WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


PMFS-Intereduc SECOM - HGCA2

:: ‘Covid-19’

Cardiologista explica como medir corretamente a pressão arterial em casa

Cardiologista explica como medir corretamente a pressão arterial em casa

Foto: Reprodução

Na sexta-feira (14) é comemorado o Dia do Cardiologista, para lembrar a importância dessa profissão, e também devido ao momento de isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus, onde muitas pessoas estão evitando sair de casa, a médica cardiologista Mariana Falcão preparou um e-book explicando como medir corretamente a pressão arterial em casa. Ela lembra que a hipertensão é uma doença que, quando não tratada, pode levar a diversas complicações graves, como infarto e AVC (acidente vascular cerebral, também conhecido como derrame).

O procedimento de medir a pressão arterial em casa é considerado simples e de fácil execução, mas é preciso que ocorra uma série de cuidados para que os valores apresentados sejam corretos. A especialista destaca que as pessoas devem ter o hábito de medir a pressão, pois muitas vezes ela pode estar alta e a pessoa não apresentar sintomas.

“Ao medir a pressão em casa, a pessoa poderá monitorar o tratamento e saber se a pressão está controlada. Desse modo, poderá ajudar o médico no ajuste do tratamento. Além disso, pode ser útil quando existem queixas como escurecimento da visão ou tontura”, explicou Mariana Falcão.

Para medir a pressão em casa a pessoa precisa ter um aparelho de medição automático, uma caneta e caderno para anotar as medidas, cadeira e mesa para sentar e apoiar o braço, além de fita métrica. Antes de realizar a medição, a médica destaca que é importante a pessoa estar em um ambiente silencioso por pelo menos cinco minutos, não pode ter se alimentado ingerindo café, bebida alcoólica ou ter fumado uma hora antes. Também não é indicado que a pessoa tenha se exercitado até uma hora antes da medição. Além disso, é importante estar de bexiga vazia. :: LEIA MAIS »

Vereador reclama da situação do transporte coletivo em Feira de Santana

Vereador Zé Filé

Vereador Zé Filé (PSD)

O vereador Zé Filé (PSD) em seu discurso na sessão ordinária desta segunda-feira (10), na Câmara Municipal de Feira de Santana, abordou a situação do transporte público coletivo em Feira de Santana.

Zé Filé afirmou que tem recebido muitas reclamações da população devido a redução na frota de ônibus das empresas Rosa e São João.  “Testemunho a dificuldade da população no dia a dia. Domingo praticamente não roda; chega na segunda-feira na Gabriela não tem ônibus, no Feira X a linha foi reduzida e no Aviário a mesma coisa. Se o povo da sede está sofrendo por falta de transporte, imagine o povo do distrito”, avaliou.

O edil pediu ao prefeito Colbert Martins Filho que cobre do secretário Municipal de Transporte e Trânsito, Saulo Pereira Figueiredo, uma ação mais enérgica junto as empresas. “O que está acontecendo com as empresas? Se não têm capacidade, interesse de rodar na cidade, ótimo! Que abram espaço para outras empresas. Não são apenas duas empresas no mundo.”, cobrou. :: LEIA MAIS »

Distribuidora é fechada por 14 dias para conter surto de Covid-19 entre empregados

Coronavírus

Foto: Reprodução / PMFS

O Ministério Público do Trabalho (MPT) conseguiu na Justiça do Trabalho a interdição da Mascarenhas Distribuidora de Doces por 14 dias para conter um surto de Covid-19 entre os empregados.

A loja de artigos para festas localizada na Rua José Joaquim Seabra, 124 – Centro, registrou nos últimos dias 30% de trabalhadores com testagem positiva para o novo coronavírus. A decisão foi tomada pela 4ª Vara do Trabalho de Feira de Santana em ação cautelar com pedido de liminar movida pelo MPT.

Ao tomar conhecimento que 13 dos 44 empregados haviam testado positivo para a doença e que a empresa permanecia em atividade, o MPT ingressou imediatamente na Justiça para evitar maiores consequências e buscar proteger os demais empregados, seus familiares e os clientes. Na decisão, a empresa fica ainda obrigada a promover a testagem de todos os trabalhadores para garantir um retorno seguro após o prazo mínimo legal de 14 dias. Em caso de descumprimento, a Justiça estabeleceu multa diária de R$1 mil.

Para o procurador Ilan Fonseca, autor da ação, “trata-se de uma medida para proteger a sociedade que serve de exemplo. Se for detectada a contaminação de alguém num ambiente de trabalho, é preciso testar todos e fazer o isolamento preventivo de pelo menos 14 dias. Não deveria haver a necessidade de conseguir isso judicialmente, pois é uma responsabilidade dos empregadores”. :: LEIA MAIS »

Com novos protocolos de segurança, Martagão Gesteira retomará cirurgias eletivas

Com novos protocolos de segurança, Martagão Gesteira retomará cirurgias eletivas

Foto: Divulgação

A partir da próxima segunda-feira (10), o Hospital Martagão Gesteira voltará a realizar cirurgias eletivas, após elas terem sido suspensas por precaução, diante da pandemia do coronavírus. Como medida de prevenção e para evitar o contágio e transmissão, a retomada será feita com base em novos protocolos de segurança.

Uma enfermaria específica será destinada para o serviço, com uma equipe voltada exclusivamente para esta finalidade. O objetivo principal da retomada é evitar que os casos de pacientes que necessitam de cirurgias eletivas se tornem graves.

“O retorno das cirurgias eletivas no Martagão é mais um reforço do compromisso da Liga Álvaro Bahia (entidade mantenedora do Martagão) com a saúde das crianças. Avaliamos que manter por mais tempo estes procedimentos suspensos pode gerar uma necessidade de realização dos mesmos em caráter de urgência, colocando-os sob maior risco”, ressalta o diretor médico da Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, Risvaldo Varjão.

O hospital informa, ainda, que não haverá contato com pacientes suspeitos e confirmados para Covid-19. No caso deles, há uma enfermaria e UTI específicas para o tratamento de síndromes respiratórias, contratualizados com a prefeitura de Salvador. “Com o achatamento que temos visto na curva da doença em Salvador e a adoção de protocolos rígidos de segurança dentro do hospital, estamos prontos para dar mais este passo em prol da normalidade de oferta de cuidado e acesso à saúde”, acrescenta Varjão. :: LEIA MAIS »

MPT quer correção de falhas em unidades de saúde de Santo Antônio de Jesus

MPT quer correção de falhas em unidades de saúde de Santo Antônio de Jesus

Parte da equipe visitou as unidades de saúde para verificar as condições de segurança do trabalho – Foto: Divulgação

O Ministério Público do Trabalho (MPT) na Bahia vai convocar a prefeitura de Santo Antônio de Jesus nos próximos dias para propor a adoção imediata de medidas para corrigir falhas de segurança do trabalho nas unidades municipais de saúde.

Peritos do órgão e membros do Comitê de Enfermagem para Enfrentamento da Covid-19 estão finalizando o relatório da inspeção realizada no último dia 22/07 em unidades de saúde de Santo Antônio de Jesus. Com base no documento, o MPT espera fechar um termo de ajuste de conduta com o município para interromper a exposição dos profissionais do setor a risco de adoecimento.

Na inspeção realizada, foram visitadas uma unidade básica de saúde, três unidades de saúde da família e a UPA. O principal objetivo foi verificar as condições de trabalho dos profissionais de saúde nos locais. De acordo com a procuradora Juliana Corbal, as inspeções apontam que as unidades não apresentaram um padrão adequado de proteção e serviços aos profissionais. Os dados integram um inquérito aberto pelo órgão para apurar as condições de saúde e segurança do trabalho nas unidades do município.

“Visitamos cinco unidades e ainda estou aguardando os relatórios do comitê, mas, de um ponto de vista mais geral, foram feitas visitas com o objetivo de verificar as condições de trabalho dos profissionais de saúde. Verificamos também os protocolos relacionados com o atendimento dos pacientes com sintomas respiratórios, a implementação do plano de contingência e o fornecimento dos equipamentos de proteção. Além disso, realizamos a identificação e o monitoramento dos trabalhadores confirmados com a Covid-19 nas unidades”, afirmou a procuradora. :: LEIA MAIS »

Eremita Mota lamenta atraso do MEC em dar diretrizes as escolas públicas durante a pandemia

Vereadora Eremita Mota - Foto Karoliny Dias

Vereadora Eremita Mota – Foto: Karoliny Dias

Falando sobre como a educação tem sido tratada com a pandemia, a vereadora Eremita Mota (PSDB) lamentou o atraso do Ministério da Educação no lançamento de diretrizes para as escolas públicas durante a pandemia. O MEC homologou um conjunto de diretrizes para orientar instituições de ensino da educação básica e superior sobre as práticas que devem ser adotadas durante a pandemia somente no início de junho. A pandemia começou em março deste ano no Brasil.

A vereadora ressaltou que as escolas particulares deram um jeito de se adequar a nova realidade dando aulas online para seus estudantes. Diferente do que aconteceu com as escolas públicas que dependem das determinações do Ministério da Educação para tomar atitudes. “Somente em junho o MEC tomou uma atitude e anunciou suas diretrizes. É um descaso do poder público com a educação pública. Os alunos que dependem da gratuidade são os mais prejudicados, lamentavelmente. São a grande maioria e ficaram desestimulados com a situação”, completou.

Eremita, que é presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Municipal de Feira de Santana, disse ainda que está fazendo visitas e tem constatado que muitas delas estão sem ensino. “Estive em mais ou menos 20 casas neste final de semana e em nenhuma delas os alunos estão tendo acesso ao ensino. Governar para pobre é difícil. São sempre eles os mais prejudicados. Mesmo colocando as diretrizes atrasadas do MEC em prática, como professora, eu sei que os alunos não terão como colocar os trabalhos atrasados em prática. Se viesse antes haveria um êxito melhor”, afirmou. :: LEIA MAIS »

Prefeitura diz que SAMU não recebeu relatório de inspeção do MPT e Comitê de Enfermagem

Samu de Feira de Santana

Samu de Feira de Santana – Foto: Reprodução

A Prefeitura de Feira de Santana, por meio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), informa que até o momento não recebeu relatório da inspeção realizada pelo Ministério Público do Trabalho e Comitê de Enfermagem, sinalizando ajustes e adaptações necessárias.

Antemão, o órgão municipal reforça que estratégias para reduzir os riscos de contaminação por Covid-19 foram traçadas pela instituição, entre outras, com horários de descanso alternado para reduzir as chances de aglomeração. Todos os locais de repouso do SAMU possuem janelas e aparelhos de ar-condicionado, proporcionando a ventilação.

A respeito de profissionais estarem colocando colchão no chão para dormir, o órgão reitera que não é essa a orientação, uma vez que o SAMU possui local específico destinado para o repouso da equipe.

Salienta que a Central de Material e Esterilização (CME) está sendo utilizada em sua função original. Portanto, não procede a informação de que o local estaria servindo como depósito.

O órgão municipal ressalta que todos os profissionais fazem uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), respeitando o período indicado para descarte. E acrescenta que a respeito do técnico auxiliar de regulação médica foi feita adaptação de distanciamento hoje, 4. O profissional da recepção, por sua vez, trabalha com máscara e face Shields. :: LEIA MAIS »

Justiça atende MP e determina que SEAP complemente Plano de Contingência das unidades prisionais do Estado

A Justiça determinou, em decisão proferida no dia 30 de julho, que o Estado da Bahia complemente, no prazo de 30 dias, o Plano de Contingência da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (SEAP), especificando local, administrado pela Secretaria, para transferência imediata de presos sintomáticos ou diagnosticados com coronavírus, custodiados nas carceragens policiais de todo o Estado da Bahia. A decisão liminar atende pedido formulado no agravo de instrumento interposto no dia 29 de julho, por meio do Grupo Especial de Atuação para o Controle Externo da Atividade Policial (Gacep), após a Justiça negar pedido liminar em ação civil pública, ajuizada no dia 24. Assinaram o agravo o Coordenador do Gacep, Promotor de Justiça Roberto Gomes, e os promotores de Justiça Marcelo Aguiar, Adriana Imbassahy, Maria Isabel Vilela e Lucélia Lopes.

A decisão do desembargador Mário Augusto Albiani Alves Júnior estabeleceu ainda que a SEAP determine um local para a transferência dos presos com sintomas ou diagnóstico de Covid-19 que receberam alta após atendimento na rede pública de saúde em todo o Estado. Ficou decidido ainda que a Secretaria apresente um Plano de Ação para promover a assistência à saúde, a testagem e o isolamento dos presos custodiados que tenham sintomas ou diagnóstico de Covid ou tenham tido contato com portadores da doença. (MP)



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia