WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


PMFS-Micaretaresultados

:: ‘Destaque1’

Policiais civis ameaçam paralisar atividades por falta de pagamento das horas extras

Policiais civis ameaçam paralisar atividades por falta de pagamento das horas extras

Foto: Divulgação

Os policiais civis do estado da Bahia ameaçam paralisar suas atividades devido à falta de pagamento dos plantões extraordinários realizados pela categoria desde o mês de dezembro de 2018. Segundo informações dos próprios policiais, devido à falta de efetivo, bem como o aumento da demanda durante o verão, são elaboradas escalas de plantões extraordinários visando garantir a ordem e o atendimento ao público. Contudo, esses plantões têm ocorrido desde o mês de dezembro sem que os valores sejam pagos aos policiais.

Os civis ainda relatam que desde o dia 28 de dezembro, quando iniciou-se a dita “Operação Réveillon”, os policiais civis têm trabalhado em turnos extras diurnos e noturnos visando garantir a ordem e a paz social. Além disso, em todo o mês de janeiro, assim como em fevereiro, têm ocorrido plantões extraordinários em várias delegacias nos finais de semana, durante o dia e a noite com o objetivo de não deixar  a população desamparada diante da omissão do Estado em contratar novos servidores, ação esta que acaba por sobrecarregar todos os policiais do Estado, haja vista que os mesmos já cumprem suas escalas normais de trabalho e se sujeitam a  cumprir as referidas escalas extraordinárias no turno de descanso. Porém, esses plantões, como são escalas extraordinárias, devem ser pagos aos policiais como “hora extra”, pagamento este que não vem ocorrendo desde dezembro de 2018.

“Diante desse desrespeito do Estado perante tais servidores, os mesmos estão ameaçando não mais cumprir as escalas extraordinárias a partir de hoje até que a situação seja regularizada. Os policiais citam ainda que estão também escalados para os plantões de carnaval que ocorrerão na capital e também no interior. Entretanto, afirmam que não irão comparecer aos plantões, caso a situação não se regularize, prejudicando assim o carnaval em todo o Estado da Bahia”.

“Pegar dinheiro com agiota é mais barato do que cheque especial e cartão de crédito”, diz Coronel

Senador Angelo Coronel

Senador Angelo Coronel – Foto: Pedro França/Agência Senado

O Senador Angelo Coronel (PSD-BA) aprovou a indicação da nova diretoria do Banco Central.  O futuro presidente, Roberto Campos Neto, e mais dois diretores foram sabatinados nesta 3ª feira, 26, na Comissão de Assuntos Econômicos, CAE, do Senado. Coronel elogiou os currículos da nova diretoria do BC, “Mas currículo só não significa boa gestão. Vamos ver o que de fato vai acontecer quando começarem a trabalhar”, ressalvou. Angelo Coronel fez algumas perguntas aos indicados pelo presidente Jair Bolsonaro, principalmente sobre os juros cobrados pelos bancos no cheque especial e no cartão de crédito. O senador lembrou que no ano passado o Conselho Monetário Nacional reduziu os juros do cartão de crédito, que era superior a 300%, para 285%, mas que mesmo assim é uma taxa aviltante, “o maior juro do mundo de cartão de crédito”, segundo o senador.

Coronel considera que com os atuais patamares, os juros do cheque especial são impagáveis, fazendo do sistema bancário uma espécie de agiotagem oficial. “Se você tomar dinheiro na mão de agiota é mais barato do que ficar preso no cartão de crédito ou no cheque especial”, comparou o senador.

“É uma armadilha que a família brasileira entra, uma armadilha colocada com limites (de gastos) altos para que a pessoa adquira um cartão, muitas vezes receba até de graça, e as pessoas começam a passar o cartão parecendo até que ele não vai vencer, que não vão precisar pagar”, adverte Angelo Coronel, que perguntou ao futuro presidente do BC se ele reduzirá essas taxas. O senador disse que ficou sem resposta. “Quem sabe daqui a seis meses ele tenha ou a notícia de que os juros no cartão de crédito e no cheque especial baixaram, ou um planejamento para que se baixe no futuro”, completou.

Angelo quer juros baixos para que o crescimento econômico seja mais forte que a ciranda financeira. “Temos que levantar a bandeira do emprego e renda no lugar da comodidade da aplicação no mercado de capitais”, destaca o senador.

Feira de Santana registrou 360 novos casos de HIV em 2018

Feira de Santana registrou 360 novos casos de HIV em 2018

Foto: Valdenir Lima

No ano passado, 12.794 pessoas de Feira de Santana se submeteram aos exames de sangue que detectam a presença do vírus HIV no organismo. Destes, 360 – que correspondem a 2,7% do total, foram diagnosticados com a doença e inseridos nas estatísticas como novos. Em 2017 o número de casos chegou a 366. Nos últimos dois anos, o Programa IST/HIV/Aids observou uma constância em relação a novas contaminações pelo HIV, mas um crescimento significativo quando comparados estes números com os verificados em 2016, que teve 281 novos diagnosticados, crescimento de pouco mais de 30% em relação ao ano anterior.

Em Feira, geralmente jovens, entre 20 e 39 anos – que estão na idade produtiva e reprodutiva, são quem mais apresentam resultados positivos à doença. Os homens são maioria, mas o número de mulheres está crescendo. O aumento no número de pessoas que contraíram a doença, diz Caroline Oliveira, que supervisora o programa no município, está diretamente relacionada à oferta de exames oferecidos à população. “Quanto mais pessoas se submetem ao exame, mais novos casos são detectados”. Portanto, a relação é direta.

Exames podem ser marcados todos os dias úteis – a solicitação deve ser presencial e obedecer calendário. Entretanto, as grávidas teem prioridade. As campanhas realizadas ao longo do ano e a oferta dos testes rápidos em períodos pontuais como a Micareta, cujos resultados são apresentados em até 20 minutos, também contribuem para esta evolução. O programa também oferece testes convencionais. Mas, diz a supervisora, existem algumas condicionantes para que o teste rápido seja aplicado, como ter mantido uma relação sexual sem a devida proteção – o uso do preservativo é o meio mais seguro de evitar a contaminação pelo vírus que, se não devidamente tratado, provoca a aids. :: LEIA MAIS »

Justiça determina restabelecimento do atendimento de urgência ginecológica no Hospital Clériston Andrade

Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA)

Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA)

O juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Feira de Santana , Gustavo Rubens Hungria, atendeu pedido formulado pelo Ministério Público estadual em ação civil pública e determinou, liminarmente, o restabelecimento do atendimento de urgência ginecológica no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), que foi suspenso em dezembro de 2018. A ação civil pública foi ajuizada pelo promotor de Justiça Audo da Silva Rodrigues.

De acordo com o MP, no seu pedido, o promotor de Justiça argumentou que, além de Feira de Santana, a população de 126 municípios da região ficou sem atendimento em urgência/emergência ginecológica. “Com a transferência da obstetrícia para o Hospital Estadual da Criança, este acabou por absorver o material humano para o desenvolvimento das atividades de obstetrícia de alto risco, que até então eram desempenhadas pelo HGCA”, afirmou. No entanto, segundo o promotor de Justiça Audo Rodrigues, a unidade hospitalar do Clériston Andrade é a única credenciada para o atendimento de ginecologia de urgência/emergência de alto risco em Feira de Santana.​

Governo divulga ações que estão sendo tomadas para combater o mosquito da dengue

Governo divulga ações que estão sendo tomadas para combater o mosquito da dengue

Foto: Abnner Kaique

Diante da grande quantidade de casos de dengue identificados  na região, uma série de ações interligadas  para combater o mosquito Aedes aegypti, foram  reveladas pelo Governo Municipal,  na manhã desta segunda-feira (25), na Sala de Imprensa Arnold Silva, no Centro de Atenção ao Feirense (CEAF). De acordo com a Prefeitura de Feira, para o enfrentamento do mosquito, que já ganhou dimensões planetárias,  o governo municipal e estadual, em ações articuladas, está utilizando os mais variados recursos disponíveis, com ações definidas a partir do Gabinete da Dengue, que reúne, principalmente,  as secretaria de Saúde, Serviços Públicos, Agricultura,  Comunicação Social.

Ainda de acordo com a Prefeitura, além da mobilização de mais de 2 mil agentes no  combate ao mosquito transmissor( na cidade e na Zona Rural),   seis carros, tipo  “ fumacê”, disponibilizados pelo Governo do Estado, estão sendo usados para espargir larvicidas  nos bairros, enquanto  dez carros de som levam mensagens relativas as atividades que estão sendo postas em prática nas localidades.

A Prefeitura informa que outro recurso usado principalmente nos distritos, as bombas costais também fazem  parte do esforço governamental  para debelar o mosquito, cuja proliferação aumenta exponencialmente em altas temperaturas, tendo como veículo principal águas limpas e paradas. Só no mês de janeiro, a Secretaria de Saúde contabilizou 1.221 casos notificados. Buscando o apoio da comunidade no sentido de colaborar com as autoridades de saúde a intensificar o trabalho que vem sendo desenvolvido,  o Gabinete da Dengue está acompanhando com atenção  os casos noticiados nas emissoras de rádio locais. De posse do endereço, os agentes de saúde comparecem, in loco, nas residências das pessoas que se declaram acometidas pela doença, com vistas a intensificar as ações preventivas na área. Neste sentido, o Gabinete da Dengue está disponibilizando u para a população os telefones 0800- 284-6656, e 0800-223-4673. :: LEIA MAIS »

Secretário diz que contas de Salvador estão equilibradas

Secretário diz que contas de Salvador estão equilibradas

Foto: Reginaldo Ipê

Conforme o secretário municipal da Fazenda, Paulo Souto, a Prefeitura de Salvador apresentou em 2018 um superávit orçamentário corrente de R$ 362 milhões e um superávit orçamentário total de R$ 95 milhões. Os números foram mostrados em audiência pública da Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização da Câmara Municipal, na manhã desta segunda-feira (25), no auditório do Centro de Cultura da Casa. O vereador Joceval Rodrigues (PPS), presidente do colegiado de Finanças, dirigiu a audiência. De acordo com Paulo Souto, a Prefeitura Municipal de Salvador concluiu um exercício (2018) com o cumprimento integral das metas fiscais, confirmando o equilíbrio de suas contas. O resultado foi avaliado positivamente pela Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda, abrindo a possibilidade, se necessário, de novas operações de crédito. Ainda em sua explanação, Souto ressaltou que os percentuais de Educação alcançaram 27,4% e de Saúde 19,3%, “superando os limites constitucionais de 25% e 15%”, respectivamente, significando aplicações excedentes de R$ 260 milhões.

Recuperação

Souto ao analisar o panorama econômico de Salvador, observou que a recuperação da atividade econômica tem exigido crescentes investimentos em infraestrutura e equipamentos públicos e o aumento dos gastos correntes resultará em disponibilidades financeiras cada vez menores para investimentos com recursos próprios. Conforme Souto, as operações de crédito que a Prefeitura tem realizado com êxito constituem uma alternativa para essa situação. Sobre a arrecadação com o IPTU, comparou com outras capitais e mostrou que essa arrecadação de Salvador (IPTU Per Capita) está muito abaixo do seu verdadeiro potencial, ficando abaixo de Aracaju e Recife. Informou também que essa receita do IPTU é suficiente para o pagamento de três meses do funcionalismo municipal. :: LEIA MAIS »

Programa troca lixo reciclável por alimentos e cursos de capacitação

Programa troca lixo reciclável por alimentos e cursos de capacitação

Foto: Bruno Concha

A partir do hábito de separar resíduos recicláveis é possível obter pontos para serem trocados por alimentos e até descontos em cursos profissionalizantes. No Subúrbio de Salvador, isso já é uma realidade. A Casa SO+MA foi inaugurada na região na última quinta-feira (21). Trata-se de um espaço situado na Praça da Revolução, em Periperi, onde os cidadãos podem realizar um cadastro gratuito e entregar materiais reaproveitáveis, como latinhas, garrafa pet, tampinhas, lacres, jornais, revistas, copos e sacolas plásticas. A ação faz parte do programa SO+MA Vantagens, que já é realizado em São Paulo e Curitiba. Os participantes acumulam créditos que podem ser revertidos em produtos da cesta básica como feijão, arroz ou café. Ou, ainda, em desconto em empresas parceiras do programa, com cursos de pequena duração como cabeleireiro, corte e costura, e de cuidador de idosos. Os benefícios podem ser requeridos na própria Casa SO+MA.

A iniciativa, que conta com parceria da Prefeitura, através da através da Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), além de apoio da marca Viva Schin e startup SOLOS, se utiliza da mesma lógica de qualquer outro programa de fidelidade, com um diferencial: o comportamento é a moeda de troca. Isto é, quanto maior a quantidade de itens levados, mais pontos são ganhos. “O programa procura associar a questão ambiental à oportunidade social. Temos mais de 1.500 famílias participantes do programa e mais de 100 toneladas de materiais encaminhados para a reciclagem, em dois anos de atuação”, explica a idealizadora do SO+MA Vantagens, Cláudia Pires.

Para o titular da Secis, André Fraga, o programa vai incentivar a política de coleta seletiva na capital baiana. “É um desafio muito grande colocar em prática a coleta seletiva. A Política Nacional de Resíduos Sólidos traz como princípio a logística reversa e responsabilidades compartilhadas, e a Casa SO+MA traz exatamente o que é orientado, promovendo conexão entra a sociedade civil, setor privado, poder publico e o cidadão”. :: LEIA MAIS »

Vitória da Conquista terá Plano Municipal de Mobilidade Urbana

Vitória da Conquista terá Plano Municipal de Mobilidade Urbana

Foto: Divulgação

A Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista encaminhou, na tarde da última quinta-feira (21), o termo de referência para contratação da Fundação Escola Politécnica a fim de elaborar o Plano Municipal de Mobilidade Urbana em Vitória da Conquista – estudo que indicará a demanda no transporte público e as mudanças necessárias no trânsito da cidade. Na Prefeitura da Zona Oeste, o prefeito Herzem Gusmão explanou para representantes dos vanzeiros, taxistas e motoristas de aplicativos sobre a atenção do Governo Municipal à ampliação dos meios de transportes na cidade e a fluidez no trânsito.

Sobre o plano, o gestor afirmou: “Nós queremos o melhor para Vitória da Conquista e esse estudo do sistema será amplo, pois vai contemplar o transporte convencional, o complementar e o por meio de aplicativo. O sistema será desenhado tecnicamente para reduzir o clima de tensão que está sobre a cidade. Temos técnicos de excelência. No Brasil pode ter igual, mas não melhor”. A pesquisa é uma das ferramentas do Plano Vitória da Conquista 200, lançado esta semana com o objetivo de planejar o município para os seus 200 anos de emancipação. O prazo para conclusão do estudo é de 120 dias. :: LEIA MAIS »

Vereadora cobra implantação de uma Delegacia do Idoso em Feira de Santana

Vereadora Gerusa Sampaio

Vereadora Gerusa Sampaio (DEM)

A vereadora Gerusa Sampaio (DEM), em seu discurso na sessão da última quarta-feira (20), na Câmara Municipal de Feira de Santana, voltou a defender a necessidade da implantação de uma Delegacia do Idoso no município. “Sabemos que muitas vezes os idosos ficam em uma situação vulnerável e são alvo de fraudes ou agressões. Eles precisam de proteção. Iremos até onde for necessário para conseguir trazer essa delegacia para Feira de Santana”, disse Gerusa.

MPs recomendam que Inema comprove fiscalização e controle sobre uso das águas da Bacia do Paraguaçu

MPs recomendam que Inema comprove fiscalização e controle sobre uso das águas da Bacia do Paraguaçu

Imagem ilustrativa: iStock

Buscar um plano de operação da Usina Hidrelétrica Pedra do Cavalo que não prejudique o equilíbrio ambiental da Reserva Extrativista (Resex) Baía do Iguape – situada 20 km abaixo da hidrelétrica. Esse é o objetivo dos Ministérios Públicos (MPs) Federal (MPF) e do Estado da Bahia (MPBA), que expediram recomendação conjunta ao Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), requerendo a apresentação de dados que evidenciem a efetiva fiscalização do uso da água dos rios que compõem a Bacia do Paraguaçu. Conforme informações prestadas pelo próprio Inema, a Bacia Hidrográfica do Paraguaçu, localizada no centro-oeste da Bahia, possui uma área total de 54.877 km2, correspondendo a 10% de todo o território do estado, englobando total ou parcialmente 86 municípios. O uso das águas da bacia interfere diretamente na Barragem de Pedra do Cavalo, e pode trazer consequências drásticas à Resex, afetando a vida de milhares de famílias extrativistas – incluindo remanescentes de quilombolas – que habitam a região e vivem dos recursos da reserva há cerca de 20 anos. A fiscalização do uso da água da bacia é essencial, para que seja possível estudar e determinar uma vazão de água que permita a operação da usina sem afetar o equilíbrio ambiental da reserva.

O Inema é o órgão responsável por conceder a licença ambiental e fiscalizar as concessões fornecidas pelo estado para a captação, o barramento e o despejo de resíduos na bacia hidrográfica – inclusive se estes resíduos foram devidamente tratados para evitar a poluição das águas. A ele cabe, também, exercer poder de polícia administrativa em relação às atividades com potencial de degradar o meio ambiente, aplicando advertências, multas, apreensão, embargo, interdição temporários e suspensão parcial de atividades de maneira preventiva ou corretiva.

Na recomendação, os MPs requerem, entre outras medidas, que o Inema preste informações, dentro de 30 dias, sobre todas as concessões atualmente vigentes dos múltiplos usos das águas da Bacia Hidrográfica do Paraguaçu, e dos critérios para autorização destas concessões. O instituto deverá, ainda, empreender esforços para fiscalizar e combater as ligações clandestinas e usos irregulares das águas, apresentando também dentro de 30 dias, o cronograma de fiscalização das ligações clandestinas e usos irregulares para o ano de 2019 e o prazo para informação do resultado destas fiscalizações aos MPs. A recomendação demanda, ainda, a apresentação de estudo detalhado sobre o processo de eutrofização – crescimento excessivo de plantas aquáticas em níveis que afetem a utilização normal e desejável da água – de toda a Bacia Hidrográfica do Paraguaçu, necessário para auxiliar a tomada de decisão sobre o plano de funcionamento do Complexo Pedra do Cavalo. A recomendação, assinada em 1º de fevereiro, concedeu o prazo de dez dias úteis para que o Inema informe sobre o acatamento ou não da recomendação, contados a partir do recebimento da mesma. :: LEIA MAIS »

Ação pede restabelecimento do atendimento de urgência ginecológica no Hospital Geral Clériston Andrade

Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA)

Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA)

O promotor de Justiça Audo da Silva Rodrigues ajuizou ação civil pública com pedido de tutela de urgência, solicitando à Justiça que determine o restabelecimento, no prazo de dez dias, do atendimento de urgência/emergência ginecológica no âmbito do Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA). “Constatamos que a interrupção do atendimento de urgência/emergência ginecológica do HGCA se deu por decisão unilateral da administração local após a transferência do serviço de Obstetrícia para o Hospital Estadual da Criança (HEC). Com a cessão dos profissionais médicos estatutários que atendiam no HGCA para o HEC, o serviço foi indevidamente interrompido, gerando grande instabilidade aos usuários e aos diversos outros estabelecimentos de saúde do Município”, destacou o promotor de Justiça.

O promotor complementou que além de Feira de Santana, a população de 126 municípios da região ficou sem atendimento em urgência/emergência ginecológica. “Com a transferência da obstetrícia para o Hospital Estadual da Criança, este acabou por absorver o material humano para o desenvolvimento das atividades de obstetrícia de alto risco, que até então eram desempenhadas pelo HGCA”, afirmou. No entanto, segundo o promotor de Justiça Audo Rodrigues, a unidade hospitalar do Clériston Andrade é a única credenciada para o atendimento de ginecologia de urgência/emergência de alto risco em Feira de Santana.

Projeto institui Campanha Estadual Maria da Penha em escolas públicas

Deputada estadual Kátia Oliveira

Deputada estadual Kátia Oliveira

A deputada estadual Kátia Oliveira (MDB) apresentou projeto de lei na Assembleia Legislativa da Bahia que institui, anualmente, no mês de março, a  Campanha Estadual Maria da Penha nas escolas da rede pública estadual e também nas instituições privadas de ensino. A proposta visa promover a conscientização a partir do conhecimento não só da Lei Maria da Penha (nº 11.340/2006), mas também da Lei do Feminicídio (nº 13.104/2015), contribuindo para o combate à violência contra a mulher. Pelo texto da proposta, a campanha deve abordar a importância do registro das denúncias de violência contra a mulher nos órgãos competentes e dar ampla ciência ao Ligue 180, a Central de Atendimento à Mulher.

A iniciativa da parlamentar está respaldada, conforme registra em justificativa, na própria Lei Maria da Penha, que estabelece como diretrizes “a promoção e a realização de campanhas educativas de prevenção da violência doméstica e familiar contra a mulher, voltadas ao público escolar e à sociedade em geral, e a difusão desta Lei e dos instrumentos de proteção aos direitos humanos das mulheres”. Titular da Comissão dos Direitos da Mulher, Kátia Oliveira espera que a fixação da campanha no Calendário Oficial de Eventos do Estado possa esclarecer, aprofundar o debate e dar destaque ao tema. “A violência contra a mulher, em todas as suas formas, representa odiosa, grave e persistente mazela social que deve ser firmemente combatida e superada pela sociedade baiana”, afirma a emedebista.

Targino Machado pede gabinete de crise para situação da dengue em Feira de Santana

Targino Machado

Deputado Targino Machado (DEM)

O deputado estadual Targino Machado, líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia, denunciou uma epidemia de dengue na cidade de Feira de Santana, onde reside. O parlamentar pediu ao prefeito do município, Colbert Martins, que seja instalado um gabinete de crise para solucionar o problema. “Feira de Santana, segunda maior cidade do estado, atualmente administrada pelo Dr. Colbert Martins Filho, médico angiologista, está submetida a uma epidemia de dengue nunca vista. Infelizmente, a cidade tem 600 casos confirmados, quatro mortes e 1494 casos suspeitos, ainda sem confirmação. O município tem apenas 210 agentes de endemias para quase 700 mil habitantes. Esses profissionais são verdadeiros heróis, pois não recebem salários compatíveis com o seu trabalho e nem gratificações. Para uma cobertura adequada para aquilo que se propõe os agentes de endemias, precisaríamos de mais 300 profissionais. Não sei porquê o prefeito ainda não criou um gabinete de crise para administrar essa situação”.

Ainda de acordo com o parlamentar, as causas desse surto de dengue estão relacionadas à falta de fiscalização na Princesa do Sertão. “Não adianta o discurso do prefeito e da sua equipe, que alegam que 90% dos focos dos mosquitos encontram-se dentro das residências. Isso não é verdade. A causa da epidemia não está, em sua maioria, no interior das casas, mas nas ruas sujas e em uma infinidade de terrenos baldios sem fiscalização, onde a vegetação cresce de forma desordenada, sem tratamento, onde se depositam lixos e entulhos. Infelizmente, Feira de Santana não tem fiscalização para nada. Vou lançar um desafio ao prefeito: toma juízo, Dr. Colbert Martins! Você é médico angiologista e não é anestesista para paralisar Feira de Santana como está fazendo”, finalizou.

“Daqui uns dias o Rio Jacuípe vai se tornar um esgoto a céu aberto”

Vereador Marcos Lima

Vereador Marcos Lima (PRP)

O vereador e líder do Governo na Câmara Municipal de Feira de Santana, Marcos Lima (PRP), criticou a situação do Rio Jacuípe. De acordo com o vereador, ele é o único rio que perpassa a cidade de Feira de Santana e está totalmente poluído. “Os dejetos são diariamente jogados no rio e recentemente o local foi tomado por algas marinhas que estão impedindo as lanchas e os pescadores de transitar na localidade”, disse. Marcos reclamou ainda que nenhum órgão municipal ou estadual busca resolver o problema. “A Associação Náutica do Rio Jacuípe junto com uma Associação de Motociclistas pretendem contratar uma empresa para tirar a metade das algas que estão no local”, relatou.

Obras da ViaBahia e falta tratamento de águas servidas

Ainda conforme o vereador, a ViaBahia realizou a obra de construção de uma nova ponte e deixou muitos materiais cair. Com isso o nível da água baixou. Também tem o problema das águas servidas jogadas nos córregos que desembocam no rio sem tratamento. “O rio está morrendo. Futuramente poderá se tornar um esgoto a céu aberto se não tiver um tratamento das águas que são encaminhadas para lá”, finalizou.

Câmara Municipal de Feira de Santana - Lado a Lado


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia