciou nesta quinta-feira (03) o atendimento à notificação judicial que determina a remoção das barracas dos vendedores ambulantes da Praça Simão Fitterman, Bairro São Caetano. A remoção das barracas ocorre em cumprimento da decisão judicial da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Itabuna, que se refere a uma ação do Ministério Público e da Prefeitura, e que tramita na justiça desde a administração passada, prorrogada anteriormente em 2017 e em janeiro de 2018, atendendo um pedido da atual gestão municipal.

Com atuação voltada ao desenvolvimento da cidade e com a responsabilidade de zelar pelos espaços públicos, o prefeito Fernando Gomes determinou que a equipe Secretaria de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente trabalhe para minimizar os impactos da decisão judicial. O prefeito tem procurado ainda acelerar a execução de projetos para estimular o comércio egerar oportunidades, como o que prevê a implantação de uma Central de Abastecimento (Ceasinha) no município.

De acordo com a Procuradoria do Município, na decisão judicial da ação movida pelo Ministério Público é enfatizado que a praça Simão Fitterman (Praça do São Caetano) se trata de um espaço público coletivo, não sendo destinada à ocupação comercial. A procuradoria informa ainda que o não cumprimento da determinação da justiça por parte da administração municipal implica em multa diária no valor de R$ 2.500,00 (Dois mil e quinhentos reais), a ser aplicada ao prefeito.

Impossibilitada de alocar os comerciantes no Shopping Popular construído na gestão passada e cuja estrutura está condenada após análises, a gestão municipal trabalha para atrair investimentos e procura soluções para não prejudicar os ambulantes que geram emprego e renda. Em paralelo, o prefeito Fernando Gomes, preocupado também com o meio ambiente e com a saúde da população, determinou a adoção de medidas em busca de revitalizar praças e jardins da cidade.

Shopping Popular de Alagoinhas será inaugurado até o Natal

Após dois meses do início da operação de ordenamento do solo, a Prefeitura de Alagoinhas tem avançado no atendimento às solicitações dos vendedores ambulantes da cidade. A administração municipal, através da Secretaria de Serviços Públicos (SESEP), está viabilizando a construção de boxes no local dos antigos pontos de venda, transformando o Camelódromo no novo Shopping Popular. A previsão de inauguração é até o Natal.

Em reunião com representantes dos vendedores na sede da SESEP, realizada na manhã desta terça-feira (12), o secretário Harnoldo Azi e membros da Comissão Municipal de Ordenamento do Solo apresentaram o projeto das novas instalações. A avaliação da categoria foi positiva. A proposta é que os vendedores tenham um espaço fixo e padronizado para comercialização, que dê conforto e proteção durante o desenvolvimento das suas atividades.

Além da instalação de internet Wi-Fi gratuita e câmeras de segurança, outras intervenções também serão realizadas, como a instalação de banheiros. Todas as intervenções foram acordadas pela categoria com o Prefeito Joaquim Neto, que mobilizou diversos setores da Prefeitura na elaboração da contrapartida oferecida para que os ambulantes saíssem dos passeios públicos, principalmente no Centro da cidade, e retornassem aos locais pré-definidos para comercialização dos seus produtos: Camelódromo, para os vendedores de eletrônicos e outros produtos manufaturados, e Central de Abastecimento, no caso dos vendedores de frutas e hortaliças.

Outras ações também foram pensadas pela Prefeitura para melhorar as condições de trabalho dos vendedores. Através das secretarias de Assistência Social (SEMAS) e Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente (SEDEA), os ambulantes podem se inscrever em programas sociais do governo e em cursos de aperfeiçoamento para colocação no mercado de trabalho.

Ordenamento do solo e fiscalização

A Comissão Municipal de Ordenamento do Solo deu início às atividades de notificação e fiscalização do Centro de Alagoinhas há dois meses. O objetivo da ação é garantir o cumprimento do Decreto 3299/2011, que trata do ordenamento do solo na cidade, proibindo a obstrução dos passeios e calçadas nas vias públicas. A ação de fiscalização acontece diariamente, das 7h30 às 18h.

Ambulantes têm nova área de comercialização em Jequié

Dezenas de ambulantes que ocupavam ruas e calçadas em Jequié, de forma improvisada, acabam de receber um local apropriado para continuar suas atividades, sem o desconforto em trazer embaraços para o trânsito de pedestres e veículos, no centro comercial de Jequié. A solução encontrada pela Prefeitura de Jequié, e aceita pelos vendedores ambulantes, após diversas reuniões, foi a destinação de uma área privada, exclusiva, para esse ramo de atividade, tendo a prefeitura dotado o local de infraestrutura completa, com piso de alta resistência, cobertura, sanitários públicos, água encanada e demarcação de uso.

O trabalho de estruturação e adaptação do novo “camelódromo” ficou sob a responsabilidade das secretarias de Infraestrutura e Serviços Públicos. “A intenção é que estes trabalhadores possam vender seus produtos, tendo um local adequado, com estrutura e dignidade. Estamos dando todo o apoio possível para que estes pais e mães de família possam ganhar o seu sustento. O local ainda receberá uma cobertura definitiva para todos possam trabalhar e vender seus produtos sem ter de enfrentar o calor e o sol abrasivo das ruas da cidade. Todos sairão ganhando com isso. As ruas e calçadas do centro ficarão livres para os pedestres e veículos e os vendedores ambulantes continuarão a manter seus rendimentos.”, disse o prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira.

Jequié: Prefeitura divulgará até início de fevereiro novo local para os ambulantes

JequiéA Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Infraestrutura e Diretoria de Meio Ambiente e Regulação do Solo, vem informar que a situação dos ambulantes da cidade está sendo resolvida e em breve será divulgado o local da realocação.

Segundo o Termo de Ajuste de Conduta (TAC), estabelecido entre o Ministério Público e a Prefeitura, até a segunda semana de fevereiro a realocação deverá ser feita. O local está sendo analisado, minuciosamente, para que nenhum trabalhador seja prejudicado.

Durante esse período, a Prefeitura solicita aos ambulantes que legalizem sua situação a fim de que deixem de ser trabalhadores informais e se tornem um Microempreendedor Individual, passando a ter CNPJ, o que facilitará, por exemplo, a abertura de conta bancária, pedido de empréstimos e emissão de notas fiscais. Há, ainda, a possibilidade de se firmar uma parceria entre o Prefeitura e o SEBRAE para que os ambulantes possam ter qualificação técnica e um suporte administrativo.

Vereador volta a criticar cobrança de taxa para ambulantes no Joia da Princesa

Correia ZezitoO vereador Correia Zezito (PSL), nesta quarta-feira (17), em discurso na tribuna da Casa da Cidadania, voltou a reclamar o fato de os ambulantes pagarem pelo ingresso e uma taxa para atuarem dentro do Estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana.

“O estádio foi reformado e aqueles pais de família que precisam vender sua laranja, sua água, sua pipoca, têm que pagar R$ 50,00 para adentrar ao Joia da Princesa. Vou ver juridicamente o que posso fazer para proibir essa cobrança. Como uma pessoa vai gastar R$ 100,00 com uma guia e vai gastar R$50,00 para entrar no Joia?”, questionou.

O vereador classifica a cobrança como injusta.  “Estão roubando o camelô, os operários. Fluminense de Feira, pelo amor de Jesus Cristo, Gerinaldo Costa, Zé Chico, minha comunidade Rua Nova e todas as comunidades que vão vender seus lanches estão revoltadas”, disse.

Ele acrescentou: “cobrar um absurdo dos camelôs, dos vendedores, para dar lucro ao Fluminense, esse dinheiro é do pessoal trabalhar, não podemos deixar que isso aconteça. Absurdo você trabalhador, que sobe com um carrinho de mão, um peão gastar R$ 50,00 para vender sua água, cadê o lucro que ele vai ter?”, indagou o edil, informando que vai levar a situação ao poder público, para que a questão da taxa para comercialização dos ambulantes no estádio seja revista.

Correia critica Esporte Clube Vitória por cobrar de ambulantes

Correia ZezitoO vereador Correia Zezito (PSL) disse que recebeu reclamação de ambulantes que trabalham no Estádio Joia da Princesa de que o Esporte Clube Vitória cobrou deles R$ 20,00 para entrar no estádio e mais R$ 30,00 para poder vender suas mercadorias, valor que ia direto para o clube.

“Isso é uma vergonha, uma falta de respeito com os ambulantes. Não se pode permitir que um clube venha de fora para extorquir os feirenses, sugando o dinheiro daqueles que querem trabalhar. É um absurdo”, criticou.

Ao reclamar com a direção do estádio, o vereador recebeu a informação de que nada poderia ser feito por que existe uma lei que protege o time.

Karoliny Dias

Prefeitura e Sebrae realizam consultoria a ambulantes nesta quarta

Os 1,5 mil ambulantes que atuam na Avenida Sete de Setembro e no Dois de Julho começam, a partir deste mês de julho, a receber consultoria de gestão no próprio local de atuação. A iniciativa inédita no país é promovida pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas na Bahia (Sebrae-BA) e associações representativas dos ambulantes, dentro do projeto Território Empreendedor. A ação tem continuidade nesta quarta-feira (12), às 11h, na Praça Barão do Rio Branco (Relógio de São Pedro), e contará com a presença da secretária municipal de Ordem Pública (Semop), Rosemma Maluf.

Através de técnicos do Sebrae, os comerciantes de rua são atendidos individualmente e serão levantadas as necessidades de cada um, desde a formalização para se tornar microempreendedores individuais (MEIs) até o encaminhamento para inserção dos cursos de capacitação promovidos pela entidade, tudo isso de forma gratuita. A previsão é de que, por mês, 150 ambulantes sejam atendidos individualmente e 300 deles participem dos cursos. A iniciativa também será realizada posteriormente nas regiões do Centro Histórico e Barra.

Câmara Municipal de Feira de Santana - Lado a Lado


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia