WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


PMFS-Mobilidade Congestionamento NOVO CLÉRISTON ANDRADE

:: ‘água’

Prefeitura de Barreiras busca alternativas para reduzir contas de água da administração pública

Prefeitura de Barreiras busca alternativas para reduzir contas de água da administração pública

Foto: Divulgação

Uma reunião realizada na Embasa nesta quarta-feira (15) selou a iniciativa da Prefeitura da Barreiras junto à concessionária, na busca de evitar desperdícios e reduzir o valor das contas de água das secretarias e setores da Prefeitura. Estavam presentes, secretários de governo, o gerente da Embasa, Francisco Andrade e técnicos das duas instituições. Desde o início de 2018, a pedido da gestão municipal, a Embasa deu início a um levantamento e acompanhamento dos valores das contas de água de todos os setores da Prefeitura. Paralelo a este trabalho, a administração pública também fez o dever de casa.

“Realizamos um amplo trabalho de identificação de cada hidrômetro cadastrado, confirmando a quê secretaria pertencem, este relatório será apresentado à Embasa para que a empresa possa comparar aos que estão no seu cadastro. Isso é o primeiro passo para evitar divergências, por exemplo. A administração está preocupada em reduzir os gastos e também, evitar o desperdício da água, nós vamos ajudar a Embasa no trabalho de fiscalização e controle. Será o início da solução de um problema histórico”, disse a secretária de administração e planejamento, Gislaine Barbosa.

A Prefeitura de Barreiras mantém cadastrados 238 imóveis consumidores de água, junto à Embasa, considerando logradouros como praças, Parque de Exposições, escolas, unidades de saúde e prédios administrativos. “A Prefeitura é o maior cliente da Embasa, é o poder concedente, precisamos alinhar ações e trabalhar juntos para a redução do consumo da água. O levantamento realizado dá um norte tanto para a administração quanto para a Embasa sobre as medidas que devem ser tomadas para alcançar resultados satisfatórios”, destacou o gerente da concessionária, Francisco Andrade. :: LEIA MAIS »

Fornecimento de água será suspenso no Novo Horizonte e localidades da zona rural

Empresa Baiana de Águas e Saneamento (EMBASA)

Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa)

Para realização de serviços na rede de distribuição, decorrentes das obras de duplicação da rodovia BR 324 sentido Santa Bárbara, a Embasa informa que será necessário suspender nesta quarta-feira (27), a partir das 7h, o fornecimento de água no bairro do Novo Horizonte, nos distritos de Matinha e Maria Quitéria e nas localidades de Alto do Canudo, Balança, São Cristóvão, Nova Deli, Ovo da Ema, Baixa da Gia e Alecrim Miúdo.

De acordo com a Embasa, os serviços deverão ser concluídos à noite, quando o abastecimento será retomado gradativamente, com previsão de completa normalização em 48 horas. A Embasa pede a compreensão dos moradores locais e recomenda o uso econômico da água até a regularização do abastecimento. (Ascom)

Deputado pede solução para a escassez de água em municípios

Deputado estadual José de Arimateia

Foto: Divulgação

O deputado estadual José de Arimateia (Republicanos) encaminhou indicação  ao governador Rui Costa onde apresenta 14 sugestões para sanar a falta de água a partir da 2ª metade do Rio Utinga. A escassez atinge as populações dos municípios de Wagner, Lençóis e Lagedinho, se dirigindo até a sua foz na Apa Marimbus e Iraquara, em Andaraí. A atual gestão de suas águas, informa o documento que foi protocolado na Assembleia Legislativa, “vem acarretando sérios prejuízos econômicos”, até para a subsistência humana. Arimateia sugere medidas para “implantação imediata” a serem executadas por diferentes órgãos estaduais. Elas seriam “de baixo custo para mitigar e/ou até resolver alguns aspectos relacionados à injustiça que ocorre na região da 2ª metade do Rio Utinga”.

Dentre elas estão a abertura da comporta de fundo da Barragem do Rio Utinga; fiscalização,  monitoramento e  controle da contenção de água nos barramentos da Fazenda Sarpha localizada na micro bacia do Rio Cachoeirinha; incremento e fiscalização de todos os irrigantes e outros usuários de água bruta que tem relação com a perenidade do Rio Utinga, exigindo a apresentação das outorgas e lacrando as bombas daqueles que não as possuem. :: LEIA MAIS »

Abastecimento de água será suspenso em Conceição da Feira, São Gonçalo e parte de Feira de Santana

Para possibilitar a realização de serviços de melhorias no abastecimento, a Embasa informou que será preciso suspender o abastecimento de água nesta quarta-feira (09), nos municípios de Conceição da Feira, São Gonçalo e nos seguintes bairros/localidades de Feira de Santana: Tomba, Sitio Matias, Fraternidade, Eucalipto, Jomafa, Olhos d’ Água, Serraria Brasil, Brasília, Jardim Acácia, Chácara São Cosme, Centro, Jardim Cruzeiro, Barroquinha, Queimadinha, Estação Nova, Ponto Central, Calumbi, Rua Nova, Muchila, Nova Esperança, Pedra do Descanso, Caseb, São João, Kalilândia, Jussara, Feira VII, Feira IX, Feira X, Sobradinho, Aviário, além do distrito de Humildes.

De acordo com a Embasa, o abastecimento será retomado, de forma gradativa, tão logo os serviços sejam concluídos, com previsão de retomada no final do próprio dia 09. A Embasa recomenda que os moradores façam a utilização racional da água armazenada em seus reservatórios domiciliares até a completa normalização do fornecimento. (Ascom)

No primeiro semestre desse ano, Embasa localizou 724 fraudes em Feira de Santana

Operação da Embasa combate “gatos” de água em Feira de Santana

Foto: Divulgação

No primeiro semestre desse ano, a unidade regional da Embasa em Feira de Santana localizou 724 fraudes, que vão desde a violação dos hidrômetros.  As fraudes acontecem para que não seja feita a contabilização da água consumida. São realizadas até a intervenção direta na rede da Embasa para desvio da água. De acordo com o órgão, essas fraudes contabilizaram um desvio de mais de 50 mil metros cúbicos de água no semestre. “Ações de combate às fraudes como estas visam beneficiar os consumidores que pagam suas contas em dia”, destacou a gerente local da Embasa, Thais Dias. (Ascom)

Governador diz que a Embasa precisa melhorar sua comunicação com a sociedade

Governador Rui Costa

Governador Rui Costa

O governador Rui Costa criticou a Embasa no programa Papo Correria desta terça-feira (10). “Já disse isso mais de uma vez e espero que a diretoria da Embasa esteja ouvindo. A Embasa precisa, urgente, melhorar a sua comunicação com a sociedade”, reclamou.

Rui ressaltou que a comunicação não é propaganda. É a interlocução. É a resposta. “Uma empresa que fornece água, que tem rede de esgoto e, periodicamente, precisa interromper o serviço de água por horas para fazer a manutenção tem que se comunicar com o povo. Se não avisa ou não previne a população vai ficar muita gente sem água, sem saber o que está acontecendo e com muitas reclamações”, disse.

Abastecimento de água será interrompido em Humildes

Para possibilitar o entroncamento de novo trecho da adutora de Humildes, o fornecimento de água será temporariamente interrompido em todo o distrito, incluindo sede e povoados a partir das 6 horas da manhã de terça (13). O serviço faz parte da obra de substituição de trechos da adutora que leva água para o distrito, intervenção que visa garantir maior confiabilidade operacional à distribuição de água reduzindo ocorrências de vazamento.

O abastecimento será retomado, de forma gradativa, após a finalização dos serviços prevista para a tarde do mesmo dia. A Embasa recomenda o uso racional da água armazenada nos reservatórios domiciliares até a completa normalização do fornecimento.

MP revela que pelo menos 14 municípios baianos não monitoram presença de agrotóxicos na água

MP revela que pelo menos 14 municípios baianos não monitoram presença de agrotóxicos na água

Foto: Divulgação

O Núcleo de Defesa da Bacia do São Francisco (Nusf) do Ministério Público estadual revelou durante evento do Fórum Baiano de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos que 14 municípios da Bahia não fazem o monitoramento da qualidade das águas, conforme exige a lei. No encontro, que teve o objetivo de discutir o monitoramento de agrotóxicos na água para consumo humano, foi noticiado também que oito, dos 10 agrotóxicos mais utilizados na região do São Francisco, não passam pelo monitoramento realizado pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), por não constarem da portaria do Ministério da Saúde que lista os princípios ativos a serem fiscalizados.

Coordenadora do fórum, a promotora de Justiça Luciana Khoury afirmou que o risco de presença de agrotóxico na água consumida na Bahia é muito grande. “Uma alternativa é fomentar uma agricultura mais limpa, livre de veneno, reduzindo o uso desses produtos químicos”, salientou a promotora, apontando ainda para a “falta de rigor” nos padrões brasileiros de mensuração. “Um exemplo é o glifosfato, que no Brasil é aceito em uma proporção 500 vezes superior à permitida na maioria dos outros países”, afirmou. No evento, realizado no último dia 4 no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea), a Diretoria de Vigilância Sanitária e Ambiental do Estado (Divisa) mostrou como funciona o Sistema Sisagua e explicou como o órgão realiza sua atividade de fiscalização. Os dados apresentados pelo MP integram uma nota técnica apresentada aos presentes durante o fórum.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia